28 de abril de 2015

BRING ME THE HORIZON | FAZENDO MUSICA BOA E IRRITANDO FÃS PUTINHAS


Sabe aquela banda que seu amigo te apresentou e que após ouvir duas faixas na maior má vontade, tu logo diz: Mano, mó merda, cê tá ouvindo essa bosta! 

Hummm, boiola!

O meu contato com o Bring Me The Horizon foi dessa forma, após meu grande amigo Erivelton, apresentar o álbum "There Is A Hell, Believe Me I've Seen It. There Is A Heaven, Let's Keep It A Secret" eu repudiei o vocal, que mais se assemelhava à um bode berrando, após ter seus testículos esmagados. E não me leve a mal, apesar de curtir monstros como  Ozzy, Black Sabbath, Dio e Motörhead durante toda a adolescência, eu  gosto de conhecer bandas novas.

Bring Me The Horizon me desapontou nesse primeiro contato, mas meses depois, enquanto procrastinava pela internet, resolvi ouvir novamente aquele álbum. Foi então que tive contato com o novo álbum: Sempiternal.




Após ouvir a faixa "Shadow Moses" eu não podia acreditar que se tratava da mesma banda. Eu não consegui tirá-la do repeat, algo semelhante só aconteceu quando ouvi pela primeira vez o álbum Norma Jean - VS - The Anti-Mother, que é fantastico, ouça.

Aqui os gritos escalafobéticos e incompreensíveis deram lugar a um gutural audível, além de letras mais profundas e um melhor aproveitamento da voz de Oliver, vocalista da banda. Os melódicos são de arrepiar, além de que o teclado incorpora perfeitamente cada faixa.

Claro, os fãs putinhas detestaram, querem peso, querem berros, querem mais do mesmo, o que ao meu ver não faz sentido. Eu procurei ouvir os álbuns anteriores e basicamente flertavam com o deathcore, ou seja, mais do mesmo, exceto as composições, que eram bacanas.

Bem, mas pelo que pude entender dos diversos comentários criticando a mudança da banda, foi que eles temem que o BMTH se torne em algo pop, o que é uma tremenda burrice.

No vídeo você confere a evolução do vocalista no decorrer dos álbuns.

Eu pensei que essa mentalidade underground tivesse mudado, mas ainda existem pessoas que enxergam o popular como algo ruim. É a mesma galera que diz "Slipknot é ruim, pois virou pop" mas bate o cartão todas as vezes que os caras vem ao Brasil. 

Esse preconceito bobo só estraga o cenário musical e dificulta o nosso acesso a bandas ótimas.

Não fiquem putinhas, eu entendo essa mentalidade, pois em minha adolescência eu era um fã putinha do Slipknot, e achava que eles não deveria ser muito popular, mas quase tive um orgasmo quando os assisti no Rock´n Rio pela TV.

Repito, radicalismo não leva a nada, a musica em si foi feita para ser ouvida e curtida.

Voltando ao Bring Me The Horizon, saibam que em Sempiternal você encontrará um álbum bem produzido, além de uma musica mais madura, sem aquela pegada adolescente, que ao meu ver é/era 90% do atrativo do publico dos álbuns anteriores.

Sempiternal é tão bom que levou o premio APM como álbum do ano, mesma categoria que Avenged Sevenfold competiu com a música "Hail to the King" no ano passado. Enquanto você esta ai, chorando e reclamando, seu putinha!

2 comentários:

  1. Vampire Extreme28/04/2015 18:11

    Eu ouvi a evolução do vocalista e achei bem interessante o começo pro final no começo você não escutava nem a letra da música de tanto berros que tinha,aí no final ficou algo mais calmo parecido com Imagine Dragons.
    Não vejo o problema dessa banda virar uma banda pop,o importante é a música em si e não o estilo musical dela.

    Ótima postagem cara,achei bem interessante Vlw

    ResponderExcluir
  2. Isso mesmo Vampire!

    Uma banda não precisa necessariamente ficar preso a um determinado estilo, precisam evoluir. Ser pop não significa que eles se transformaram no One Direction, apenas abrangera um publico maior.

    Imagine Dragons é uma ótima banda! ;)

    ResponderExcluir