17 de novembro de 2014

5 JOGOS QUE MARCARAM A MINHA INFÂNCIA


O meu grande amigo Nesbitt do canal NesbittTV e Retro News Forever me convidou a participar de um MEME do YouTube " 5 Jogos que Marcaram a Minha Infância.". Primeiramente pensei na possibilidade de participar produzindo um vídeo, mas infelizmente o tempo livre não colaborou, então trago a minha participação em texto.

E se não gostou pode voltar para o YouTube - SEU BOBO!




O primeiro jogo que tive o prazer de jogar no Master System foi Alex Kidd, mas posso dizer que Shinobi foi o que mais marcou.

Primeiramente porque na época eu era vidrado nos filmes do Bruce Lee e American Ninja, assistia sempre que passava na TV, pois levou algum tempo até comprarmos nosso primeiro vídeo-cassete.

Agora pense em um gordinho que era louco para fazer acrobacias, mas nunca o fez devido a ausência de coordenação motora, e medo de causar abalos sísmicos. Obviamente que no game Joe não faz acrobacias, só que na minha cabeça ele fazia muito mais. - Principalmente nos momentos em que estava sozinho e começava a falar por ele.

Bons tempos!

Meu tio e eu jogávamos a exaustão esse game, mas nunca o finalizamos juntos, o que foi uma pena. Atualmente comecei a jogá-lo novamente e se você quiser conferir o gameplays, basta clicar no banner do Joe Mushashi.



Depois de entrar no mundo dos games com o Master System, recordo que tive um pouco de preconceito quando meu pai apareceu com um Atari em casa. 

De início fiquei extremamente empolgado, pois eu queria um videogame, mas depois ao descobrir que não poderia jogar nenhum dos games que já tinha jogado, fiquei um pouco triste.

Criança não tem jeito, nunca fica feliz!

Claro, a tristeza só durou o tempo dele alugar cartuchos na sexta-feira, um ritual muito comum nos anos 90. E recordo até hoje que pagamos 60 centavos por cartucho locado, já que o Atari não era mais sensação.

Foram noites e mais noites jogando a família toda, sem parar e que por sinal até relatei uma delas em um texto especial - A Noite do Atari.


Metal Gear Solid foi o primeiro game "adulto" que zerei jogando sozinho e lembro até hoje a sensação de progredir na jogatina sem revistas. E olha que o cara da videolocadora até insistiu que eu levasse o detonado.

Coloquei o dicionário embaixo do braço, acomodei o traseiro de forma confortável em frente a televisão e passei o final de semana todo jogando sem parar - Mentira, minha mãe ameaçava me surrar se eu não desligasse o vídeo game.

Foram vários domingos com minha família reunida na sala conversando enquanto eu acabava com a raça de Liquid Snake e seus amiguinhos.

Odin do céu!! Eu amo esse game!


D foi o primeiro game adventure/horror que conheci no Sega Saturn, mas foi o primeiro a trazer um pouco de suspense as noites de jogatina em família.

O game não tem save, então nos divertíamos muito com minha mãe socando e beliscando meu pai a cada tela de game over. Lembro que os puzzles era um pouco complicado, principalmente para meu pai que nunca fora chegado em games com essa pegada.

Esse é um game que apesar de EU não ter jogado, mas sim, ter sido co-piloto do meu pai, acabou por me marcar muito, então ele merece o lugarzinho nessa lista.


King of Monster é um dos games que meu irmão e eu jogamos muito, não só por ser um beat´n up, mas porque seus personagens são gigantes.

Quando se é criança e gosta de Godzilla, Spectreman e Jaspion, jogar um game em que os mocinhos são criaturas gigantescas é de encher os olhos. Claro, eu já tinha experimentado o game do Ultraman, que era uma merda, então agradecíamos a Izanagi por essa benção de cartucho como opção.

Lembro

Um fato não importante é que quando comecei a fuçar pela internet, usava diversos pseudônimos, como DarkBoy, SadClown,  mas quando decidi criar um blog sobre games, na hora pensei no gorila robô Cyber Woo, que era o meu personagem favorito.

É, eu disse que não era interessante.

Fiquem com o gameplay desse jogão feito pelo canal World of Longplays.


Até a próxima.

4 comentários: