Arquivos do Woo

A publisher global 505 Games e a produtora Typhoon Studios anunciam que o jogo de aventura e exploração sci-fi Journey to the Savage Planet será lançado em edições físicas no Brasil - com legendas em Português. O game chegará em versão digital na próxima terça-feira, 28 de Janeiro, para as plataformas PlayStation 4, Xbox One e PCs (via Epic Games Store), com cópias físicas para os consoles chegando pouco depois nas principais lojas do país.


DOOM Eternal chega rasgando em 2020 com um novo trailer cheio de ação e demônios dilacerados. Vislumbre novos inimigos, como o Marauder e o Gladiator, veja novos e perversos glory kills, assista ao poder devastador da arma Crucible e testemunhe o que o time da id Software guarda na manga para o mais recente capítulo da violenta saga de DOOM Slayer.


Jill Valentine é a estrela de Resident Evil 3, mas ela não está sozinha no capítulo final de Raccoon City. O survival horror também apresenta um rico elenco de aliados, inimigos e criaturas brutais em meio a uma cidade devastada pelos efeitos do T-vírus. Hoje, a Capcom lançou um novo trailer cinematográfico, telas e artes que revelam mais dos acontecimentos dramáticos e mostram mais dos personagens principais. Carlos Oliveira, o parceiro não-oficial de Jill (depende para quem você pergunta), o resto do pelotão do Serviço de Contramedidas de Risco Biológico da Umbrella (U.B.C.S.), o inimigo Hunter e o incansável Nemesis têm papel de destaque em Resident Evil 3, que chega a partir de 3 de abril.


A origem da série

Luigi's Mansion 3 é a mais recente iteração da série que começou lá em 2001 no Game Cube. Na ocasião, muito se questionou se lançar um console da Nintendo com um jogo protagonizado pelo irmão secundário da principal série da casa seria uma boa empreitada, e no fim das contas tudo se provou certo. O jogo original, feito pela Nintendo EAD -- único da série feito no Japão -- foi um enorme sucesso, trazendo o medroso bigodudo magrelo a um ambiente totalmente diferente das séries anteriores. Ficaram de fora as tartarugas e os goombas e entraram os fantasmas. 

Totalmente diferente dos Boos da série original (que ainda estão presentes), as aparições em Luigi's Mansion possuem brilho semelhante à luzes de neon e são semi-transparentes, com olhos amarelados, e em sua maioria possuem características marcantes, como se usassem a roupa que morreram. Luigi por sua vez, deve caçá-los com seu Poltergust, uma mochila-aspirador que -- assim como todo o resto do jogo -- é claramente inspirada em Os Caça-Fantasmas (1984).


Olha só, estamos na nossa sétima participação do meme "O que você jogou em 20xx", um meme organizado por nosso grande amigo, Marvox, do blog Marvox Brasil, que completou recentemente 10 anos de vida. 

Sou muito grato por participar desse meme que reúne tanta gente bacana que produz conteúdo sobre games. Acho que não preciso dizer a vocês que devem visitar cada um dos links dos participantes e prestigiar o incrível trabalho feito por cada um deles.

Qual é, não vai cair sua mão. Claro, mas faça isso depois de ler o que eu joguei em 2019, OK?

Esse ano de 2019 aconteceu tantas coisas que não consegui jogar o quanto gostaria, mas pode ter certeza que ao menos foi por conta de bons motivos: Mudança, novo emprego, filho agora anda e taca o terror com Mundo Bita e Turma da Mônica na tv da sala. O que importa é que ao menos joguei o suficiente para me entreter nos poucos tempos livre, e conseguir participar desse meme que já virou tradição aqui no site.

Então vamos nessa


Porque será que demoro tanto para retornar a escrita de artigos assim? Oh, sim, porque a lista de jogos está muito grande e o tempo curto. Bem, mas é sempre muito relaxante voltar a elaborar alguns motivos para adquirir consoles antigos.Não que você realmente precise fazer isso, mas fica ai a sugestão caso esteja pensando sobre isso.

No último artigo eu abordei um dos meus consoles favoritos da SEGA, o Dreamcast. A publicação foi em maio do ano passado, mas eu sinto como se tivesse sido ontem. De qualquer modo hoje eu abordarei outro console dessa empresa que causou boas dores de cabeça a Nintendo. 

Falaremos do Mega Drive, um console que passou de maneira rápida em minha vida, mas o suficiente para me impactar pelo resto dela.


