Quando DOOM chegou aos consoles da nova geração em 2016 de maneira grandiosa, pois todos nós havíamos sido capturados por seu trailer exibido durante a E3 2015.

Oras, não tínhamos um jogo do franquia desde 2004, logo um “reboot” era algo que não esperávamos mas que ansiávamos em nosso intimo, afinal, será que havia espaço para um jogo como esse nos dias de hoje?

Pra nossa sorte sim, porque o jogo foi muito bem recebido e ainda nos surpreendeu com uma sequencia que realmente ninguém esperava.

LEIAM – PREY |  Impressões das Primeiras Horas

DOOM ETERNAL chegou no dia 20 de Março aos consoles e PCs, com tudo aquilo que esperava e muito mais.

Mostrando a todos que franquia não só tem muita lenha para queimar, como ainda consegue dominar o gênero que cunhou na industria e reformular ela de maneira unica.

Mas chega de enrolação, pegue sua shotgun e munição, pois vamos direto a inferno com Doom Slayer.

BEM-VINDO AO INFERNO NA TERRA

DOOM Eternal | Encerrando a Geração com Chave de Ouro

DOOM Eternal poderia facilmente se manter preso a mesma formula do seu antecessor de 2016, mas parece que a id Software em conjunto da Bethesda decidiram elevar a ultima potencia.

O Cara-do-Doom até ganhou Fortaleza da Destruição, focada em rastrear atividades demoníacas pra chutar bundas e que guarda itens colecionáveis e desbloqueáveis.

LEIAM – PREY | Traições, Memórias perdidas e Horror

Isso permite que o personagem tenha um local para voltar ao término de cada missão, de modo que possamos organizar o próximo passo ou mesmo melhorar as habilidades e até ir tomar uma água com açúcar.

Um ponto que merece elogios é o fato de que todos os títulos recente da Bethesda estão localizados e dublados em português. Com DOOM Eternal não foi diferente e está muito boa.

A trilha sonora é fenomenal, casa perfeitamente com a velocidade e ação do jogo. Riffs pesados embalam todos os momentos de combates de modo que nos deixa extremamente agitado. Não poderia ter acertado mais nesse aspecto.

COMEÇANDO DE ONDE PAROU

DOOM Eternal | Encerrando a Geração com Chave de Ouro

Os eventos de DOOM Eternal acontecem após os eventos do jogo anterior, exatamente no momento em que a terra está sofrendo com a invasão demoníaca.

Só que ao invés de apenas tentarmos impedir o ataque, dessa vez descobriremos mais sobre as origens do personagem e entender melhor seu papel na história enquanto destroçamos todos os demônios que encontrarmos pelo caminho.

Tudo isso é contado por meio dos diversos códices espalhados pelos cenários. Claro, talvez você só queira sair por ai matando sem se importar com o que tenha levado aos eventos ou origem do personagem, mas está tudo lá e você consegue ler ao pausar o jogo e acessar a aba de códices no menu.

DOOM SLAYER GANHOU NOVOS PRESENTINHOS

DOOM Eternal | Encerrando a Geração com Chave de Ouro

Doom Slayer agora conta com uma lamina retrátil que o auxilia durante o combate, para ser preciso, apenas nas execuções gloriosas. O que garante um banho de vísceras na nossa cara.

Um outro elemento também incluso foi o uso das granadas e lança-chamas, a diferença é que elas possuem variações e necessita de um bom uso para gerar vantagem durante o combate.

No caso o lança-chamas quando usado faz com que o inimigo fique em chamas e comece a dropar escudos, enquanto a grana possui uma variação entre gelo, que pode paralisar o inimigo por um curto período de tempo e a grana convencional que solta estilhaços.

Então você me pergunta: Mas cade aquela espada que o personagem parece segurando?

No caso ela se chama Crisol e você só vai adquiri-la quando estiver bem avançado no jogo. É uma arma extremamente poderosa e que pode matar qualquer inimigo com apenas um único golpe, porém, ela conta com recargas e cada golpe gasta um ponto.

Podemos dizer que o Crisol equivale a BFG9000 em termo de poder, com a diferença de ser uma arma de ataque corpo-a-corpo.

NOVAS HABILIDADES

DOOM Eternal | Encerrando a Geração com Chave de Ouro

As runas e variações das armas estão presentes no jogo, até mesmo uma arvore de habilidade só para a armadura e o lança-granada.

Só que a mudança mais drástica seja o elemento de plataforma, incluso a ele existe opção de melhorar o desemprenho e estabilidade de controle no ar na hora de saltar, atirar e escalar.

Na realidade tudo o que precisa ser feito tende a brilhar – Olha a dica, aproveitem – só que na hora de tentar coletar alguns dos sinais de interrogação ou vidas extras, você precisará vasculhar pelo cenário e até realizar alguns desses puzzles.

Também temos uma arvore de habilidades para ir desbloqueando com os pontos ganhos durante a jogatina. Há pontos de armas, armadura e duração de efeitos causados por granadas e até mesmo tempo para execução.

Nesse aspecto o jogo buscou equilibrar bastante, porque apesar de não ser essencial você desbloquear tudo para avançar, ao menos vai facilitar um pouco a sua vida durante os combates.

ONDE REINA O CAOS

DOOM Eternal | Encerrando a Geração com Chave de Ouro

DOOM Eternal tem inimigos que causam uma dor de cabeça tremenda, talvez o Marauder (Localizado como Saqueador) seja o pior deles.

Ele é capaz de atacar de longa e curta distancia, além de invocar um lobo de energia que fica nos perseguindo, o que torna um combate com ele sempre um tanto frustrante.

Mesmo que determinados inimigos tenham fraquezas a determinadas armas, ele ainda porta um escudo e corre pra diabos.

Para derrotá-lo efetivamente é preciso focar no brilho dos seus olhos.
Chega a ser poético, mas não se engane, realmente é trabalhoso lidar com a horda diabólica quando se tem o Marauder fungando em nosso cangote.

Há muitos outros, mas esse dai fez por merecer o destaque na análise.

NÃO SÃO SÓ DEMÔNIOS QUE ESTÃO INVADINDO

DOOM Eternal | Encerrando a Geração com Chave de Ouro

Todos nós já ouvimos algumas vezes que os jogos modernos tendem a ser fáceis demais, e os reconhecido como difíceis normalmente seguem a fórmula Soul like, certo?

DOOM ETERNAL chegou para mudar esse esteriótipo ao apresentar um gameplay rápido e que exige tomadas de decisões acertadas caso você queira continuar sobrevivendo.

Durante os combates você não tem muito tempo para pensar, porque está sempre correndo, e isso implica em tentarmos fazer uso do que surgir em sua frente.

Só que o jogo também permite que outros players possam invadir sua partida durante os combates, e diferente da IA, os invasores conseguem atrasar ainda mais a nossa vida, principalmente quanto são áreas de totem que fortalecem os demônios.

Não importa se você desbloqueou todas as habilidades do personagem, você vai morrer muito em algumas situações e isso é bom, pois lhe dá tempo para buscar outra forma de eliminar ainda mais depressas os inimigos que tendem a suportar mais dano.

UM MAPA RECHEADO DE SEGREDOS

DOOM Eternal | Encerrando a Geração com Chave de Ouro

O mapa é muito grande e mostra tudo o que te espera adiante, claro que com suas limitações. Mas depois que você desbloqueia certas habilidades você tem uma visão geral do mapa todo, inclusive os segredos, áreas de desafios e pontos onde você vai ter que encarar hordas para avançar na história.

Isso possibilita que possamos decidir se exploraremos mais onde estamos ou vamos deixar aquele ponto para explorar outra hora, afinal, o jogo possibilita que você retorne as fases por meio de um seletor no menu principal.

É uma mão-na-roda para quem gosta de fazer os 100% em jogos.

Por outro lado preciso falar sobre os disquetes, outros do segredo do jogo mas diferente dos colecionáveis, esses daqui são cheats que dão vida infinita entre outras habilidades ao Cara-do-Doom. Único porém é que você não poderá realizar os portões de desafios para conseguir pontos de armas.

