Olá, meus caros leitores (isso, vocês dois ai, oi mãe!), prontos para conferir um filme repleto de violência?

Hoje trago a vocês minhas impressões sobre o remake de A Vingança de Jeniffer (I Spit on Your Grave) que chegou aqui como Doce Vingança, sabe se lá por qual razão.

LEIAM – A Possessão de Michael King | Inovando sem errar

A história é bem simples, a romancista Jennifer Hills resolve se isolar em uma cabana no meio do mato para começar um novo romance.

Depois de alguns dias, tudo corre bem, até que alguns moradores resolvem dar as boas vindas no melhor estilo do povo do interior, o que acaba por culminar no brutal estupro e espancamento de Jennifer.

Doce Vingança

A violência utilizada é tão grande que conseguiu me deixar muito desconfortável.

Depois de muito machucada, Jennifer, consegue escapar e corre em busca de ajuda, mas ao perceber que pode ser capturada novamente e morta, pois não queria deixar pistas, ela salta para a morte em um lago, para o desespero dos seus perseguidores. Seu corpo seria uma prova contra eles.

Não é spoiler dizer que a protagonista sobrevive e retorna para se vingar, assassinando seus agressores da pior forma possível, pois é esse o ponto do filme: Se vingar da maneira mais dura e terrível possível.

Doce Vingança

Todas as mortes são surpreendentes e bem elaboradas, quando você pensa que já viu de tudo, o filme te surpreende novamente com as mais cruéis formas de homicídios.

Eu não achei a atuação da Sarah Butler (Jennifer Hills) uma das melhores, mas sem dúvida consegue sustentar todo o filme. O foco do filme é todo dedicado apenas na violência e na performance de Andrew Howard (Xerife Storch) e Jeff Branson (Johnny), que conseguem ser vilões detestáveis do início ao fim.

Eu passei o filme todo torcendo para que morressem da pior maneira possível.

Doce Vingança

Doce vingança pode não ser um dos melhores filmes de terror da atualidade, mas consegue entreter e causar um impacto muito grande no telespectador por conta da violência.

Consegue superar o original em muitos níveis e ainda entregar boas atuações e momentos marcantes, sem deixar o filme perder o clima em nenhum momento.

Não sou um cara que adora remakes, mas se é pra fazê-los, espero que sejam desse nível para cima. Uma excelente opção de entretenimento para os amantes de filmes violento de horror.

Gostou da dica? Então comenta ai e me segue lá no Twitter: @Cyber_Woo

Author: Diogo Batista

Criador e Editor-Chefe do Arquivos do Woo, é um eterno rabugento. Opta por investir seu tempo entre games, filmes, livros e sua família à perder tempo discutindo na internet.