5 Motivos para você comprar um Mega Drive - Arquivos do Woo

5 Motivos para você comprar um Mega Drive


Porque será que demoro tanto para retornar a escrita de artigos assim? Oh, sim, porque a lista de jogos está muito grande e o tempo curto. Bem, mas é sempre muito relaxante voltar a elaborar alguns motivos para adquirir consoles antigos.Não que você realmente precise fazer isso, mas fica ai a sugestão caso esteja pensando sobre isso.

No último artigo eu abordei um dos meus consoles favoritos da SEGA, o Dreamcast. A publicação foi em maio do ano passado, mas eu sinto como se tivesse sido ontem. De qualquer modo hoje eu abordarei outro console dessa empresa que causou boas dores de cabeça a Nintendo. 

Falaremos do Mega Drive, um console que passou de maneira rápida em minha vida, mas o suficiente para me impactar pelo resto dela.

É quase impossível não conseguir um Mega Drive por um preço bacana, principalmente agora que existem círculos retrogames. Claro, devemos ignorar alguns vendedores do Mercado Livre e OLX. Descobri recentemente que existem alguns grupos de troca e venda onde os preços são relativamente altos, isso quando não fogem a realidade e caem no ridiculo: "Extremamente raro. Este item é apenas para quem quer agregar coleção"

Eu devo tá repetindo isso desde o meu primeiro artigo, mas é sempre bom reforçar, porque tem gente ai vendendo cartucho por preços exorbitantes. Creio que o cartucho mais caro que topei até agora, custava uns 8 mil reais. Um absurdo. Mas calma, por sorte o mundo ainda não foi tomado por esses doentes e você consegue encontrar um Mega Drive em bom estado por um preço justo, coisa de 100 reais pra baixo.

Quem se interessar, também temos a alternativa do Mega Drive que foi relançado pela TecToy. O preço alterna entre 359 a 270 reais e pode ser facilmente encontrado em lojas como Casas Bahia e afins. O console sofreu muita critica após seu lançamento por uma parte do publico, mais por conta de uns problemas com o chip de som do aparelho, mas usuários criaram uma atualização e a distribuíram de maneira gratuita pela internet.



Como qualquer console já antigo, em algum momento ele vai precisar de manutenção e isso pode ser sanado facilmente. Há varias pessoas pela internet que realizam esse tipo de manutenção hoje em dia, e se isso for um impedimento, você vai lá e compra outro por um preço em conta. Como citei acima existem diversos grupos onde se encontram o console por preços ótimos, além do serviço de manutenção. 

De qualquer modo, deixo a indicação do meu amigo Massao Japanice (Basta clicar no nome), que faz manutenções em consoles clássico. Ele não só faz um ótimo trabalho, como também só cobrará o justo. Eu recomendo fortemente.


Não há muito do que falar sobre o joystick do Mega Drive, além de não que é um dos melhores para se jogar jogos de luta. Apesar de isso ser questionável, no caso de você não ter tido tanto contato com a plataforma. O controle tenta replicar a disposição do controle arcade, assim tornando a experiência de quem veio dos fliperamas muito mais satisfatória.

Eu particularmente acho lindo mas nunca me dei muito bem na hora de jogar games de lutas. O fato do meu contato com o Super Nintendo ter sido muito maior do que com o console da SEGA influenciou nisso, mas de uns anos para cá venho me adaptando.



Resultado de imagem para Genesis does what nintendon't

Eu não sou um exímio conhecedor da plataforma da SEGA, mas o pouco tempo que tive o console durante a  minha infância me marcou o suficiente para nutrir um grande carinho e buscar adquirir o console nos dias de hoje. 

Tive contatos com jogos que pareciam muito mais maduro do que eu havia visto na Nintendo e isso causou certo impacto na maneira como passei a enxergar o Mega Drive, e por essa razão vou listar  os títulos que se tornaram uma das razões pela qual passei a gostar tanto desse console de 16 bits da SEGA.

A começar por esse que é disparado um dos meus favoritos:

Imagem relacionada

Splatterhouse 3 não só é o jogo que me permitia jogar com um clone do Jason, mas como também eu podia trocar socos e me transformar em uma versão Stallone dele. Lembro que fiquei bem chocado com o quão macabro o jogo era para aquele tempo. 

Oras, tem uma mão do capeta apontando pedindo para eu avançar, além de fetos um ursinho possuído por um dos primos do demônio, pentagramas e tudo mais que faria um jovem religioso perder o sono. É um jogo que estava totalmente fora do que havia visto antes no Master System e Super Nintendo. Meus pais são fascinados pelo gênero de filme de horror, então passei a acompanhá-los cedo e isso tornou esse titulo extremamente atraente.

Resultado de imagem para Gif splatterhouse 2
Isso aqui é Splatterhouse 2.
Por sorte na locadora onde eu alugava eles possuíam o segundo jogo, que na minha opinião é o melhor da trilogia. Com um clima mais sério do que seu sucessor, além de icônicas batalhas com monstros extremamente grotescos. Para ter uma ideia, na batalha final eu lembro de ter passado o controle a um amigo para fechar pois minhas mãos não paravam de tremer de nervoso.

Splatterhouse 2 e 3 são jogos que merece ir para coleção de qualquer amante do Mega DriveInfelizmente não tenho os cartuchos hoje em dia, mas é uma das minhas metas de aquisição para o console.

Passei a gostar tanto de Splatterhouse que até mesmo o remake eu joguei e me diverti bastante, apesar de não ser considerado um bom jogo, quem diria.

Imagem relacionada

Sonic 2 foi o meu primeiro contato com o ouriço-azul e lembro como se fosse hoje. Estava na casa de um colega, o Zé Japa, responsável por derrotar o boss final em Splatterhouse e o cara que me mostrou que Sonic podia se transformar em super sayajin.

A experiência de jogar Sonic 2 foi muito divertida, a começar que tudo era tão rápido que soltávamos gargalhadas sempre que alguém perdia o controle do Sonic e caia nos espinhos ou não desviava a tempo dos inimigos. O foco naquele dia ficou pela transformação do personagem, ficamos loucos e queríamos o tempo todo coletar 50 argolas para vê-lo se transformar novamente.

Quando adulto, logo após adquirir um emulador portátil, Sonic 1 & 2 foram devidamente terminados. O 2 continuou sendo o meu favorito, mesmo com Sonic & Knuckles sendo tão divertido, mas esse aqui não perdeu o posto. É compra garantida para o meu novo Mega Drive III - É só questão de não cobrarem um rim.

Imagem relacionada

Shinning Force II é facilmente o meu primeiro contato com o gênero estratégia de tabuleiro, além de ser um dos que mais me frustrou. To até hoje na esperança de finalizar algum titulo da franquia que não são nem um pouco amigáveis com o jogador, pois suas batalhas são demoradas e vai exigir do jogador.

Claro, o jogo é constituído por um trilha sonora maravilhosa e personagens muito carismático. Creio que esses pontos acabam sobressaindo o tempo gastaremos no longos combates.

Não sei se isso possa ter sido um fator decisivo para a franquia ter caído no esquecimento, afinal, hoje em dia com os milhares de lançamentos mensais á um clique do cartão de crédito, faz com que se dedicar muito tempo a um único jogo seja algo um tanto difícil para o jogador moderno.

Eu não to dizendo que é regra geral, gente, existem muitas pessoas no mundo compartilhando do mesmo gosto para vocês estourarem hemorroidas com a minha opinião.No caso to levando em consideração que muitos jogos de hoje em dia populares possuem um tempo de campanha muito pequeno, coisa que um Shinning Force ultrapassa facilmente.

Shinning Force II é um titulo que se você gosta de RPG e desafio, pode tranquilamente encontrar ambos em um único cartucho e vai te garantir horas de diversão.

Resultado de imagem para Decapattack

DecapAttack eu só fui conhecer depois de velho por meio dos emuladores, gostei tanto do que personagem que cheguei a colocá-lo em uma lista com os heróis mais legais dos videogames.

O personagem Chuck D. Head atira seu cranio nos inimigos e até ataca com mordidas provindas de sua barriga. É um jogo de plataforma super divertido e com uma cara toda unica. Não irei entrar no mérito de que se trata de uma versão repaginada para o ocidente de um jogo japonês chamado Magical Hat no Buttobi Tabo! Daibōken, porque gosto muito mais do design desse aqui.

Eu tive o cartucho, só que infelizmente precisei vendê-lo alguns anos atrás, me arrependo, mas tenho planos de adquirir novamente para a coleção.


Eu tenho boas lembranças com o Aladdin do Master System, até porque o console de 8 Bits da SEGA foi meu primeiro contato oficial com videogames em casa. Só que é fato de que a versão do Mega Drive não só é a mais bonita como também a unica em que Al porta uma espada.


Muito desse lance da espada se deve a postura da SEGA para vender um console voltado aos adolescentes rebeldes sem causa. O que é ótimo, pois ganhamos um excelente jogo aqui, quase uma animação controlável.

Oh, que tempos gloriosos em que a Disney nos proporcionava jogos tão bons de suas franquias. Não preciso reforçar que esse jogo é um must buy do console, né?


Castlevania Bloodlines é sem duvida um dos meus jogos favoritos da franquia - Apesar de brigar bastante com Drácula X e Super Castlevania IV para ver quem fica no topo dos meus favoritos - e que ficou restrito ao console da SEGA. O que foi muito bom e agradeço por isso, pois o jogo é brutal e com violência antes nunca vista em outro jogo da franquia lançado para consoles caseiros, algo que provavelmente seria censurado se caísse nas mãos da Nintendo.

Nintendo jamais aceitaria violência, sangue, corpos sendo partidos ao meio por um chicote e etc... não não, não senhor, na casa da Nintendo não entra esse tipo de coisa.

Esse sexto jogo da franquia infelizmente foi o único a chegar a plataforma, uma pena, pois tenho certeza que poderíamos ter recebido ainda mais títulos no nivel desse aqui. Infelizmente é um jogo dificil de se encontrar por um bom preço, pelo menos o cartucho original. Há paralelos por um bom preço se você não for do tipo que gosta de certificar cartuchos para ficar cheirando e tirando foto depois.



X-Men 2: Clone Wars é o melhor jogo dos baseado nos mutantes da Marvel e ponto final, não dá para dizer o contrário. Quer dizer, até dá, mas ai é questão de gosto e eu to cagando regra aqui.

Lembrando que o anterior a esse daqui foi muito bom, mas essa sequencia é muito mais bonita, além de que termos diversos personagens a disposição e seus poderes. Nada de meia lua e soco ou qualquer combinação estranha. É possível jogar em até duas pessoas, pra dar uma amenizada, pois o jogo é dificil, acredite.

Não posso deixar de lembrar que é possível controlar Magneto, após desbloqueá-lo mais a frente da história, além de ser possível revezar. Oras, que jogaço temos em mãos. SEGA mandou bem demais aqui. 


É um jogo que vale muito a pena se ter na coleção. Um dia quando não custar 1000 conto eu compro o original.



Eu sei que muitos olham para outros jogos da SEGA, mas KID CHAMELEON é o jogo que sempre me vem a mente quando falamos do Mega Drive. Tive ótimos momentos com esse jogo gigantesco ao lado da minha família. Fins de semanas foram dedicados a tentativa de finalizar o jogo, sempre sem sucesso.

Cada nova transformação do personagem era recebida com alegria e surpresa por meu pai, minha mãe, meu irmão e eu. Meu velho principalmente que queria terminar o jogo a qualquer custo. O jogo claramente é um dos mais querido de todos os tempos nessa lista, não só por ser um ótimo jogo, mas também por estar carregado por esses momentos gostosos em família.



Eu poderia citar mais jogos, mas como disse alguns parágrafos atrás que iria listar só os que realmente me marcaram com a plataforma da SEGA. Dito isso abrirei espaço para falar de um livro que li alguns anos atrás e que fiquei de produzir um artigo só para ele, então irei aproveitar e falar um pouco sobre ele aqui.

A Guerra dos Consoles foi um dos livros mais incríveis que li sobre os bastidores da guerra entre Sega e Nintendo. Eu terminei a leitura chocado com tudo o que rolou e como o marketing é importante para uma empresa que lida com entretenimento. Tom Kalinske e sua equipe conseguiram um feito que deixou uma marca na história dos jogos eletrônicos, que foi virar um jogo praticamente perdido.

Sei que muitos pontos são questionados nos dias de hoje, tanto que há um livro que conta o lado da Nintendo dessa guerra, além de focar mais nas figuras importantes da Big N. Outro livro que quero trazer artigo dedicado a ele aqui no site.

Se você gosta da SEGA e gostaria de saber mais a fundo tudo o que acontecia nela durante a guerra de consoles, por favor, se dê esse presente comprando o livro. É leitura obrigatória a todo amante de videogames e seguistas.


Eu apontei diversas razões para se adquirir um console e ir atrás dos cartuchos, mas, estamos vivendo um momento em que suas empresas estão revivendo os consoles em suas versões mini e de modo que possa rodar em ótima qualidade e com resolução alta nas TVs modernas. O que os torna uma ótima alternativa para quem está pensando em economizar e não se importa em ter os cartuchos físicos.

Já cogitei ir atrás desses pequenos emuladores licenciados, acho que são interessantes para quem quer optar gastar menos e ainda ocupar menos espaço na estante. Colecionar significa ocupar espaço, e nos dias de hoje é algo que sinceramente vem reduzindo a medida que começamos a comprar mais e mais consoles. Oras, olha os everdrive fazendo um baita sucesso ai.

Escrever artigos como esse é sempre muito prazeroso, então deixo claro que independente se você emula ou não, o que importa aqui é a experiência que você está tirando ao revisitar clássicos imortais. O que não nos falta nos dias de hoje são formas de ir atrás de diversos títulos e resgatar, mesmo que por um curto momento, aquela magia do passado.

Espero que tenham gostado do artigo e até a próxima.

0 comentários:

Postar um comentário