Heróis como Jaspion, Changemans, Jiraya, Ultraman e Spectreman (Esses dois não tinham robôs gigantes, mas o tamanho era o mesmo), tornaram minha infância muito divertida. Cansei de ver o Japão ser invadido por monstros radioativos, alienígenas e todos os tipos de criaturas que somente os super heróis japoneses podiam combater, seja por sua tecnologia ou pelos misteriosos poderes que aparentemente são exclusividade do continente asiático.


Ah,como a vida era boa naqueles tempos, uma pena que ao longo dos anos esse tipo de entretenimento deixou a TV aberta, ficando restrito a nichos na internet. E com o advento dela descobri toda a cultura por trás das batalhas de robôs e monstros gigantes.


Na fase adulta sempre me questionei de como seria uma visão moderna daquele embate que tornava as minhas manhãs mais agitadas. As probabilidade de que isso um dia fosse as telas me pareciam bem baixas, mas eis que Guillermo Del Toro, renomado diretor, nos brinda com Pacific Rim (Circulo de Fogo PT-br). Um filme que é exatamente isso: Uma briga de robôs e monstros gigantes como nunca antes visto.

Minhas expectativas estava nas alturas, eu não podia lidar com tanta empolgação em anos, então não se espantem se ao longo desse artigo eu não me conter.


O enredo de Pacific Rim é simples e direto: Uma fenda dimensional surgindo no meio do pacifico e despejando todos os tipos de criaturas gigantescas possível. A humanidade não estava preparada e logo uma destruição em massa teve inicio.


Com muita dificuldade, a humanidade conseguiu destruir o primeiro dos Kaijus, nome dado as criaturas, porém isso quase levou o países a falência. Percebendo que outros monstros poderiam vir brincar em terra novamente. Os países resolveram unir suas forças, e com todos os arquivos tokusatsus da rede manchete em mãos, criam os Jaegers


Foram criados um total de 44 Jaegers, mas que após 7 anos de intensas batalhas, apenas 4 sobreviveram. Cada um deles era pilotado com uma dupla em seu comando, visto que uma pessoa sozinha é incapaz de suportar o controle de tanto metal e componente eletrônicos juntos. Existe um motivo mais interessante para ter dois pilotos no comando, mas você irá assistir o filme e não quero estragar sua experiência.

OH MEU DEUS!! OH MEUS DEUS!! ISSO É AWESOME DEMAIS

O que você verá nesse filme é pura diversão e toneladas de construção e metal sendo atirado para todos os lados. Esperar um enredo complexo de um filme com o único proposito de divertir é um pouco babaca por parte de algumas pessoas. Estamos diante de um filme blockbuster que consegue manter coerência durante os diálogos e respeitar a história que conta ao longo de todo o filme.

CACETE!! TEMOS UM ROBÔ BATENDO EM UM MONSTRO COM UM NAVIO CARGUEIRO!! 


Céus, deem um Oscar ao Guillermo!


Eu já era fã do Del Toro por conta de filmes como A Espinha do Diabo, Hellboy e Blade II, porém agora ele ganhou minha gratidão eterna ao presentear o mundo com algo nunca feito antes. Pacific Rim sem dúvida ganhou uma lugar especial em meu coração, e espero que se houver uma continuação (torço para que isso aconteça) ele não tente ser levado a sério. Eu não quero filosofia ou politicamente correto, quero apenas destruição e robôs se matando.


É isso, não há mais o que ser dito. Vá comprar pipoca e corra assistir ao filme, depois volte pilhado e tente balbuciar algumas palavras sobre o filme nos comentários.

Author: Diogo Batista

Criador e Editor-Chefe do Arquivos do Woo, é um eterno rabugento. Opta por investir seu tempo entre games, filmes, livros e sua família à perder tempo discutindo na internet.