27 de fevereiro de 2016

BINARY DOMAIN | A SURPRESA DO FINAL DE SEMANA [PC]


Recentemente a SEGA fez uma promoção muito legal chamada Make War Not Love 3: A Bloody Valentine, onde diversos jogos da publisher estão sendo oferecidos por um preço ótimo e outros de graça.

Bem, não se nega presentes, então acabei adquirindo seis jogos que me interessou nessa promoção, sendo os mais atraentes Jet Set Radio, iconico título lançado para o falecido console Dreamcast. Mas a surpresa foi Binary Domain, que eu nunca havia ouvido falar e se mostrou um  título de peso.

O jogo foi desenvolvido pelo mesmo estúdio responsável pelo excelente Yakuza (Que qualquer diria abordarei aqui), mais precisamente por Toshihiro Nagoshi. Talvez o tema mafia japonesa tenha cansado o bronzeado designer.

Binary Domain nos leva ao ano de 2080 no controle do sargento Dan Marshall, que além de ser o protagonista principal, também é o responsável por um grupo de mercenários oriundos de várias localidades do mundo como Reino Unido, China, Estados Unidos e França. A razão pela qual todos se reuniram é que uma empresa chamada "Amada" criou diversos robôs semelhantes aos seres humano, alias, não só semelhante, mas acreditam serem humanos. Resta ao seu grupo tentar acabar com os planos da "Amada" e destruir as Hollow Childs, que no caso é como esses humanos robôs são chamados.



O enredo é sensacional, você acredita que será apenas um jogo de ação em terceira pessoa com personagens clichés e tiroteio desenfreado e com roteiro feito para a novela das sete, mas quanto mais se avança na trama, mais profundo o jogo se torna.

Há um sistema de interação com os personagens do grupo. Você pode tomar a frente do tiroteio e ir dando ordens para que o cubram ou mesmo ataquem enquanto você se esconde. Mas o interessante é que você ganha pontos de amizade de acordo com suas respostas e ações. O nível de afinidade vai aumentando e você até mesmo pode se envolver romanticamente com um das suas companheiras, Tudo vai depende do seu desempenho e respostas durante o jogo.


O primeiro capitulo eu achei bem longo e cansativo, mas depois que você encontra com o grupo é só alegria, pois você passa para um ambiente aberto e a ação se torna mais frequente.



Os inimigos possuem diversos pontos que os despedaçam e em certos momentos você até se confunde se acertou um ou outro quando eles se aglomera, porque é pedaço de metal voando para todos os cantos. Cada ponto do inimigo recebe o impacto de uma maneira diferente, então você pode arrancar um braço, perna ou mesmo a cabeça e assistir o corpo atirando para todos os lados e acertando até mesmo os próprios companheiros robôs.

Claro, eles também podem correr de maneira suicida em sua direção e te assustar pra diabos!O design dos inimigos lembram muito os robôs do filme "Eu, Robô" que alias, é muito bom e vocês precisam assistir urgente. Tenho certeza que assistir a esse filme vai te dar um gás a mais pra jogar Binary Domain.

Outro ponto interessante do jogo são as armas que podem receber upgrades, mas infelizmente você consegue fazer upgrades apenas na principal, que no caso é uma metralhadora com um ataque secundário de energia. Quanto mais forte você a deixa, melhor o desempenho durante o combate e mais chances das garotas cederem ao seu charme de sargento fodão.



Bem, por mais que você queira seguir com outras armas, no final das contas você sempre precisa abrir mão dela para pegar um rocket launcher, porque sempre aparecerá inimigos robóticos gigantescos e metralhadora não dá conta dele - Acredite, eu tentei.

Você também pode comprar itens que melhorem a sua habilidade e a de sua equipe, o que dá uma pegada RPG ao jogo, visto que as melhorias podem tornar o seu personagem mais letal e resistente a pisada de robôs de 15 metros.

Sinceramente eu nem me importei com esse detalhe e paguei por isso ao ter que encarar uma nave gigantesca por quase 1 hora, então não faça como eu: Não passe horas destroçando androides e dando em cima da asiática do grupo e esquece de melhorar as habilidades e armas do grupo.



Agora resta torcermos para que a SEGA e o Yakuza Team resolva revisitar esse universo e nos trazer outro jogo. No próximo eles poderiam convidar o Sr. Schwarzenegger para uma participação como T800.

Binary Domain é o jogo que inicialmente vai querer fazer você desligar o console ( ou desinstalar caso jogue no PC), mas dê uma chance a ele e seja surpreendido por um enredo tão bem trabalhado que sua cabeça vai explodir.

O jogo foi lançado para Xbox360, PlayStation 3 e para o PC, que por sinal está com um preço ótimo na Steam. Vale o preço investido!

Nenhum comentário:

Postar um comentário