Dead or Alive Xtreme 3 Scarlet | Waifus, Praia e Waifus - Arquivos do Woo

Dead or Alive Xtreme 3 Scarlet | Waifus, Praia e Waifus


Quando foi a última vez que escrevi uma análise? Vish, no começo de março. Pois é, e pra escrever essa aqui eu enrolei muito, mas muito mesmo. O motivo? Bem, além dos outros artigos que escrevi, tenho trabalhado no meu quarto livro há pelo menos um mês (E tive que reescrevê-lo porque o arquivo corrompeu e eu não tinha um backup) e tenho feito speedruns.

Mas enfim, chega de reclamar da minha vida e vamos ao que interessa. Dead or Alive Xtreme começou lá atrás, no primeiro Xbox, quando a Microsoft queria agradar o público japonês  e fez acordos para exclusividades com algumas publishers, foi assim que tivemos Dead or Alive 3, 4, Ninja Gaiden, Ninja Gaiden Black e Ninja Gaiden II em consoles da casa do Tio Bill Gates.

Dead or Alive Xtreme Beach Volleyball era um spin-off ambientado numa ilha tropical e estrelado pelas meninas de Dead or Alive em biquinis. O jogo fez sucesso porque tetas vendem (e o jogo era divertido, sim) e a sequência Xtreme 2 foi lançada no Xbox 360, trazendo as tetas para a gloriosa resolução HD. Depois que a terminou o contrato de exclusividade com a Microsoft, a Tecmo portou o Xtreme 2 para o PSP, entitulado Dead or Alive Paradise.



Anos depois, a Koei Tecmo e o Team Ninja resolvem ressucitar a série de spin-off com Dead or Alive Xtreme 3 Fortune (PS4) e Dead or Alive Xtreme 3 Vênus (PS Vita), e haviam planos pra trazer o título pro ocidente, MAS... Aparentemente, garotas de biquini na praia é tremendamente ofensivo, enquanto que você espancar uma mulher na porrada até ela LITERALMENTE explodir não é, então os planos de trazer o título pra este lado do oceano foram abortados. Ainda assim o título podia ser aproveitado em inglês, caso você importasse a versão asiática que possui legendas em inglês, como muitos jogos lançados na região (mas que não saíram desse lado do oceano).



E no ano passado, foi revelada a versão revisada de Dead or Alive Xtreme 3, intitulada Dead or Alive Xtreme 3 Scarlet, saindo no dia 20 de março para PlayStation 4 e Nintendo Switch e vamos ver se vale a pena se aventurar a pegar essa versão?

A história (sim, ele tem história,  pois é), é que algum tempo depois da Zack Island ter sido destruída pela erupção de um vulcão (yep, Zack construiu um resort paradisíaco numa ilha COM A PORRA DE UM VULCÃO), ele adquiriu uma nova ilha e construiu um novo resort (aparentemente ilhas são tão baratas que se adquire no atacado assim, e me pergunto se a Nintendo Power sorteou a ilha que prometeram em uma edição do começo dos anos 90), porém ele não tem como ficar lá cuidando dos negócios, pois está fazendo outra coisa (spoilers: é o sexto torneio Dead or Alive), então ele deixa a ilha NO SEU CUIDADO. Nisso, por diferentes razões, cada uma das garotas chega na ilha para passar duas semanas lá de férias, e é isso.



O jogo é um híbrido do que já havia nos jogos anteriores (atividades esportivas, casino) e date sim. Sim, se você leu meu guia como ser gado d+ e agradar as waifus, sabe que elas tem um nível de satisfação e para conseguir o melhor rank, é necessário fazer algumas coisas.

Cada dia (com exceção do primeiro) é dividido em quatro partes, manhã, tarde, anoitecer e noite. E nessas partes (com exceção da noite), você pode fazer uma ação ativa e um sem número de ações passivas. Deixe-me explicar o que na prática seria uma ação ativa e uma passiva.



As ações passivas, são aquelas que não causam a passagem do tempo, ou seja, comprar itens, seja na loja de esportes ou na lojinha do zack, “tocar” algum instrumento ou consumir algum alimento/bebida. Já as ações ativas causam a passagem do tempo, resumindo, qualquer atividade esportiva, ou relaxar, ou interagir com outra pessoa (presenteando-a ou pedindo para fazer par com ela).

Ah, sim. Esqueci de explicar. Após você escolher a personagem com quem irá jogar, uma parceira aleatória será definida pra você, podendo aceitar ou não a pessoa. Só lembrando que o vólei de praia exige que você tenha uma dupla.



No período da noite é diferente, e no quarto do hotel, você pode enviar presentes para as outras meninas (incluindo sua parceira), ir ao casino ou interagir com a personagem, presenteando-a no Modo do Proprietário (vulgo Owner Mode).

Explicando o que é o Owner Mode. Basicamente ele é o lado date sim do jogo, com você jogando no papel do gerente da ilha, apontado por Zack, e sua missão é tornar a estadia da garota escolhida, a melhor possível. E isso é feito, alternando entre o modo de proprietário e o modo com a garota, cumprindo missões específicas que estão sempre no topo da tela. Conforme se cumpre as missões, o nível de satisfação dela vai aumentando e caso chegue no máximo, ela vai aceitar alguns biquinis que de outro modo ela não aceitaria.

