7 de dezembro de 2017

FABLE III | UMA JORNADA INESQUECÍVEL AO ÚLTIMO TÍTULO DA LIONHEAD


Quando o Lionhead Studios foi fechada, muito se falou quanto ao futuro de sua franquia mais famosa: Fable. Com um destino agora incerto nas mãos da Microsoft, pouco sabemos se um dia ganharemos um novo jogo. 

O que me chamou a atenção para o fato de que quase não conheço pessoas que tenham jogado qualquer titulo da franquia. Oras, então eu vou jogar e tirar a limpo se algum jogo da trilogia é tão bom quanto apenas ouço falar - Aproveitei que o segundo e terceiro jogo estão disponíveis no Xbox Game Pass

Com o game em mãos, hora de nos aventurar no reino de Albion!


Fable III começa com uma entrada bem humorada apresentando a saga de uma galinha e termina com um final um tanto quanto trágico, mas isso nos dá um pouco do tom do jogo que não se trata de um mundo colorido e fofinho como aparenta ser.

Estamos no controle do filho ( ou filha, depende do que você escolher) do herói do segundo jogo. No caso somos um dos príncipes, pois o herói morreu e o trono foi passado a seu filho mais velho, Logan. Ele é o atual rei do pedaço especificamente em um momento em que Albion está sendo tomada por violência e pobreza e o povo aparenta querer se rebelar.

Pelo fato de sermos jovens (o personagem e não eu, OK?) enxergamos tudo aquilo com um certo horror, o que nos leva a confrontar as ações de nosso irmão mais velho. Rola um dialogo interessantes e acabamos sendo forçado a lidar com uma situação bem triste, o que nos força a fugir do castelo e abandonar a boa vida que tínhamos na realeza - Além de ficar solteiro no processo.

Nossa meta é reunir forças e criar aliados para destronar Logan e fazer com que Albion volte a prosperar como nos tempos de seu pai.




Fora do castelo somos apresentado a um mundo bem grande, talvez não tanto quanto o que conferimos em Skyrim ou Fallout, mas ainda é grande o suficiente para se perder as vezes pelos belos cenários do jogo. E como um bom jogo de mundo aberto temos a disposição inumeras sidequest para serem realizadas  para aqueles que querem prolongar o tempo de jogatina.

Creio que as missões sejam o ponto mais importante do jogo, porque é notável o cuidado com cada uma delas. Não são parecidas e todas são bem humoradas e divertidas de se realizar. Há uma em especial em que você ganha uma roupa de galinha para que convença galinhas fugitivas a retornarem ao galinheiro de um fazendeiro. Concluindo a missão, resta a você escolher o destino das plumadas fugitivas, ressaltando que toda as escolhas que você tomar durante um jogo possui peso no desenvolvido do seu personagem.

Eu mesmo não me segurei e enrolei um bom pedaço jogando as missões paralelas só para melhorar as habilidades da personagem e acumular dinheiro. Com dinheiro você pode comprar quase tudo o que bem quiser nas lojas que encontrar pelo caminho. Há uma variedade de itens bem grande que vão desde barbas, bigodes, armas, roupas e perucas -Um deleite para aqueles que gostam de gastar horas personalizando seus personagens.




Por outro lado, tudo flui muito bem quando estamos adaptados aos comandos do jogo, que a primeira vista assusta um pouco. 

Nosso personagem não possui uma barra de energia, mas se levar muito danos a tela começa a escurecer em vermelho, então é preciso usar uma poção ou procurar abrigo até que tudo normalize, um sistema comum nos jogos de fps atuais. Outro ponto que assusta é o fato de que o personagem não pula, então você sempre terá que se aproximar de beiradas e pressionar o botão para pular ou subir, além de que para pegar as coisas pelo caminho você precisa fazer o mesmo.

Os combates são divertidos, mas as vezes o número de inimigos que te atacam são grandes o que dá um certo trabalho, pois eles costumam te cercar com soldados barra pesadas enquanto magos evocam zumbis. Você se verá cercado com mais frequência do que gostaria, mas basta se lembrar de Dark Souls que você passa de ano: 
De qualquer modo o combate é essencial caso queira aumentar o nível das espadas e pistolas. Que são outro ponto interessante aqui: Elas evoluem, seja a espada ou pistola do herói (que são as armas iniciais) ou uma outra qualquer que tenha comprado em lojas. Todas possuem upgrades a serem conquistadas e necessitam de algumas horas do bom e velho combate.

Para terem uma ideia, uma arma em especial exige que 5 pessoas que estejam amando o seu personagem sejam mortos com o uso dessa pistola. Cumprindo o requisito, a pistola recebe um dano adicional lindo de se ver. É interessante ver que alguns dos upgrades faz com que você quebre a linha do bem e do mal, o que dá uma sobrevida ao jogo para quem quiser explorar mais a fundo.

Claro, falei das armas e deixei de abordar uma das coisas mais legais do jogo que são as magias. A medida que se realiza missões você ganha o que chamarei de xp para desbloquear baús em uma realidade alternativa. Lá, cada baú lhe oferece um update, seja para aumentar o nível da arma do herói  ou ganhar mais dinheiro fazendo tortas - Eu disse que há muito o que se fazer em Albion?

Lá você obtém novos poderes elementais, assim você pode combiná-los ao equipar uma luva com o poder de fogo na mão direita e na esquerda outra o poder, seja elétrico ou vento, cada combinação dá um resultado diferente. Cabê a você escolher a melhor combinação - Mas recomendo nevoa e eletricidade. Você pode carregar as magias o que aumenta o poder e o campo do dano fazendo com que os inimigos brilhem feito pisca-pisca em arvore de natal.

A medida que você começa a ter acesso a armas poderosas e magias esmagadoras, o jogo vai se tornando relativamente fácil - Na realidade ele não é difícil, mesmo sem os upgrades, talvez um pouco desafiador. Finalizei o jogo sem morrer nenhuma vez e usei pouquíssimas vezes as poções, mas não posso dizer que isso tenha prejudicado minha experiência durante toda a jogatina, até porque o risco de morrer existe se você vacilar.



Sidequest onde você é transformado no herói de um jogo de RPG de mesa
O jogo em um determinado momento te colocará no papel do rei, sendo você bom ou mal. Estando na posição de rei você  terá que tomar decisões importantes para o reinado, como cumprir promessas ou não. O que é muito divertido, pois você percebe que é quase impossível manter algumas promessas e agradar a todos os habitantes de Albion.

Fable III é um jogo que certamente agradará a todos que estejam dispostos a desfrutar de uma história repleta. É possível se relacionar com qualquer habitante de Albion, até mesmo romanticamente se é que me entende. E se você focar apenas nas missões principais você não levará muitas horas para concluir, porém vai perder muito do que o jogo tem a oferecer.

Talvez não seja tão desafiador quanto algumas pessoas gostariam, mas certamente fez com que me tornasse fã desse universo criado pela Lionhead. Fico na torcida que a trilogia seja remasterizada ou que tenhamos uma continuação, de preferencia que o lado estratégia ganhe uma atenção maior.

Se você ainda não jogou nenhum título da franquia, eu recomendo que comece por esse. Tenho certeza que vai se divertir e se surpreender com a qualidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário