Uma das coisas que eu sempre quis desde moleque era ter acompanhado o Dragon Ball desde o seu lançamento. O que praticamente era impossível visto que a internet discada ainda não havia aterrissado por aqui e, nossa unica fonte com esse conteúdo eram revistas como a Herói, que ouriçava a molecada e foi a porta de entrada de muita gente no mundo dos animes.


Eu fui um desses felizardos, pois tive contato com o anime Dragon Ball através de uma dessas Heróis.



Bem, a questão é que hoje eu tive o privilégio de assistir ao primeiro episódio da nova franquia do Dragon Ball, e que diferente daquela tosqueira que foi o Dragon Ball GT, aqui temos o grande Akira Toriyama supervisionando tudo, o que trouxe um grande alivio.


OK, chega de enrolação e vamos ao que interessa!



A apresentação de Dragon Ball Super é sensacional e fara com que você faça uma ligação automática com DBZ – Digo isso pelo fato de DB GT ter sido o último – E ver toda a turma se reunindo depois de 18 longos anos é coisa linda de ser ver. 




Eu tenho certeza de que se a icônica “Cha-la Head Cha-la” tivesse sido tocada, lagrimas teriam brotado de meus olhos e no de muita gente. Não que a música atual seja ruim, mas talvez não tenha sido tão impactante quanto foi a primeira vez que ouvi a música do clássico – Quem sabe depois de 100 episódios ela acabe caindo no gosto de todos nós.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});


Não quero soar como um velho resmungão, só que esse formato utilizado no filme Battle of Gods realmente não é tão rico quanto aos traços clássicos. Ele passa uma estética de desenho em flash – Como citada pelo meu amigo Tony Leite no Twitter – , não é nada que comprometa a diversão, mas também não me tira a ideia de que custos foram cortados.


Depois da apresentação você é levado ao momento em que Majin Boo esta sendo destruído pela Genki – Damma de Goku, e o narrador explica que após a saga Boo tudo ficou em paz. Em seguida Goku aparece dirigindo um trator, algo inédito para um personagem que nunca trabalhou. Goten surge em seguida e assume o comando, pois Goku queria treinar, mas Goten quase se mata pilotando.


Eu nunca vou entender a relação do Goku com os filhos, eles estão mais para irmãos do que pai e filho. Deve existir alguma explicação – ou não.


Esse episódio basicamente é uma apresentação dos personagem que provavelmente serão relevantes a saga. Por exemplo: Bills aparece destruindo metade de um planeta, pelo fato da comida oferecida não ser totalmente de seu agrado.




Quem assistiu Battle of Gods sabe que Bills e Goku não se conheciam até o filme, então podemos presumir que Bills não vai sair na mão com os guerreiros Z tão cedo.


O anime em si parece seguir para o estilo aventura de Dragon Ball, pelo menos esse primeiro episódio remete bastante. Aqui Goten e Trunks tiveram um espaço maior também e até saíram pra uma aventura em busca do presente de casamento perfeito para a Videl.


Eu não me importaria com essa linha mais Dragon Ball e menos porradaria frenética com 50 episódio para dar um soco. O universo do Dragon Ball é tão rico, que não revisitá-lo com os novos personagens seria uma pena.


Infelizmente o Vegeta não aparece nesse episódio, mas o segundo focara nele – pelo menos foi o que preview pareceu demonstrar.




Depois de ver o episódio por completo fica impossível não ter a sensação de que você acabou de assistir a um OVA. Talvez tenha sido pelo estilo flash, mas realmente fiquei com essa sensação.

Provavelmente os próximos episódios sejam uma apresentação do que alguns personagens andaram fazendo após a morte do Boo. Pelo menos esse é o meu chute, pois no segundo episódio já sabemos que será focado no Vegeta.

De uma maneira geral eu gostei bastante do retorno da franquia e irei acompanhar, estou intrigado pra ver como Bills será inserido nesse meio. Então não perca tempo e corra assistir, depois volte aqui e comente o que achou.

Por enquanto ficamos por aqui, obrigado por ler e até a próxima.

Author: Diogo Batista

Criador e Editor-Chefe do Arquivos do Woo, além de ser um eterno apaixonado por retrogames e RPGs clássicos. Sua rede social favorita é o Twitter: https://twitter.com/cyber_woo Sigam-me os bons, maús e os feios !!!