Muitas vezes, ao comprar um jogo, você já deve ter pensado: “Será que vale a pena a relação entre”. Isso já passou pela cabeça de todos nós, vez ou outra, especialmente com os jogos ficando cada vez mais. E isso é intensificado especificamente no PlayStation, onde a SONY parece que vive num mundo a parte de seus.

Mas bem, vida que segue e temos mais um jogo aqui para analisar, Apple Slash, que após ter saído para PC, finalmente.

Será que ele vale a pena.

Hora de explorar o

Ok, hora de parar com a piada. Mas conforme você for lendo o resto da análise, vai entender o que quis dizer com o título do artigo e as frases incompletas dos dois primeiros parágrafos.

A questão é que CRIATURAS ESTRANHAS invadiram o local onde você vive, e como seu irmão não serve pra porra nenhuma, é sobrou pra você o trabalho de investigar.

LEIAM – Trigger Witch | Bruxeira troca tiros com bigodudo, mais informações às 9

O jogo não oferece muito no departamento de narrativa, mas o que nos é dado, é que esse é o começo de uma aventura. Porém, sabem as frases cortadas antes da conclusão? É essa a sensação que o jogo passa, quando você termina de derrotar o boss, o jogo dá toda a pinta de que vai começar uma grande aventura… E aí aparecem os créditos. E isso foi meio broxante, se quiser saber a minha opinião.

Combate Gostosinho, exploração semilinear

Apple Slash

A jogabilidade de Apple Slash é bem fácil de se pegar, você tem uma mira que é controlada pelo analógico direito, que vai dizer o local pra onde o personagem tá apontando a espada, um botão pra ataque (é recomendado que se deixe o botão apertado pra manter o ataque). Se você derrotar muitos inimigos sem tomar dano, a sua espada ficará mais forte e rápida.

Conforme se avança no jogo, outras habilidades são desbloqueadas, que permitem ataque a distância, ataques mais poderosos, coisas básicas pra completar a jornada.

Novamente, o jogo parece que foi feito mais como uma tech demo do que algo completo, porque novamente, você tem o princípio de algo, e quando acha que vai acontecer algo, o jogo acaba. E apesar de ter vai e volta, a exploração do jogo é quase linear. E a dificuldade do jogo não é grande, com a parte mais difícil sendo o chefe (que se torna fácil depois de entender os padrões de ataque).

Existe apenas um segredo do jogo (nem tão secreto assim), que é necessário para um dos troféus, com a platina podendo ser alcançada em menos de uma hora.

Estranhamente agradável visualmente

Apple Slash

Posso dizer que o visual com sprites em branco e o fundo preto me deixou ressabiado por lembrar de um certo RPG que eu não gosto de falar sobre. Mas, no fim das contas, o uso limitado de cores e os sprites bem desenhados acabaram me capturando.

LEIAM – Burning Fight | Análise do game

Mesmo com a limitação, eles passam a expressividade e são bem animados o suficiente. Pena que o mesmo não pode ser dito da trilha sonora. As músicas presentes, apesar de tecnicamente boas, não são lá muito memoráveis.

Uma compra difícil

Apple Slash

Se você pretende jogar no PC, pode comprar Apple Slash se lhe apetecer, o jogo custa menos de 10 reais no Steam e é uma jogatina gostosinha. Inclusive o criador deixa claro que se houver demanda, ele pode expandir o que foi visto aqui no futuro.

Agora em consoles… Bem, se a grana tiver sobrando e o jogo lhe apetecer. Mas é uma experiência bem curta.

Apple Slash está disponível para PC, PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series e Nintendo Switch.

Essa análise foi feita com uma cópia digital de PlayStation 4 gentilmente cedida pela Ratalaika Games.

Author: Geovane Sancini

Geovane, mais conhecido como Sancini (ou Kyo, se você for velho o suficiente pra lembrar do nick antigo dele) é um escritor e speedrunner que joga videogames desde que se entende por gente.