Festival da Boa Pancadaria

Muitos dos leitores do site são obviamente familiarizados com anime, correto? Mesmo que você não goste, ou já tenha deixado essa fase pra trás por diversos motivos, é inegável que quem pegou o finalzinho dos anos 80 até metade da primeira década dos anos 2000, foi muito influenciada pela cultura japonesa, que ficou enraizada na nossa mente e alma, tal qual os desenhos da Hannah-Barbera influenciaram nossos pais e primos mais velhos. 

Infelizmente, por outro lado, havia marketing de peso em cima dessas séries por aqui. Claro, haviam brinquedos, mas nos anos 90 a criançada queria era VIDEOGAME, e isso meu amigo, só na base de muita pirataria e sorte.


Jogos ruins. Todo mundo já jogou algum. Jogos péssimos, certamente. Eu mesmo fiz a análise de duas das maiores atrocidades que a Espanha cometeu contra o mundo nos tempos recentes. Existem aqueles jogos, que só de você olhar a capa (ou a thumb, se você usa algum serviço digital, como o Steam/PSN/Live/eShop), já percebe: NÃO, nem ferrando eu compro isso.

Eventualmente, se o preço é baixo, a curiosidade mórbida acaba batendo e é assim que títulos como Little Adventure on the Prairie acabam parando na biblioteca de muitos jogadores. Custando cerca de 2 dólares (R$ 6,50 na PSN), ele é o que há talvez 10 anos atrás, chamaríamos de 'jogo do Milzão', aquele jogo ruim que você compraria a um preço baixo só pra conseguir 1000 pontos fáceis em seu gamescore do Xbox 360 (em 2009, os troféus ainda não eram uma coisa tão massiva no PS3, quanto os Achievements eram no 360). Mas enfim, eu vou deixar claro logo aqui: NÃO COMPRE Little Adventure on the Prairie, eu cometi esse erro, então vamos lá.


Esse ano tivemos a oportunidade de cobrir a Brasil Game Show mais uma vez, sendo o nosso 5º ano no evento, então não podíamos deixar de relatar aqui tudo o que pudemos conferir ao longo dos dias em que estivemos por lá.

A começar que esse foi o ano em que pudemos passar mais tempo dentro do evento, conseguimos cobrir três dias do evento, então jogamos muitas coisas, e lembrando que esse foi o ano em que a Nintendo retornou a BGS. Sua ultima participação foi em 2012, logo foi muito bom ver a BIG N por lá.

Mas vamos ao que interessa.



A minha relação com Digimon vem de cerca de vinte anos atrás, quando para combater a febre Pokémon, a Globo adquiriu a primeira temporada dos Monstros Digitais. E, episódios assistidos depois, era um tanto notável que Digimon e Pokémon tinham mais diferenças que semelhanças, porque enquanto em Pokémon, era a jornada do Ash para se tornar um mestre Pokémon (ou ganhar alguma liga, coisa que levou tempo demais.), em Digimon, havia aquele grupo de crianças que havia ido parar em um território desconhecido e precisava lidar com ameaças para encontrar um jeito de voltar pra casa...

Pelo visto Digimon tem mais a ver com Caverna do Dragão do que com Pokémon, mas enfim. Uma das coisas mais legais de se assistir a primeira temporada, era se perguntar... Qual Digimon vai digievoluir nesse episódio? Mas enfim, confesso que em relação a desenhos animados, só assisti até a quarta temporada de Digimon (Frontier) e no âmbito dos videogames, minha única experiência foi Digimon World DS, que tinha uma curiosidade. No jogo, como forma de promover a nova série animada, os personagens de Digimon Savers fazem uma aparição. Só que como o anime ainda não havia sido adaptado pro ocidente, temos eles com seus nomes originais. Então, não vemos Marcus, mas sim Masaru. Mas sim, nunca joguei nenhum outro Digimon... Talvez eu tenha jogado uns 20 minutos de Digimon Online no PC, mas foi isso pra nunca mais.

Pelo menos até eu estar andando serelepe em Caxias e achar uma cópia de Digimon Story: Cyber Sleuth – Hacker's Memory por um preço bem em conta (principalmente considerando que o jogo estava por R$ 250 na Americanas e R$ 230 na PSN BR). E depois de muito enrolar, finalmente cheguei ao final do jogo. E então, ele vale a pena?