Há vidas extras também espalhadas pelo cenário, além de pontos de armadura para serem coletadas, mas tudo bem escondido.

PRA FECHAR A GERAÇÃO COM CHAVE DE OURO

DOOM Eternal | Encerrando a Geração com Chave de Ouro

DOOM Eternal é um perfeito exemplo daqueles jogos que conseguem superar a obra que o originou, digo isso me referindo a titulo de 2016, calma.

Ele certamente não vai agradar a todos, até porque é uma tarefa impossível, mas ele pega todos os pontos positivos do jogo anterior e busca transformar em uma versão mais refinada e maior.

Podendo se gabar de ser um raro caso de FPS onde o elemento plataforma é tão importante. E isso é uma maneira de justificar as fases longas, onde determinadas áreas só são alcançados por meio de escaladas e saltos

LEIAM – Motion Sickness (ou Cinetose) e a influência nos games

Para nossa sorte há pontos de controle para não retornarmos ao início do jogo, e até isso foi bem pensado, pois a dificuldade está lá, pode ser reduzida, mas não vai ser o suficiente para não lhe oferecer um desafio.

Diferente de outros jogos moderno que buscam focar mais na narrativa do que no gameplay, DOOM Eternal não deixa a narrativa de lado e ainda busca focar exclusivamente no gameplay.

Podemos dizer que esse jogo surgiu para encerrar a 8º geração de consoles com chave de ouro.

CONCLUSÃO

DOOM Eternal | Encerrando a Geração com Chave de Ouro

DOOM Eternal é disparado um dos melhores jogos dessa geração e não falo isso só pra nadar na boa onda em que o jogo vem surfando.

Mesmo jogos mais famosos possuem os seus problemas, e no caso desse aqui eu só conseguiríamos reclamar da dificuldade ou de alguns momentos dedicados a plataformas, mas ainda assim estaria sendo injusto

Não me entendam mal, eu não sou versado na franquia, então longe de mim querer afirmar que esse é melhor que o clássico ou vice-versa, até porque o objetivo aqui é compartilhar a minha experiência com o titulo.

O que foi um baita carrossel de emoções pois quando comecei a jogar, eu temia me deparar com um game que estivesse muito além das minhas habilidades no controle, mas a medida que entendia a proposta e enxergava todas as ferramentas a disposição eu venci e avancei o suficiente para enxergar todas as qualidades contida nessa obra.

DOOM ETERNAL é incrível, divertido e com certeza uma das mais belas obras já lançadas até o momento. Eu realmente não gosto de rasgar tantos elogios, mas fica difícil apontar detalhes que não interferem na experiência só pra reduzir a obra.

Talvez o artigo tenha ficado um pouco longo, mas o jogo base oferece muita coisa para se falar.  Acho que não vejo outra forma de encerrar esse artigo senão com um alto e bom:

DOOM Eternal | Encerrando a Geração com Chave de Ouro
ALL HAIL DOOM!

EDIT:

Depois de DOOM 3 em 2004, tivemos Resurrection of Evil em 2005,  e depois com a BFG Edition aparecendo em 2012. DOOM 3 inclusive ganhou um último episódio The Lost Mission. E o DOOM 2 também ganhou um novo episódio: No Rest for Living.

Uma curiosidade é que DOOM 4 era prometido para 2008 mas nunca aconteceu. Foi só após a ZeniMax sendo absorvida pela Bethesda que DOOM 4 saiu em 2016 apenas como DOOM e bebendo da fonte que originou Brutal DOOM.

Vale ressaltar que o criador de Brutal DOOM, o grande Seargent Mark IV é brasileiro e hoje trabalha para a id Software.

Depois de DOOM (2016), The Ultimate DOOM ganhou o episódio 5 feito por seu criador, John Romero. Hoje esse episódio está disponível para todos os consoles.

Joguei com um controle ao invés de Mouse e Teclado em um Xbox One Fat.

O jogo foi analisado com uma chave digital cedida pela Bethesda

Author: Diogo Batista

Criador e Editor-Chefe do Arquivos do Woo, é um eterno rabugento. Opta por investir seu tempo entre games, filmes, livros e sua família à perder tempo discutindo na internet.