No mundo real eles são pessoas “normais” como qualquer outras, com suas rotinas e deveres. Mas quando longes das implicações das leis reais, se transformam em outras pessoas.

Com réguas e opiniões pré-formadas, fiscalizam e ditam onde e como você deve se divertir com determinados games. Esses tais fiscais são barulhentos e berram sempre quando contrariados, afinal, pois o que vale é a lei sussurrada de dentro de suas bolhas. E ir contra a esse senso comum virtual é um tanto arriscado.

LEIAM – Censura, Silêncio e Hipocrisia | A Sony e o Público

Afinal, não se importam com ninguém, tudo não passa de uma busca incessante por engajamento nas redes sociais. Claro, eles negam veemente, mas suas ações por si só dizem o contrário.

Dito isso, lhes pergunto: O quanto a opinião deles sobre vídeo games vale dentro do seu lar?

vídeo games
Photo by Chris Devers from Flickr CC BY-NC-ND 2.0

O lar é o ultimo lugar em que devemos deixar esses desconhecidos enfiarem sua opinião, afinal, trata-se da sua vida particular e você não deve se afetar.

Deixe as redes sociais e esse povo chato de lado e foque naquilo que lhes traz um pouco de paz de espirito, o que te entretêm de maneira saudável quando em seu lar.

LEIAM – Laura Matsuda é pega pelo esquadrão da moda

Independe da plataforma que você mais goste de jogar vídeo games, no fim do dia, é você que gastou as poucas horas que tem em frente a uma TV se divertindo. Logo, por que diabos nos incomoda tanto o que um qualquer desconhecido está dizendo de ruim sobre algo que gostemos?

Essa polarização nas redes sociais é um câncer que vem consumindo a todos nós, e enquanto não percebermos que o mundo não é sua bolha social, continuaremos trocando socos e ofensas virtualmente.

Vídeo Games? Eu gosto de X e tá tudo bem se você gosta Z.

vídeo games

Percebo que passamos a segregar a todos que nos deparamos entre os que concordam ou não com nossos gostos e opiniões sobre vídeo games nas internet, pintando os contrário como os monstros que não são, apenas por desgostarem de algo que gostemos – Claro, existem a exceções e esses merecem block.

Eu não me importo que as pessoas critiquem o que gosto, porque a escolha é minha comprar console X, Y ou Z.

Somos nós que decidimos onde vamos desperdiçar nosso tempo, caro leitor, porque ao fim do mês quem paga a conta de energia é você e não o influencer digital com milhares de inscritos e que ganha mimos e dinheiro falando bobagens na internet.

Muitos desses usam de um discurso clichê para se promoverem e usá-los como escada para o sucesso digital. Evite qualquer um que dite como ou o que você deve consumir. Se dispõem de recursos e pode experimentar, vai lá, mas não seja massa de manobra repetindo uma opinião que sequer são sua.

Busque experimentar e tirar suas próprias conclusões, afinal, você investe em vídeo games para se divertir, então faça isso, divirta-se no conforto do seu lar.

Fazia tempo que não escrevia nenhuma reflexão, espero que tenham gostado e compreendido o meu ponto. Inté.

Author: Diogo Batista

Criador e Editor-Chefe do Arquivos do Woo, é um eterno rabugento. Opta por investir seu tempo entre games, filmes, livros e sua família à perder tempo discutindo na internet.