Lembro
que o medo havia tomado conta de todo o meu ser gorduroso ao
descobrir que Silent Hill ganharia sua adaptação no cinema. Ainda
tentava digerir
Resident Evil – Hospede Maldito, naquele tempo, e
lembrar-se de Alice, fazia com que meus intestinos tentassem saltar
pra fora do meu corpo.


Apesar de ser um cara
extremamente medroso na hora de jogar games de terror, eu pude
apreciar cada pedacinho de Silent Hill em seu lançamento no Psx, pois meu pai o jogava em meu lugar, já que provavelmente eu sujaria a sala.

Bem, estou tentado
dizer que não desejava ver
Silent Hill sendo estuprado por algum
diretor pederasta, mas graças a Odin!


Silent Hill é um dos
melhores filmes baseados em games que eu já vi, então eu preciso dizer em alto e bom som;


O filme utiliza todos
os elementos que o game tinha a oferecer de forma brilhante – Tornar uma mãe como protagonista principal foi uma sacada genial, pois todos
sabemos que mães possuem um HULK em seu interior. No primeiro sinal de
perigo, se transformam.

É o instinto materno
chutando bundas até o inferno!

Os personagens do filme
são bons, mas quem rouba a cena é Sharon/ Alessa (interpretada por Jodelle, uma garota mega-fofa) e os
monstros, que são o charme da franquia de games. 
Chupa essa Paul !!

Pyramid Head é
impressionante, acredito que milhares foram à loucura
quando o viu encarnado na telona. Não podemos nos esquecer das enfermeiras sem rosto,
sensacionais. Se pudesse escolher um monstro favorito, escolheria o
zelador.


O filme conta a história de Rose (Radha), mãe da pequena Sharon (Jodelle), que sempre grita por Silent Hill quando em um estado de sonambulismo. A fim de acabar com esse problema antes que a menina se machuque, Rose decide levar Sharon a cidade e descobrir a fonte dos terrores noturno da menina.

Esse filme tem sangue,
suspense, pessoas sendo queimadas vivas, esquartejamentos, ou seja,
tem tudo o que os gamers fã da série queriam ver nos cinemas, um
bom roteiro e uma adaptação que honre suas origens.

Eu estava 100%
satisfeito com a adaptação e totalmente entusiasmado ao saber que
seria feita uma continuação.


Um dos meus monstros favoritos

Sharon agora é uma
adolescente e junto de seu pai
Harry, mudam constantemente, pois
ambos vêm sendo perseguidos pela
Ordem de Valtiel. Um culto
residente de
Silent Hill que tem como objetivo, sacrificar Sharon a
fim de restaurar a cidade e quebrar a maldição imposta por
Alessa.


Mano, dói à cabeça
só de tentar digerir esse enredo,  mas continuei assistindo, pensei
“Oras, não pode ser tão ruim”, errei feio.

No primeiro titulo você
descobre que Alessa era uma criança introvertida e estava sempre sofrendo todo tipo de agressão por partes dos moradores da cidade, pois muitos a consideravam uma bruxa, capiroto, filha de satanás, então resolveram queima-la, só pra acabar com o mal.




Alessa foi queimada viva, mas conseguiu ser salva no ultimo instante, porém, enquanto se recuperava, alimentava um ódio doentio por vingança até que tamanho ódio
despertou o interesse de um demônio, que oferecerá um trato, assim, Alessa
se dividiu em duas, surgindo Sharon, o lado bom e que poderia levar
uma vida normal, longe de Silent Hill, enquanto Alessa transformou Silent Hill em seu parque de tortura.


Foi preciso Rose (A mãe
adotiva) passar o diabo no primeiro filme para decifrar todo o
mistério por trás de Sharon e Silent Hill, mas nesse filme, esses
pontos importantes parecem nunca ter acontecido. 

Pra unir as pontas
entre o primeiro filme, eles apresentam uma rápida cena em que Rose,
ainda presa em outra dimensão, explica que não vai voltar, mas
encontrou uma forma de tirar Sharon com o uso de SELOS.

Quanta merda!

Enfim, a Ordem de
Valtiel enviam um fresco, filho de uma véia carcomida, que é vilã principal,
pra fora de Silent Hill, só para capturar Sharon, mas ele se
apaixona e volta contra sua mãe.

A véia carcomida é a Trinity de Matrix
Harry é capturado,
Sharon volta com o fresco, filho da véia demônia carcomida (Não lembro o nome, nem me importo) a
Silent Hill. Sharon a todo o momento é levado a dimensão
enferrujada (É como eu chamo a outra dimensão, lide com isso!) não importa o
lugar, aparentemente a maldição criou uma extensão, sabe-se lá
porque, o Fresco dá uma explicação qualquer e a história segue.

Spoiler do final do filme;
Conclusão, Pyramid
Head é o guardião de
Alessa/Sharon, a velha carcomida é um
demônio, que sem motivo aparente estava no meio dos humanos, mas o
importante é que ela duela com Pyramid Head. Sharon salva Harry e tudo volta ao normal.
.

A batalha final tem uns
5 minutos no máximo, depois disso você descobre que pagou uma grana alta pra
assistir uma grande merda nos cinemas. Ainda não acredito que
Silent Hill recebeu uma continuação tão fraca, o filme só não é
pior que Resident Evil, pela falta da Alice.

Bem, esse foi o meu
desabafo sobre esse filme, que destruiu minha esperança pela franquia de filmes, se preparem, há grandes chances de um novo titulo, basta assistir esse filme que você descobrira.

Como podem ter percebido, essa é minha opinião a respeito do filme, caso você tenha gostado do filme, saiba que vir me ofender nos comentários não ajuda. Então, seja esperto e tente me convencer do contrário apontando pontos que talvez eu não tenha percebido do filme.

Author: Diogo Batista

Criador e Editor-Chefe do Arquivos do Woo, além de ser um eterno apaixonado por retrogames e RPGs clássicos. Sua rede social favorita é o Twitter: https://twitter.com/cyber_woo Sigam-me os bons, maús e os feios !!!