Sabe aquela banda que seu amigo te apresentou e que após ouvir duas faixas na maior má vontade, tu logo diz: Mano, mó merda, cê tá ouvindo essa bosta! 

Hummm, boiola!

O meu contato com o Bring Me The Horizon foi dessa forma, após meu grande amigo Erivelton, apresentar o álbum "There Is A Hell, Believe Me I've Seen It. There Is A Heaven, Let's Keep It A Secret" eu repudiei o vocal, que mais se assemelhava à um bode berrando, após ter seus testículos esmagados. E não me leve a mal, apesar de curtir monstros como  Ozzy, Black Sabbath, Dio e Motörhead durante toda a adolescência, eu  gosto de conhecer bandas novas.

Bring Me The Horizon me desapontou nesse primeiro contato, mas meses depois, enquanto procrastinava pela internet, resolvi ouvir novamente aquele álbum. Foi então que tive contato com o novo álbum: Sempiternal.




Após ouvir a faixa "Shadow Moses" eu não podia acreditar que se tratava da mesma banda. Eu não consegui tirá-la do repeat, algo semelhante só aconteceu quando ouvi pela primeira vez o álbum Norma Jean - VS - The Anti-Mother, que é fantastico, ouça.

Aqui os gritos escalafobéticos e incompreensíveis deram lugar a um gutural audível, além de letras mais profundas e um melhor aproveitamento da voz de Oliver, vocalista da banda. Os melódicos são de arrepiar, além de que o teclado incorpora perfeitamente cada faixa.

Claro, os fãs putinhas detestaram, querem peso, querem berros, querem mais do mesmo, o que ao meu ver não faz sentido. Eu procurei ouvir os álbuns anteriores e basicamente flertavam com o deathcore, ou seja, mais do mesmo, exceto as composições, que eram bacanas.

Bem, mas pelo que pude entender dos diversos comentários criticando a mudança da banda, foi que eles temem que o BMTH se torne em algo pop, o que é uma tremenda burrice.

No vídeo você confere a evolução do vocalista no decorrer dos álbuns.

Eu pensei que essa mentalidade underground tivesse mudado, mas ainda existem pessoas que enxergam o popular como algo ruim. É a mesma galera que diz "Slipknot é ruim, pois virou pop" mas bate o cartão todas as vezes que os caras vem ao Brasil. 

Esse preconceito bobo só estraga o cenário musical e dificulta o nosso acesso a bandas ótimas.

Não fiquem putinhas, eu entendo essa mentalidade, pois em minha adolescência eu era um fã putinha do Slipknot, e achava que eles não deveria ser muito popular, mas quase tive um orgasmo quando os assisti no Rock´n Rio pela TV.

Repito, radicalismo não leva a nada, a musica em si foi feita para ser ouvida e curtida.

Voltando ao Bring Me The Horizon, saibam que em Sempiternal você encontrará um álbum bem produzido, além de uma musica mais madura, sem aquela pegada adolescente, que ao meu ver é/era 90% do atrativo do publico dos álbuns anteriores.

Sempiternal é tão bom que levou o premio APM como álbum do ano, mesma categoria que Avenged Sevenfold competiu com a música "Hail to the King" no ano passado. Enquanto você esta ai, chorando e reclamando, seu putinha!


Se existe um gênero de filme que me faz soltar boas gargalhadas tanto quanto uma boa comédia, são os filmes de horror. Eu cresci assistindo a clássicos como The Shinning, Christine, Gremlins, Hellraiser entre tantos outros, mas quando preciso jogar algum título do gênero eu simplesmente bugo.

Obviamente não estou aqui para falar dos meus complexos e problemas mentais, mas sim, para apresentá-los à Lakeview Cabin Collection.


Frases como "Cara, a minha namorada não gosta de games" ou "Minha esposa briga o tempo todo comigo, pois diz que passo tempo demais no videogame e não dou atenção" são muito comuns quando se é adulto e está em um relacionamento.

Mas tenha calma, respire e se atente a leitura, pois apresentarei alguns jogos que você pode apresentar ao seu parceiro(a) e juntos curtir aquela noite divertida em frente a TV.

Antes de começar alerto que é precisa analisar o perfil de sua amada(o), pois conhecer os gostos é essencial, caso contrário você continuara com suas frustrações.

