Uzumaki é o tipo de mangá que você não consegue terminar o primeiro volume e seguir adiante rapidamente. Você acaba se vendo na obrigação de ler tudo novamente para se garantir que não perdeu nenhum detalhe da trama desenvolvida por Junji Ito.

Pensar que a primeira vista eu ignorei esse fantástico universo repleto de espirais, simplesmente por pensar que seria apenas mais uma história de assombrações cabeludas, alias, um baita preconceito da minha parte.

LEIAMTudo o que você precisa saber sobre Berserk

Bem, eu errei, mas cá estou compensando o erro e compartilhando com todos vocês minhas impressões desse mangá de horror obrigatório aos amantes do gênero.

O INÍCIO

Talvez eu esteja chovendo no molhado, mas vou dizer assim mesmo: Uzumaki significa espiral. Talvez isso o tenha feito lembrar-se de Naruto, ou o simbolo do personagem. Provavelmente sua cabeça está explodindo em mil pedaços nesse exato momento por descobrir que seu herói, Naruto, tem o sobrenome Espiral.

A história de Uzumaki tem inicio na cidade de Kurôzu e foca na adolescente Kirie Goshima (Dei o nome “Kirie” a gatinha que eu adotei em homenagem a protagonista) que vem notando um estranho comportamento das pessoas e até mesmo objetos – O excesso de redemoinhos já me assustaria, sério.

Inicialmente ela acredita que seja apenas coisa da cabeça dela, porém, seu sogro passa a ter uma obsessão por objetos que contenham a forma espiraladas.

A MALDIÇÃO DA ESPIRAL

Certo dia enquanto voltava da escola, ela avista um homem em um beco e ao se aproximar percebe que é seu sogro. Ela chama por ele, e nota que seu comportamento é motivo para camisa de força e severa terapia de choque. Na real ela deveria ter ido embora pra casa de ônibus.

Assustado com a visão do sogro revirando os olhos, ela foge e durante a tarde avisa o namorado, Shuishi sobre o ocorrido, que não se surpreende e alerta que havia notado o comportamento estranho do pai. Inclusive Shuishi sugere a Kirie que ambos fujam da cidade porquê está com um pressentimento muito ruim mesmo.

Kirie rejeita a ideia e convence o pobre rapaz de que surras e terapias de choque podem conter a loucura que esta se espalhando pela cidade de Kurôzu.

Pobre Shuishi, ao menos você tentou.

Desse ponto em diante temos o casal tentando entender o que diabos está acontecendo com a cidade e o que está afetando seus habitantes.

LANÇAMENTO NO BRASIL

O mangá Uzumaki é constituído por três volumes e chegou a ser publicado no brasil pela editora Conrad.

Esse mangá é considerado por muitos a obra-prima do autor Junji Ito, um especialista em histórias do gênero, e que tem em seu currículo outro perturbador mangá chamado GYO e Tomie, que um dia eu ainda abordarei por aqui.

Mas não só suas histórias são no mínimo diferentes do que estamos acostumados a ler por aqui, como sua realmente conseguem causar desconforto, principalmente em momentos específicos da trama.

CONCLUSÃO

Há um conto com gravidas que foi um dos momentos mais perturbadores de todo o mangá. Só para ilustrar: Imagine como seria retornar um recém-nascido ao seu local de origem.

É. Eu fico arrepiado só de lembrar esse trecho.

Uma adaptação do mangá foi feito no ano de 2000, mas é tão ruim que pensei em lavar meus olhos com acido sulfúrico ao terminar de assistir. Um dia se a paciência e coragem permitir, eu escreverei sobre aquela atrocidade audiovisual.

O mangá não é recomendado para menores de idade devido ao seu teor violento, mas se você já é rapazinho e gosta de sentir medo ou virar a cara com cenas tensas e violentas, saiba que Uzumaki é uma excelente recomendação pra você.

Pra encerrar digo mais uma vez: Fiquem longe do filme em nome de tudo que é mais sagrado, aquilo não merecia ter conexão alguma com essa magnifica obra.

Eu espero que Tomie dê cabo nos responsáveis aquela monstruosidade de filme.

Author: Diogo Batista

Criador e Editor-Chefe do Arquivos do Woo, é um eterno rabugento. Opta por investir seu tempo entre games, filmes, livros e sua família à perder tempo discutindo na internet.