Eu vou ser completamente honesto aqui. Eu não vejo muita graça naqueles jogos meme. Não falo de jogos ruins que eu jogo, tipo Lizard Lady vs. Cats, Fight! (apesar desse ser ruim), ou Super Kids Racing, me refiro aqueles jogos “piada” que infestaram o mercado desde o Goat Simulator.

Eles podem dar uma risada ou duas, mas nunca achei graça nesse tipo de jogo. E olha que sou um cu frouxo que ri de qualquer merda, mas não acho a menor graça no Untitled Goose Game, ou os milhares de simuladores meme que infestam o Steam (e devem existir também nos consoles).

LEIAM – Hentai vs Evil | Garota Colegial, Caçadora de Zumbis

Mas esse ano, eu já fiz de várias coisas, terminei quase que uma dezena de point’n clicks, gênero no qual nunca fui o mais esperto, superei um trauma de infância zerando Mega Man 8 e até mesmo passei da marca de 270 seguidores no twitch. (Me siga lá (twitch.tv/mrsancini)! Se eu ainda não tiver morrido de decepção com a E3, estarei fazendo lives todos os dias, a partir das 13:00 e em horários aleatórios)

Logo, depois de fazer essas coisas totalmente não relacionadas, resolvi encarar um jogo do tipo meme. Mas é aquilo, todo mundo já jogou o jogo da cabra, o jogo do ganso, o jogo da abelha, do pão e até mesmo da pedra.

Então resolvi ir por um caminho diferente e me tornar… UM FIAPO DE MACARRÃO!

Seja a pasta

Freddy Spaghetti

A Origem de tudo. No princípio, Deus criou o céu e a Terra. Porém na Terra não havia forma nem vida. Uma grande escuridão cobria o mar, e o espírito de Deus, pairava sobre as águas. Deus então disse: VOU DAR VIDA E CONSCIÊNCIA A UM FIAPO DE MACARRÃO.

Ok, talvez não seja essa a história, mas enfim. Um cientista daqueles que não tem nada pra fazer, (e quando faz, dá merda) fez algo, criou uma máquina capaz de dar consciência a coisas inanimadas. Ele tentou com várias coisas, como seu carro, uma torradeira e o meu pinto, mas sem sucesso em nenhuma delas.

LEIAM – Donuts’ N’ Justice | Tiroteio desbalanceado

Então uma noite, provavelmente depois de assistir a um jogo da Itália, ou ter visitado o Bexiga, em São Paulo, ele resolveu testar com um macarrão, e para surpresa de ninguém além dele mesmo, o fio de macarrão ganhou vida e um nome… Freddy. Você, deve agora viver a vida de Freddy, assistente do cientista e encarar as desventuras de um macarrão com consciência e movimento.

Macarrão multifuncional… Ou algo do tipo.

Freddy Spaghetti

O objetivo do jogo é terminar as cinquenta fases do jogo (na verdade 49), e os controles de Freddy Spaghetti são mega simples. Você utiliza os dois botões de ombro (L1/R1 no PS4, LB/RB no Xbox) aliados com o direcional, para movimentar Freddy. Segurar o botão faz surgir uma barra, que começa a encher e fará os passos de Freddy se tornarem um pulo e cobrirem uma distância maior.

E apesar da maioria das fases ter um objetivo simples (do ponto A ao B), algumas possuem certos obstáculos e outras exigem que o jogador seja rápido feito speedrunner para não ser pego pelos inimigos, seja a polícia, ou pessoas do futuro (onde tudo tem gosto de pasta de dente) que pretendem comer o Freddy…

Algumas etapas do jogo tem um toque de criatividade, outras são cretinas a ponto de serem injustamente difíceis (e nem estão perto das últimas) e ficou claro que o jogo não foi pensado para joypads. Correr da polícia em um dos estágios do futuro foi estressante o suficiente pra deixar metade do meu cabelo branco.

Ele é basicamente como o I Am Bread, mas sem os elementos de complexidade que o jogo supracitado possui, enquanto que no jogo da torrada, você tem obstáculos que interferem na pontuação final, muitos dos obstáculos de Freddy Spaghetti não permitem erros.

Visual nunca foi prioridade em Freddy Spaghetti

Freddy Spaghetti

Como boa parte dos jogos meme, visual não é o ponto forte do jogo, contando com cenários simples e modelos igualmente simplíssimos. E eu posso jurar que os assets da cidade são do mesmo grupo de assets de Hentai Vs. Evil. Apesar deles não serem os mais bonitos, servem pra contar o que o jogo quer contar.

A narração de Freddy Spaghetti é um dos pontos altos do jogo, porque ela realmente dá o tom “dramático” da história do jogo. E a trilha sonora do jogo, tenho certeza que ouvi algumas das músicas presentes em outros jogos, já que conta com algumas músicas royalty free. Mas ao menos não são músicas escolhidas aleatoriamente, mas escolhidas pra mostrar o que a fase quer contar.

Conclusão: Continuo não sendo fã de jogos meme

Se você é fã desses jogos meme, talvez queira dar uma olhada em Freddy Spaghetti, o jogo não é caro. Mas se não curte, provavelmente não irá curtir o jogo, mesmo ele sendo um pouquinho divertido.

A verdade é que eu não sou lá fã do estilo, e Freddy Spaghetti não mudou minha opinião. Ao menos (sendo completamente honesto), foi mais uma platina pra minha conta.

Freddy Spaghetti está disponível para PC, PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series e Nintendo Switch.

Essa análise foi feita com uma cópia digital de PlayStation 4 gentilmente cedida pela Ratalaika Games.

Author: Geovane Sancini

Geovane, mais conhecido como Sancini (ou Kyo, se você for velho o suficiente pra lembrar do nick antigo dele) é um escritor e speedrunner que joga videogames desde que se entende por gente.