5 de março de 2016

BEASTS OF NO NATION | A SAGA DE UMA CRIANÇA QUE SE TORNA SOLDADO


Finalmente eu arrumei um tempo para assistir essa produção original do Netflix com calma. Ultimamente eu tenho assistido a tantas coisas que anda difícil eu me decidir sobre o que escrever primeiro. Minha pretensão era escrever sobre a série "LOVE", que estreou recentemente na grade do Netflix, mas após assistir "Beast of no Nation" resolvi que esse filme merece mais atenção.

Primeiramente vamos ao fato de que Beasts of no Nation é baseado no livro homônimo escrito pelo nigeriano Uzodinma Iweala, que teve como inspiração para escrever o livro a guerra civil de Serra Leoa e seu contato com ex-crianças soldados de Uganda. - Crianças soldados são "comum" nas guerras civis pelo fato de que não há fiscalização ou controles, logo é comum vê-los entre soldados adultos. 

O filme parte dessa premissa, eles nos apresentam Agu (Abraham Attah)e sua família, que estão vivendo em uma cidade protegida pelo exercito nigeriano. Com comida escassa e todas aquelas merdas que só a guerra tem a oferecer. Mas ainda assim Agu tenta levar uma vida normal ao lado de sua família, até que, o exercito resolve mudar os planos e deixar a cidade e os cidadãos a sua própria sorte. Claro, eles pedem para que o povo evacue para outra cidade, mas por sorte ou não, seu pai consegue enviar apenas a mãe de Agu e sua irmãzinha, ficando o pai, seu irmão mais velho e o pobre Agu a espera de um futuro incerto.

A guerra não tarda a chegar até a cidade e em questão de horas Agu e seus familiares são capturados e posto em fila para serem executados. Durante uma distração causada por seu pai, Agu e seu irmão fogem, mas não antes de assistirem a execução de seu pai e a morte do seu irmão durante a fuga. Sozinho chega a mata e tenta sobreviver até que é atacado pelo exercito do "Comandante" (Idris Elba).

Comandante (esse é o "nome" dele) conversando com Agu
Como podem ter percebido eu tenho o habito de contar um pouco do início do filme, porém, fiquem calmos que isso não vai atrapalhar em nada o desenrolar, isso é bem por cima do que realmente acontece no filme.

Voltemos!

Beasts of no Nations certamente fez jus ao seu sucesso e as excelentes criticas quanto a atuação de Idris Elba e Abraham Attah, que são incríveis durante todo o filme - Houve momentos em que eu só queria socar a cara do Comandante com o controle da TV.

Eu me senti mal com todo o sofrimento no qual o personagem precisou passar, mas entendo que isso foi necessário para expor ao mundo a maneira como as crianças são transformada em soldados. Perder sua família e passar por tanto trauma realmente mexe com a cabeça de qualquer adulto, então imagine uma criança que perde tudo antes mesmo de conhecer o lado bom da vida - Falo de videogames, seus pervertidos.

Agu é jogado no meio de tudo que há de cruel e passa a enxergar tudo como algo muito comum. É assustador como reagem quando são afastados de toda a lama, violência e drogas. Não mais se veem como outros garotos e até sentem saudades do mundo brutal em que viviam, em alguns casos eles até voltam.


Guerra é terrível e certamente não deveria acontecer nunca, acredito que tudo deveria ser resolvido em partidas de CS GO ou League of Legends - E olha que nem gosto de LoL.

Beasts of no Nation é um excelente drama e que provavelmente vai tirar algumas lagrimas do telespectador mais sensível, mas insisto que se esforce e veja até o final e surpreenda-se com esse magnifica produção do Netflix.

O filme ganhou um globo de ouro e muitas notas positivas em sites especializados como o IMBD, onde recebeu a nota 7,8. 

Agora que você conhece um pouco sobre esse filme sensacional, só resta assistir e tirar suas próprias conclusões, depois volte aqui e me diga o que achou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário