Um dos meus maiores vícios adolescentes que trago comigo até os dias de hoje é o amor pela franquia Dragon Ball. Sou tão hardcore que só conheci Dragon Ball Z através do Band Kids apresentado pela maravilhosa Kira – Uma aprendiz de heroína que fez a alegria de muitos adolescentes, se é que me entende.


Nada me deixava tão pilhado quanto um game do Dragon Ball Z, sendo o que mais joguei foi Dragon Ball Z: Legends. Diferente do ódio tomando posse do meu corpo ao jogar DBGT : Final Boot, pois  nada consegue ser tão ruim e lento quanto aquele game.




Depois de anos de sofrimento, acabei por conhecer o game Dragon Ball Z Budokai Tenkaichi 2, que tornou-se meu vicio. 

Ninguém em casa foi capaz de deter minha fúria sayajin!

O game passa por todas as sagas do anime, tendo inicio com a Saga dos Sayajins e encerrando com a saga do Syn
Shenron
de DBGT. Há algumas batalhas que abrem histórias alternativas, do tipo “E Se“, uma coisa bem bacana de se desbloquear.

Os gráficos são ótimos e os efeitos de luzes dos especiais são de estuprar os olhos, mas começa uma batalha e você já quer enfiar um Kame-Hame-Ha na
cara do adversário, só para ver os show de luzes, além do inimigo sendo espatifado feito o verme que é no solo.




A trilha sonora também é ótima, cada cenário tem a sua, e mesmo depois de umas 18 horas
jogando consecutivamente, você não enjoa, mas se isso acontecer, basta desligar o console, oras.

Com relação a jogabilidade, não tenho do que reclamar, é  simplesmente maravilhosa, e você pega os comandos muito rápido. Você consegue
desencadear combos incríveis e  com extrema facilidade, algo que aumenta muito o tempo de vida do game.

Um ponto que negativo que me chamou a atenção foi a
câmera, que gerou muito dos comentários negativos de outros jogadores acerca do
game, e que no começo realmente lhe deixa um pouco frustrado até se acostumar.


Após levar um dano muito grande seu personagem fica desorientado o que
leva a ter esse problema com a câmera, mas isso não estraga a diversão. 
O
modo multiplayer também não é de todo ruim, é possível se divertir por horas,
apesar de não gostar da tela divida (tenho Horror!). Ah, os loadings também são chatos pra cacete, talvez seja um dos maiores defeitos do game, mas a jogabilidade e diversão compensa a espera.

Ah! Vale
ressaltar que seu personagem aumenta de level, que apesar de levar um tempo, mas quando alcançado um level alto,  tornar o game de mais fácil – Nada que algumas horas batalhando não resolva
, e com um nível maior você consegue dar uma surra merecida naquele  filho-da-mãe que limpou o chão com sua cara.


que para isso é necessário você equipar o seu personagens com determinado
equipamentos, para que possa evoluir o atributo que bem desejar.



Resumindo tudo, esse é um dos meus games favoritos do Dragon Ball Z, então se você é fã
provavelmente irá gostar muito  e ira passar horas a fio jogando. Agora se você não é gosta do anime, provavelmente você também acabara se divertindo e muito.

Há uma variedades de torneios para você participar e temos também a nossa
disposição mais de 100 personagens, e 15 cenários, que por sinal é muito pouco e se torna repetitivo com o tempo.

Agora uma coisa impressionante são as fusões, que apesar de você só a adquirir no modo
historia, uma vez concluído a etapa da saga, você já pode utilizar sem problemas em modo versus, contanto que
esteja com o personagem compatível.



E
o aumento de força do personagem é perceptível, a velocidade também dobra, podemos
dizer que realmente é somado o level dos personagens.  Também se pode transformar de super sayajin 1 para 2 a qualquer hora do combate, basta ter energia para tal.


Não há mais que eu possa dizer, esse é o melhor jogo do DBZ! Joguem!

Author: Diogo Batista

Criador e Editor-Chefe do Arquivos do Woo, além de ser um eterno apaixonado por retrogames e RPGs clássicos. Sua rede social favorita é o Twitter: https://twitter.com/cyber_woo Sigam-me os bons, maús e os feios !!!