Conheceu o terreno? Então vamos às dicas, e o primeiro é indicado para as românticas(os) incorrigíveis.


Uma das coisas que eu tenho certeza nessa vida é que com a inclusão digital, todos o ser vivo quer os seus 15 minutos de fama. E não importa o quão ridículo e constrangedor seja a situação na qual ele vai se colocar, o importante é o conteúdo se tornar viral.

Há alguns casos em que a pessoa indiretamente acaba sendo exposta de forma que sua imagem, vídeo ou seja lá o diabo que a pessoa fez, se torna viral e ganha a mídia. Por exemplo a Geisy Arruda e seu vestido rosa-choque. 

O caso dela ganhou repercussão nas redes sociais e até mesmo os jornais estrangeiros, e hoje ela esta ai, sendo ela, nos brindando com belíssimas interpretações.

OK, eu não estou aqui para falar de subcelebridades, aquilo foi só um exemplo... talvez um péssimo exemplo.

Estou tentando dizer que assim como subcelebridade é criada a partir de virais, objetos também consegue essa proeza.

Infelizmente.

Então se preparem, pois irei contar algo que aconteceu na cidade de Flagstaff, Arizona, onde uma mulher de 32 anos, chamada de Kym Ackerman, após ver o raio-x de seus dentes, enxergou algo fora do comum, ela achou o rosto Jesus Cristo em um dente sem cavidade.


Ela perguntou ao dentista se ele também enxergava Jesus sorrindo em seu dente. Nada impressionado, ele informou que os dentes estavam bem, mas receitou  que começasse a se medicar com Pipotiazina e Trifluoperazina.

Descontente por algumas pessoas não se importarem, ela  ligou para a imprensa, pois não é todos os dias que Jesus deixa de cuidar dos problemas do mundo para fazer uma selfie com uma maquina de raio-x.

Ficou curioso, olha só a imagem:



Se você esta pensando que Kym é louca, engana-se, pois isso é uma condição psicológica chamada de Pareidolia. Há uma enorme quantidade de pessoas que alegam enxergar Jesus até mesmo em torradas - que por sinal, hoje em dia tem uma maquina de torrada exclusiva.

A questão é POR QUE DIABOS JESUS RESOLVERIA APARECER JUSTAMENTE NA DROGA DE UM DENTE.

É, tem gente que realmente leva ao pé da letra essa história de que Jesus esta em todas as coisas, só que calma lá.

Tudo bem se você  quer acreditar no espaguete voador ou no Goku, mas crer que uma entidade poderosa e com mais de 9000 de KI tomou a decisão de aparecer em um dente ou no pescoço de uma celebridade - quer dizer, acho que nem é mais celebridade - no dia do seu casamento?

Jesus poderia aparecer no oriente médio e unir o povo, mas não, ele prefere ir ao casamento de uma ex-chiquitita.

Posso imaginar o dialogo entre Deus e Jesus:

Jesus: Pai, seguinte, preciso dar um pulo na terra.
Deus: Como assim, mas e seus afazeres, eu ainda estou tentando resolver aquele problema do oriente médio.
Jesus: Pow, uma chiquitita vai se casar com um pagodeiro e preciso marcar presença.
Deus: Filho, tu não cuidou da África e ainda não chegou o dia de você voltar.
Jesus: Mas paiii, é o casamento da minha chiquitita favorita.
Deus: OK, mas não deixe ninguém te ver, pois nas ultimas vezes você foi bem exibido, principalmente com aquela frigideira.
Jesus: Foi sem querer, você sabe disso. Mamãe apareceu para as três garotinhas e não vi o senhor reclamar.
Deus: Ela é a sua mãe, ela manda, apenas aceite e pronto.
Jesus: Posso pelo menos sair em uma foto? Quero tanto uma recordação dessa vez.
Deus: Só uma e não se demore, você ainda tem que resolver aquele problema com a Noruega.


A grande verdade é que não todas, mas algumas pessoas utilizam de personagens religiosos afim de obter seus 15 minutos de fama. Enquanto as pessoas procuram em símbolos uma forma de se aproximarem de seus deuses, esquecem do mais importante. 

Tentem amar o seu semelhante de vez em quando, ou pelo ser uma pessoa melhor em suas ações.Não adianta você ser um escroto no dia-a-dia e ficar comentando amém no facebook depois - seu bosta.

Fonte: Huff Post