Dead or Alive 6 | Veloz, lindo e muito letal - Arquivos do Woo

Dead or Alive 6 | Veloz, lindo e muito letal


Ah, essa guerra cultural onde vivemos. Onde corpos femininos atraentes são errado, mas arrancar a cara de uma pessoa é certo, ou se você prefere um filme a outro, você automaticamente é um machista inseguro. Mas, deixemos minhas aporrinhações a respeito da E.V.O e de certos filmes de lado, e foquemos no hoje.


O quão difícil é esperar por um jogo? Depende do quão fã você é da franquia. Meu primeiro contato com a série Dead or Alive, foi nos idos de 2001, através do disco de demonstrações que veio junto com o Dreamcast, e continha a demo de Dead or Alive 2

Aquele jogo explodiu minha cabeça, de tão lindo que era. Mas, admito que só fui jogar o jogo mesmo por volta de 2007, 2008 quando comprei um PC com acesso a internet e pude obter por meios paralelos, a versão completa de um jogo querido da minha adolescência.

Avancemos para a E3 de 2018, quando a Koei Tecmo anuncia Dead or Alive 6, e claro, o adolescente dentro de mim que curtiu Dead or Alive 1, 2 e o 5, comemorou (mas infelizmente a Sega não anunciou Virtua Fighter 6. Fascistas!). Depois de muito esperar, finalmente DOA 6 está disponível para o público. 

Como será que ele se sai?



O roteiro de Dead or Alive 6 é meio que dividido em dois atos: A história principal, que foca na ressurreição de Raidou, pai de Ayane, e as histórias paralelas, que são entrelaçadas no sexto torneio Dead or Alive, organizado por Helena e Zack.

Infelizmente, ela não tem a duração da história de DoA 5, e é bem curta, com alguns personagens sendo não muito explorados. Você tem um pouco mais do background do jogo na seção de trívias, onde alguns diálogos dão um pouco mais de luz no que acontece. 

Uma pena que esses diálogos não foram transformados em cenas, porque deixariam algumas coisas mais tridimensionais.



Ok, admito, estou meio chateado com o fato de que a Kasumi aparece menos na história, e a Phase 4 (clone dela) foi mal aproveitada.

Dito isso, passemos pro que interessa: como o jogo funciona?

Temos como modos principais de jogo, a História, e o DOA Quest. O Modo DOA Quest basicamente são missões que funcionam como um tutorial pra lutas online, já que as quests pedem objetivos específicos (variando de combos de 10 hits, a movimentos específicos, vencer em X tempo, etc). Essas quests são importantes, caso o jogador queira desbloquear as roupas extras dos personagens.

Além disso, temos os modos Arcade, Time Attack e Survival, além dos combo challenges, coisa básica de qualquer jogo de luta... Certo?



A jogabilidade é bem básica, e veloz, como manda a franquia. Um soco, um chute, um agarrão e um botão para contra ataques, além de um quinto botão (R1/RB), que pode ajudar na abertura de combos e em contra golpes, além da execução do Fatal Blow, um golpe que causa um bom dano e pode ajudar a virar o jogo, além de alterar um pouco a aparência do oponente.

Cada personagem funciona de maneira diferente, com combos próprios e ataques diferentes. Mesmo Kasumi e Phase 4 são diferentes. Os novos personagens, Diego e NiCO se encaixam perfeitamente no roster.

Os cenários, em sua maioria, possuem transições para outras partes, ou armadilhas, ou ambos, tradição da série desde o primeiro jogo. As armadilhas podem ser desativadas, o que ajuda em alguns combos mais longos.



Graficamente, é simplesmente LINDO. Não tem outra palavra pra descrever Dead or Alive 6. Cada modelo foi feito com esmero, e (quase) todos eles são um colírio pros olhos. Sim, as personagens femininas do jogo são curvilíneas, mas os personagens masculinos são igualmente atraentes, com exceção de Raidou... A não ser que você seja atraído por meio-ciborgues de pele acinzentada.

Aliás, você já parou pra perguntar, que apesar de muitas vezes, os personagens trocarem golpes, arfarem e fazerem o escambau, mas suam nem uma gota sequer nos jogos de luta? Pois é, aqui em Dead or Alive 6, os personagens suam, a ponto de depois dos combates, pingar suor deles.



Sonoramente é bem competente, com uma mistura de trilhas anteriores (é sempre bom ouvir o tema da Helena no DoA 2) com musicas novas, que casam com os cenários e personagens. O jogo possui dublagem em inglês e em japonês, então se você prefere os Johnnys e as Jennifers ao invés dos Takeshis e das Kaorus, escolha uma que te apeteça. Eu escolhi a japonesa porque são vozes que já estou acostumado de outros jogos.

Antes de finalizar, aproveito para apontar aqui a questão do Season Pass que não deveria ter esse nome. Custando mais que o próprio jogo, ele dá acesso a 62 roupas extras + as duas personagens da SNK que serão disponibilizadas no meio do ano, mas esses itens poderão ser comprados de maneira avulsa (o que é um alívio pra quem só quer comprar uma ou outra roupa para o jogo).



Finalizando, Dead or Alive 6 é um jogo de luta bastante competente. Não deixe que a imprensa SJW te engane a respeito do jogo, falando que as personagens são fetiches ambulantes, porque honestamente, para esse povo, parece que é errado mostrar um pouco de pele, é errado você ser mulher e bonita, é errado você ser segura da sua própria sexualidade. Enfim, caso queira esperar uma promoção, espere, mas caso queira o jogo agora, não vai se arrepender, porque é um jogo de luta bastante sólido.

Dead or Alive 6 está disponível para PlayStation 4, Xbox One e PC's.

0 comentários:

Postar um comentário