No is a Four Letter World | Uma viagem de Auto Ajuda de Chris Jericho - Arquivos do Woo

No is a Four Letter World | Uma viagem de Auto Ajuda de Chris Jericho


Eu acho que deveríamos ter mais críticas de livros aqui no blog, então resolvi requentar uma crítica que escrevi pra um antigo blog publicar minha análise do quarto livro de Chris Jericho aqui.

Eu sou um fã de luta livre profissional já há algum tempo, acompanho semi-religiosamente a WWE, e vez ou outra vejo os pay-per views. De uns tempos pra cá, meu lutador favorito acabou sendo Chris Jericho, e eu meio que por osmose acabei lendo os três primeiros livros dele (A Lion’s Tale: Around the World in Spandex; Undisputed: How to Become the World Champion in 1,372 Easy Steps e The Best in the World at what I have no idea), e pretendo falar sobre eles algum dia. No ano passado, Jericho lançou seu quarto livro, e como na época eu tinha uma grana do PagSeguro sobrando, comprei uma cópia digital de “No is a Four Letter World: How I Failed Spelling, but Succeeded in life” e se você não leu o título do post, é sobre este livro que falaremos hoje.
Primeiramente, pra quem esperava um livro como os três anteriores (que eram basicamente, biografias do Jericho relatando períodos específicos de sua vida), pode começar a tirar o cavalinho da chuva. Apesar de conter histórias vividas por ele, você não vai ter a biografia de 2013-2017 de Jericho, como poderia ser, mas sim um livro de Auto-Ajuda. Pois é.

Mas, dada a mente maluca de Jericho, não é como um livro de autoajuda normal, mas sim um guia ilustrado de como alcançar seus sonhos, isso é, você tem os conselhos dele, envoltos na narrativa de suas histórias. É meio difícil de explicar, mas basicamente os capítulos são estruturados em um princípio, um resumo deste princípio, como o Jericho fez uso dele na vida, levando a uma história hilária, e por fim uma maneira de você aplicar este ensinamento da vida.

É um livro essencialmente curto (Menos de 250 páginas, de acordo com a edição digital do Kindle), e dá pra ler (se seu inglês for mediano/bom) em 1, 2 dias, mas é um tempo que definitivamente vale a pena separar pra ler as palavras de Jericho. Aliás, o livro conta com um prefácio de ninguém menos que Paul “Starchild” Stanley, que também está presente em algumas das hilárias histórias do Chris durante o livro.


No tocante a parte do wrestling, temos algumas histórias interessantes de bastidores das coisas que aconteceram desde o retorno dele em 2013, como a luta com Fandango na Wrestlemania, e algumas das coisas na Run que ele teve em 2016-2017, mas não as histórias completas, apenas uma ou outra coisa, como por exemplo, os bordões idiotas como face no retorno em 2016 (Aquele “Rooty-Tooty-Booty”) foram propositais pra encher o saco da galera até o Heel Turn onde Chris fez AJ Styles comer a camisa do Y2AJ, levando até a fantástica luta dos dois na Wrestlemania 32.

Eu queria muito poder contar mais sobre as outras histórias contidas no livro, mas não quero estragar a surpresa de quem for comprar o livro. A escrita de Chris continua afiada, e você vai se pegar rindo de diversos absurdos, como por exemplo, se esconder num banheiro antes da Yoko Ono entrar nele pra usar, ou fazer improvisações com o nome do Van Damme.

É uma resenha curta, mas diabos, é um livro curto e se você for fã do Y2J, vale a pena comprar a versão do Kindle, é uma leitura excelente e você não vai se arrepender. É uma pena que livros de wrestling não tenham mercado no Brasil, seria ótimo tê-lo nas livrarias daqui.

0 comentários:

Postar um comentário