Disclaimer inicial: O jogo retratado nesse artigo possui classificação indicativa para maiores de dezoito anos e contém cenas de sexo explícito. Apesar do artigo não conter imagens explicitamente eróticas (a única imagem NSFW está devidamente editada), é recomendada a descrição ao lê-lo.

Faz tempo que não analiso um eroge. Sério, mesmo a análise de Funbag Fantasy que publiquei aqui eu havia requentado de um antigo blog meu. Já que estamos aqui, vamos logo falar.

Sexo é uma coisa boa. Apesar do quanto banalizam ele na sociedade, ainda assim é uma coisa boa, desde que feito de maneira consensual. Masturbação também é algo positivo, pois permite que você, jovem mancebo ou você, amiga leitora (blasé, eu sei), conheça melhor o seu próprio corpo. Só não queira conhecer seu corpo em excesso, se é que me entende.

LEIAM – Censura, Silêncio e Hipocrisia | A Sony e o Público

Enfim, o que quero dizer com esse parágrafo é, apesar dos chamados “progressistas” estarem em uma cruzada contra o sexo (O que comprova a teoria da ferradura, de que progressistas e conservadores estão mais próximos um do outro do que se imagina.), não deixe se levar por esse discurso puritano barato e seja mais franco quanto a gostar de material erótico.

Agora, vamos ser francos. Nem toda visual novel (erótica ou não) tem uma premissa de fazer você pensar (Katawa Shoujo é um exemplo) ou é feita pensando em clickbaits baratos do youtube (Oi Doki Doki Literature Club?), as vezes, elas só querem explorar fetiches bobos ou fantasias excitantes, e não há nada de errado nisso. E “Oral lessons with Chii-chan” cai nesse segundo grupo, de visual novel baseado numa fantasia excitante. Como ela é? Vem comigo (de uma distância segura, lembre-se, estamos numa pandemia).

Você assume o papel de Kouta Muroto, um garoto alto, gordinho, porém um tanto atlético (diria que com treinamento de luta livre ele poderia ser o Brock Lesnar japonês) e muito inteligente, o garoto talvez mais inteligente da escola.

Um certo dia, quando estava comprando os mantimentos da semana (os pais se mudaram para outra cidade, então ele mora sozinho), ele é abordado por Chieri “Chii-chan” Shiina, uma voluptuosa garota, ¼ brasileira (a mãe dela é meio brasileira) que lhe pede para que a auxilie com os estudos.

Kouta aceita, e quando ele descobre a maneira com a qual Chii-chan vai agradecer pelos estudos, isso o anima mais ainda. (Se você leu o título do jogo, deve ter feito as contas… Se não fez as contas, respondo clara e simplesmente: com boquetes.) E assim, começam as lições de Chii-chan ao longo daquele ano letivo.

Não é nenhum irmãos Karamazov, não é uma história que vai te tocar ou coisa do tipo. Longe disso. A história é simples, e a graça de seguir em frente é acompanhar a evolução da relação entre Kouta e Chieri, como apesar de todas as coisas que eles fazem a princípio, eles não vão até os finalmente (entenda, penetração), pois Chii-chan é comprometida com um cara mais velho (e segundo a lógica dela, fazer oral em alguém não seria traição).

Imagem extraída do OVA

A história mostra em seu desenvolvimento, que apesar de Kouta ser um cara forte, que poderia dominar a Chii-chan fisicamente com facilidade, ele não faria isso por que iria magoá-la, e mostra que Chieri, mesmo fazendo tudo o que fez, tem seu lado mais inocente e acaba corando diversas vezes com elogios simples, que revelam os problemas de baixa auto-estima que ela possui.

A novel tem um tom dramático em alguns pontos, revelando o passado do Kouta e da Chieri, e o que levou os dois a serem mais ou menos como são. E se tirarmos todo o conteúdo adulto do jogo, ainda teríamos uma história sólida, sobre uma garota burrinha que pede ajuda ao melhor da classe para melhorar nos estudos. Aos poucos eles vão conhecendo, a ponto de se apaixonarem.

Em termos de novel, Oral Lessons with Chii-chan não oferece tanto assim, é uma história linear, e as escolhas que você faz nas cenas adultas… Não interferem em nada. Não que eu esteja reclamando, só estou sendo franco quanto ao conteúdo. E estou avisando de antemão, caso queira jogá-la.

A versão lançada pela Fakku no ocidente conta com o DLC gratuito “Afterstory” (O Afterstory foi lançado separadamente – ainda que de graça – na edição japonesa), com um pouco das férias seguintes de verão de Kouta e Chieri, com mais cenas ardentes, e que no OVA foi adaptado nos últimos cinco minutos do OVA 2.

Visualmente, é uma novel clássica, cenários bem desenhados, uma personagem com um sprite estonteante e as cenas adultas… Material de qualidade, é o que posso dizer. Se você está naquela noite solitária, ou o distanciamento social te deixou longe da cremosa, dá pra auxiliar.

O jogo possui pouquíssimas músicas, não que isso seja um problema, as musicas complementam bem os momentos em que elas são usados… Apesar da musica de quando vai acontecer “algo” ter ficado grudada na minha cabeça depois de tanto ver.

Enfim. E a dublagem… A dubladora da Chii-chan, Mei Misonoo emprestou voz a personagens de novels que esse que voz fala aqui, já se divertiu, como “Funbag Fantasy: Sideboob Story”, “Eroge: Sex and games makes Sexy games” e “Greater Heal”.

Ela faz bem seu trabalho, passando personalidade, tridimensionalidade e erotismo a Chii-chan.

Finalizando, Oral Lessons with Chii-chan é uma novel curta e divertida, mas talvez o preço cheio dela no steam R$ 37,99 faça com que você espere uma promoção. (E caso compre no steam, baixe o patch com as cenas adultas, pois a versão lançada no Steam é All-Ages, lançada pela Kagura Games em parceria com o Fakku, com o nome de “Lessons with Chii-chan” e teve partes de seu roteiro alteradas, com a ambientação mudando do Ensino Médio para a Faculdade)

Author: Geovane Sancini

Geovane, mais conhecido como Sancini (ou Kyo, se você for velho o suficiente pra lembrar do nick antigo dele) é um escritor e speedrunner que joga videogames desde que se entende por gente.