Super Mario 64 revolucionou os jogos de plataforma. Lançado em 1996, tínhamos a primeira aventura do bigodón em um ambiente não linear que surpreendeu todo mundo pela sua qualidade, em uma época onde realmente não haviam parâmetros para jogos desse tipo.

Agora em 2020, um grupo talentoso de programadores conseguiu fazer um port não-oficial do game para outras plataformas, e é essa versão que revisitamos aqui.

Introdução (ou não)

Super Mario 64 | O port em 60 FPS feito por fãs

Não vamos perder tempo aqui: você sabe como é Mario 64. O jogo provavelmente é um dos mais jogados por todos que cresceram com acesso a um Nintendo 64. Junto com Ocarina of Time, Mario Kart 64 e GoldenEye, esse é um dos clássicos atemporais da Nintendo.

O que vamos falar aqui é sobre o maravilhoso port moderno, que foi lançado até mesmo antes de um possível remake feito para Switch, que até a data desta publicação se trata apenas de um rumor.

LEIAM – Minha História com Perfect Dark

Explicando melhor do que estamos falando, vamos lá para algumas informações básicas. Até então, a única maneira que tínhamos de rodar esse jogo — ou qualquer outro feito pra console — em um PC ou outra máquina, era através de emulação.

O grande problema disso, em especialmente para o caso do Nintendo 64, é que esse processo nunca foi perfeito. Por mais que às vezes seja imperceptível aos olhos do jogador, a emulação desse console se distancia muito da experiência original.

Como Funciona?

Super Mario 64 | O port em 60 FPS feito por fãs

Jogos como Mario Kart 64 possuem problemas na renderização de alguns gráficos (como os telões de algumas pistas), Ocarina of Time precisa de uma constante troca de filtros para fazer a Lens of Truth funcionar e alguns outros simplesmente não rodam bem, como a maioria dos jogos feitos pela Rare.

Mesmo alguns emuladores modernos, como o paraLLEl, não conseguem 100% de fidelidade em reproduzir a maneira que o N64 funciona.

Pode parecer perfeccionismo, mas para recriar algumas experiências, realmente se faz necessário atingir um certo nível de precisão que até então não tínhamos conseguido atingir.

Paralelo a isso, alguns programadores desenvolveram técnicas de engenharia reversa e aplicaram isso ao jogo Super Mario 64. E como funciona? De forma bem leiga, é mais ou menos assim: Pegam a rom do jogo (a mesma que você abre no emulador pra jogar) e jogam num software de interpretação que consegue extrair o código-fonte do game, o mesmo usado pela Nintendo para compilar e gravar no cartucho.

Complicado? Então pensem da seguinte forma: imagina que o que esses caras estão fazendo é pegar um prato super-requintado de um restaurante finíssimo e ao invés de só comerem sem saberem como aquilo foi feito, eles simplesmente jogam a comida num saco, sacodem e tiram de dentro dele todos os ingredientes separadinhos, com a quantidade certa e com a receita do lado, para que você mesmo possa refazer o prato em casa depois.

Vantagens do port em relação a emulação

Super Mario 64 | O port em 60 FPS feito por fãs

Ainda usando a analogia acima, podemos imaginar que, se você tem a receita do prato, é possível fazer melhorias nele, ou pelo menos modificá-lo ao seu gosto, certo?

Com isso, os programadores estão conseguindo melhorar coisas no jogo original e atualizá-lo para os dias de hoje da melhor forma possível, com coisas como:

  • Melhor framerate: é possível jogar o game agora em 60 FPS, inimaginável no N64!
  • Tela Widescreen: Agora o jogo roda em 16:9, sem esticar nada, assim como jogos atuais;
  • Câmera livre: agora é possível controlar a câmera livremente com o mouse ou o segundo analógico. A câmera original ainda está disponível nos botões digitais do controle (caso esteja jogando o port para Switch);
  • Distância maior de renderização: agora a maior parte da fase, incluindo inimigos e itens pode ser vista à distância, o que gera cenas bem bonitas quando se está em lugares altos do cenário.

Diversas Correções

Super Mario 64 | O port em 60 FPS feito por fãs

Além disso, temos diversos bugs corrigidos, como a fumaça de alguns inimigos que não era renderizada corretamente, alguns sons que não eram reproduzidos mesmo estando no código do jogo e até a possibilidade de mods, como mudar as texturas do jogo ou até mesmo trocar o modelo do Mario por um com mais polígonos.

Tudo isso sem comprometer a velocidade ou criar novos bugs.

Até a data de publicação deste post, a versão do port para Nintendo Switch está em sua versão V7, porém eles estão constantemente modificando e atualizando o game para rodar melhor.

Concluindo

Super Mario 64 | O port em 60 FPS feito por fãs

Eu mesmo acabei de zerar este Super Mario 64, o que significa que o jogo inteiro roda sem maiores problemas, tirando algumas cutscenes onde suas animações acabam rápido demais, devido ao jogo não ter sido programado originalmente para 60 FPS, mas é bem provável que isso seja corrigido em breve.

LEIAM – Coronavírus | Games para jogar durante a Quarentena

Infelizmente, para jogá-lo no PC você terá que fazer uns corres, pois a Nintendo já mandou deletar tudo relacionado a essa versão e até ameaçou os caras de processo.

Ainda é possível encontrá-lo em torrents. A versão para Switch é até mais acessível pelos subreddits da vida, porém é necessário ter um console desbloqueado.

Se já é difícil comprar um console novo por esse preço bárbaro que estão vendendo hoje, imagina ter um desbloqueado… mas enfim, se você é um sortudo que já tem um, recomendo fortemente que dê uma chance a essa versão, pelo menos até a Nintendo tomar vergonha na cara e produzir seu próprio remake HD.

— Esse review foi feito com… uma versão pipiptchu do jogo para Nintendo Switch.

Super Mario 64 | O port em 60 FPS feito por fãs

Super Mario 64 | O port em 60 FPS feito por fãs

Super Mario 64 | O port em 60 FPS feito por fãs

Author: Tony Santos

Proto-engenheiro eletricista, amante dos bons jogos e crítico incondicional de coisas que eu não gosto.