29 de janeiro de 2017

IMPRESSÕES DAS 3 HORAS GRATUITAS DE WATCH DOGS 2


O primeiro Watch Dogs vendeu o suficiente para irritar muitos gamers e garantir uma continuação. Obviamente que uma sequencia nos deixaria apreensivo, visto que o primeiro não entregou tanta inovação quanto esperávamos, exceto que podíamos hackear quase tudo.  

Particularmente achei o jogo chato e a história insossa, mas hackear era legal pra diabos. Posso dizer que era a única coisa no jogo que realmente prendia atenção, assim o salvando-o do limbo dos jogos de mundo aberto.

Well, agora que coloquei isso para fora, vamos falar do Watch Dogs 2.

A Ubisoft resolveu fazer um agrado para todos nós gamers e entregou uma versão gratuita do Watch Dogs 2 para Xbox One e o PlayStation 4. O  gratuito aqui não significa que você ficara com o jogo pra sempre, mas que terá uma versão completa por 3 horas e com todos os modos liberados.

Posso dizer que achei a jogada da Ubisoft genial, pois nem todos conseguem ser cativados apenas por uma demo. Agora ter a disposição o jogo completo e limitado por horas de jogatinas. Isso com certeza vai influenciar os usuários a comprar ou não o jogo.



O protagonista anterior era tão interessante quanto um muro a espera de chapisco, por isso foi necessário mudanças. É ai que entra, Marcus Holloway, um novo protagonista que chega transbordando carisma.

Residente da cidade de São Francisco, Marcus se opõem a o CtOS, um sistema que controla toda a rede de informações de uma cidade, armazenando todas as informações da vida digital dos cidadãos e as vendendo a empresas privadas. Sistema esse que Marcus abomina pois o mesmo o classifica como um criminoso de alto nível.

Por sinal esse problema com o perfil dele é a primeira missão ou melhor dizendo, é o tutorial do jogo.Você controla Marcus em uma invasão ao CtOS, para apagar o seu perfil da rede, enquanto vai aprendendo os comandos. Ao termino da missão, você é  pego pelo DeadSec (grupo de cyberterrorista) e descobre que aquilo era sua iniciação.


No DeadSec há integrantes que a primeira vista me pareceram bem interessante, principalmente Wrench. O que me fez entender o porque de alguns cosplays do personagem. Ele é o mais divertido dos integrantes e o que logo no início do jogo demonstra ter uma afinidade maior com Marcus. E usa uma mascara irada. Já disse que adoro mascaras? Pois é.


Uma das missões que realizei se baseava em um filme de ação chamado Cyberdriver, que por sinal deixou Marcus e Wrench bem empolgados e gerou momentos bem engraçados durante a missão.

Eu sei que pode parecer injusto não citar os demais integrantes, mas não tive tempo o suficiente para uma maior interação com os demais. Creio que isso pode mudar no decorrer da história, pois algumas dúvidas são levantadas a cerca de um determinado personagem.

Oras, eram 3 horas de jogatina apenas. Mas foram suficiente para me importar mais com todos eles do que com os personagens do jogo anterior, e tenho dito.


Uma das coisas que me agrada no jogo anterior era a possibilidade de hackear, porém aqui isso foi aprimorado. Durante a jogatina os cidadãos que pude hackear não repetiram as falas ou troca de mensagens. Isso me surpreendeu muito, ao ponto de que me senti um voyager, ficava correndo atrás de estranhos apenas para invadir a vida privada deles.

Também foi possível destruir tubulações de gás enquanto fugia da policia. Sério. Eu sou um marginal em jogos de mundo aberto, preciso mudar essa conduta.

Isso porque nem tive a oportunidade de aprimorar a arvore de habilidades de Marcus, que é bem extensa. Também preciso dizer que o personagem é bem ágil e sua habilidade com parkour é uma mão na roda na hora de fugir.  Porra, olha eu falando de fugir de novo. Não consigo controlar essa vida lokagem virtual.


Outro fator interessante é que a rede social ganha um papel importante no jogo. As missões tem como objetivo aumentar a visibilidade do DeadSec e sua luta, assim ao ganhar mais apoio nas redes sociais e usuários de seu aplicativo, eles ganham mais poder de processamento. Isso trouxe 

Também é possível criar armas a partir de uma impressora 3D boladona. Podemos dizer que a São Francisco de Watch Dogs 2 está anos evoluída a frente da Chicago apresentada no primeiro jogo.

"Ain, cê é um chato que fica reclamando o tempo todo do Watch Dogs 1" O site é meu e reclamo do que eu quiser. Vai cheirar um saco suado, vai.


Posso dizer que essas três horas foram o suficiente para mudar a minha opinião a cerca de Watch Dogs 2. Eu estava bem receoso com o que poderia encontrar, principalmente por se tratar de uma continuação de um jogo que não havia me agradado. Só que a Ubisoft parece ter aprendido e resolveu aprimorar a continuação.

Temos aqui um jogo superior e com uma cidade muito mais viva a ser explorada e com npc não tão repetitivos - Como eu disse, não joguei o game todo, e sim apenas 3 horas.

É bem provável que eu compre esse jogo em alguma promoção, apesar de ter começado a evitar jogos de mundo aberto devido ao tempo que isso toma. Agora se você é fanático por jogos sandbox e procura diversão, saiba que Watch Dogs 2 é uma boa opção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário