01/10/18 - Arquivos do Woo


Olá, QUERIDÕES que visitam o ARQUIVOS DO WOO, estamos aqui numa verdadeira maratona de eventos, começando com o caro e decepcionante GameXP que aconteceu no Rio de Janeiro, dessa vez temos o maior evento de games da América Latina, a Brasil Game Show. Chegando em sua 11ª edição -- se contarmos com a Rio Game Show de 2009 --, o evento liderado pelo fluminense Marcelo Tavares junta grandes nomes da indústria de videogames, além de lojas, produtoras indies e outros expositores em um espaço bem grande em São Paulo durante cinco dias, onde os visitantes podem aproveitar demos de futuros lançamentos, fazer compras, lanchar nos food trucks, socializar, fazer cosplay e até mesmo conhecer seus ídolos da indústria.


Nós sabemos que o amor dos fãs costumam proporcionar jogos incríveis, como aquele remake de Street of Rage lançado alguns anos atrás. A questão é que os fãs muitas das vezes estão carente por determinado titulo ou formato de jogos, e cansados de aguardar acabam colocando a mão na massa. 

E foi desse modo que nasceu Super Mario Bros. Crossover.


Como devem ter percebido o site passou por uma reformulação e com ela algumas novidades, sendo a primeira  o logo que foi uma das coisas com que mais me preocupava.  Depois de longos anos eu finalmente alcancei uma que me agradasse e não dependa de nenhum personagem licenciado.

Com um pouco de atraso venho dizer minhas impressões sobre o primeiro evento exclusivo de games que fui, a GameXP.

Sim, eu sei que é uma vergonha, mas não é sempre que tem eventos de grande porte no Rio de Janeiro, ainda mais voltado para video-games.


Capcom Beat'em Up Bundle é aquela coletânea de jogos que certamente vai deixar os retrogamers empolgados, mas que pode causar estranheza nos mais jovens que não tiveram contatos com alguns dos 7 jogos que compõem essa coletânea. 

Porque nós das antigas adorávamos sair por ai derrotando tudo e a todos apenas com socos e voadoras - Ou utilizando Mechas, espadas e magias.

Claro, temos dois jogos que são figuras conhecidas, pelo menos para quem teve contato com um super nintendo, por outro lado a coletânea oferece mais 5 jogos que nunca deixaram os arcades, tornando a coletânea um item que merece a sua atenção e que certamente o deixará entorpecido pela nostalgia.

Curiosos? Me acompanhem!



Metroidvania é um gênero que definitivamente não se desgastará tão cedo, mas é necessário ter cuidado ao criar um jogo do gênero, pois existem tantos de qualidade (Axiom Verge me vem a mente no momento, além dos clássicos Super Metroid e Castlevania: Symphony of Night, responsáveis pela consolidação do gênero), que se você não fizer um produto que agrade ao público, corre o risco do jogo se tornar exemplo do que não fazer. 

Enfim, no final de setembro, foi lançado para PC, PS4 e PS Vita, Timespinner, jogo da Lunar Ray Games e publicado pela Chuckle Fish. Será que ele é um clássico moderno ou cairá no hall de decepções, onde Chasm se localiza? Vem comigo para descobrir.