Agora que já expliquei basicamente como o jogo é, falo de como funcionam as atividades do jogo. A principal, que solidificou DoA Xtreme, é o vôlei de praia, e ele é simples de se jogar, sabendo como funcionam os botões (Círculo pra defesa, Quadrado pra levantar e X pra atacar). O posicionamento no seu lado é simples, e tudo é explicado pelo tutorial do jogo (e ainda assim, Zack te dá algumas dicas pra melhorar, como timing e melhor aproveitamento).



A segunda atividade que mais aparece em cenários é o pega-bandeira (Beach Flags), onde você e sua adversária estão em um ponto da praia e devem apostar corrida pra ver quem pega a bandeira primeiro. É ultra simples, quando o Go! é dito, você deve apertar o X diversas vezes, tendo que correr mais rápido que sua adversária, e no momento certo apertar o círculo pra pegar a bandeira.

Temos a escalada, que é basicamente um quick time event pra subir um paredão de pedra, nenhum segredo. E na piscina temos três atividades diferentes, a de atravessar a piscina pulando de um bloco ao outro, que pode ser feita sozinho ou contra uma adversária. Ela testa sua noção de distância, com os blocos próximos um do outro precisando de um toquinho no botão, enquanto que blocos distantes é necessário que aperte e deixe pressionado o botão por um tempinho. 

O cabo de guerra é auto explanatória, use o cabo de guerra pra derrubar sua adversária na água três vezes, seja puxando o cabo ou afrouxando a pegada (se você afrouxar e ela puxar, ela vai puxar o cabo caindo na água). E temos a BATALHA DAS BUNDAS (desculpem, tive que escrever em caps), no qual você deve derrubar a adversária na água três vezes, usando sua derrier. É simples, mas nas dificuldades Normal e Hard vai dar trabalho.



E no casino, temos três jogos básicos, Roleta, 21 (vulgo Black Jack) e Poker. Eles são auto explicativos, não perderei muito tempo com eles.

Cada garota tem uma lista de objetos que gosta e não gosta, sejam alimentos ou biquinis, ou bolas de voleibol. Então, se você quer vestir a sua garota com AQUELE biquíni, você vai ter que preparar terreno fazendo as missões até chegar aos quatro corações. E uma coisa, por tudo que é mais sagrado da sua jogatina, NÃO ABRA os olhos antes da menina terminar de se vestir, e se abrir com ela trocada, mas em posição envergonhada, NÃO TIRE FOTOS. Experiência própria.



Os gráficos são lindos. Eles mantém a estética da série, se não me engano são os mesmos modelos do DoA 5 Last Round, e os biquinis são dos mais variados, desde alguns comportadinhos até outros que eu me pergunto como aquilo não cai. Inclusive, pra incentivar o fator replay, existem biquinis que estão na Owner Store e só podem ser adquiridos por um tempo limitado, eles ficam rotacionando toda semana.

Aliás, o jogo possui um sistema de bronzeamento. Ao longo dos 14 dias, as meninas vão pegando um bronze, que fica evidente quando você troca de biquíni (ou as outras meninas), gerando momentos engraçados, como a Marie Rose com a região do peitoral branca e o resto do corpo bronzeado, porque trocou de biquíni.

Aqui entram minhas reclamações quanto ao jogo, uma é que os tecidos não possuem densidade... (Como assim, Sancini? Explica) Bem, como posso dizer, em algumas poses, seja por efeito do vento ou movimentação da personagem, partes do corpo passam pela roupa  como se ela não estivesse lá. É besteira, mas me incomoda um tico. Depois, temos o número de garotas: Apenas 11, duas a mais que o DoA X3 Original, mas menos que o Dead or Alive Xtreme Vênus Vacation de PC, as garotas do X3 original foram escolhidas por votação do público, o que significou que dependendo da situação, personagens icônicas da série, como Ayane e Kasumi poderiam ter ficado de fora. Das adicionadas, Misaki veio do Venus Vacation e Leifang era a décima colocada na votação. E nas garotas novas, entra a minha reclamação: As animações de relaxar delas... São basicamente um misto das animações das outras garotas, o que é preguiçoso, pois as animações foram muito bem capturadas, dando a cada garota uma identidade única.



A música do jogo é relaxante. Sério, você pode ouvir a música de Dead or Alive Xtreme 3 pra tipo, estudar ou relaxar. Claro, elas começam a ficar repetitivas depois de algum tempo, mas aí vamos contar que eu tenho 140 horas de jogo. A dublagem é igualmente competente, com as meninas (E Bin Shimada, que faz a voz de Zack) transmitindo diferentes sentimentos e sensações durante o jogo, seja a Kasumi, ultra satisfeita, que cantarola depois de chegar no quarto do hotel, ou a Honoka bocejando durante uma partida de poker porque você demora a fazer a jogada.

Finalizando, se você já tem a versão Fortune ou a Venus de Dead or Alive Xtreme 3, fica muito difícil eu lhe convencer de pegar a versão Scarlet, porque essencialmente são o mesmo jogo com duas garotas a mais. Agora, se você não tem o jogo, depende apenas do quanto você quer o jogo e está disposto a importá-lo ou comprar na PSN de Hong Kong ou na e-shop da região equivalente. É um jogo divertido e bonito, não vou deixar de frisar isso. Eu recomendo, mas sei que não é pra todo mundo.

Dead or Alive Xtreme 3 Scarlet está disponível para Nintendo Switch e PlayStation 4. Este review foi feito com base na versão de PS4.

0 comentários:

Postar um comentário