Há muito tempo atrás, quando eu ainda tinha esperanças no twitter, fazíamos piada a vontade sem aparecer um iluminado querendo te processar ou fazer com que você perca o emprego e no geral nos divertíamos porque a internet era uma boa distração da merda cotidiana, eu me deparei com um jogo índie chamado Woodle Tree Adventures, no PC.

O jogo é um platformer 3D que tenta evocar a nostalgia dos tempos de Nintendo 64. Eu odiei o jogo, lembro que na crítica que escrevi na minha conta do Alvanista dei 2/10 pro jogo.

LEIAM – 112th Seed | A Semente da salvação

Agora, ele chegou aos consoles, com o nome de Woodle Tree Adventures Deluxe. Será que alguma coisa melhorou desde a versão original? Ou será que continua tão ruim quanto aquela coisa lá que saiu pra PC?

Venha comigo e descubra.

Salve a Árvore Sedenta

Woodle Tree Adventures Deluxe

Uma árvore que se assemelha muito a Grande Árvore Deku de Zelda, que vou chamar aqui de Teuku diz que o mundo está começando a secar e são necessárias gotas mágicas para restaurar a ordem.

Você, um cotoco de árvore saindo não sei de onde, é escalado por Teuku para encontrar essas gotas mágicas e salvar O MUNDO. Ou algo do tipo.

Não que precisemos de motivação para todos os jogos, mas a introdução do jogo é contada de maneira tão desinteressante que você mal percebe que ela terminou.

Eu queria enrolar por mais umas duas linhas para deixar o review mais recheadinho e parecer que eu coloquei vontade nesse texto, mas o jogo é tão raso que não dá pra fazer isso e… Peraí, passaram duas linhas. Sou um gênio incompreendido.

Mediocre at best, Ruim at worst

Woodle Tree Adventures Deluxe

Woodle Tree Adventures é um platformer 3D, no qual se deve encarar seis fases, recolher três gotas e levá-las ao fim das ditas fases. Existem frutinhas que podem ser coletadas nas fases, essas frutinhas podem abrir as fases extras e comprar upgrades para a sua arma, uma folha.

O design das fases não é lá muito inspirado, e os inimigos também não tem inspiração. Isso não seria nenhum problema, se os controles não fossem lamentáveis.

A movimentação é um tanto escorregadia, o alcance da folha padrão é ridículo e os inimigos te dão 1 hit-kill. O sistema de check-points é confuso, já que muitas vezes, morrer num check-point pode te mandar para o anterior.

A câmera do jogo é ruim, você não tem controle total dela, apenas a distância e dependendo do trecho da fase, isso vai lhe atrapalhar bastante.

O jogo é curto, podendo ser terminado em uma tarde, se o tédio da jogatina não o matar primeiro.

Visuais decentes, se eu for otimista

Woodle Tree Adventures Deluxe

Os gráficos do jogo são… Decentes, mas não vi nenhuma diferença ou melhora do jogo original de PC ou a versão de PS4, e de 2014 pra cá tivemos jogos independentes com gráficos mais bonitos, tanto no PC, quanto nos consoles.

Os cenários são coloridos, mas os inimigos não são inspirados e com o design de fases genérico, check-points confusos e jogabilidade cagada, não consegue se destacar em meio ao mar de coisas ruins que o jogo lhe oferece.

Dentre essas coisas, a trilha sonora quase inexistente não incomoda, mas também não ajuda animar pra qualquer coisa nessa pilha de estrume fumegante. Sim, estou sendo rígido, mas o jogo não me ajuda, não oferecendo muitas qualidades redentoras.

Veredito final: Precisa mesmo de um?

Woodle Tree Adventures Deluxe

Fique longe de Woodle Tree Adventures. Ele não chega a ser ruim como Yasai Ninja e Kyurinaga’s Revenge, mas por outro lado, é tedioso e não dá nem pra fazer piadas direito.

Existem platformers em 3D mais competentes no mercado, então ao invés de comprar esse jogo, prefira poupar seu dinheiro e comprar algo como “A Hat in Time” ou mesmo “Yooka-Laylee”. Como esse jogo ganhou uma continuação, não sei, eu é que não vou comprar pra descobrir.

Woodle Tree Adventures está disponível para PC, Nintendo Switch, Playstation 4 e Xbox One.

A análise foi feita com base na versão de PS4, que eu tive o desprazer de comprar.

Author: Geovane Sancini

Geovane, mais conhecido como Sancini (ou Kyo, se você for velho o suficiente pra lembrar do nick antigo dele) é um escritor e speedrunner que joga videogames desde que se entende por gente.