Hoje em dia são poucas as crianças que realmente querer curtir essa fase. Basta dar uma olhada no facebook para topar com milhares de mini-adultos. Eu, quando jovem queria saber de me brincar com meus “hominhos" e jogar videogame.

Sofri minhas paixonites infantis como qualquer outra criança, mas não conseguia abandonar meus brinquedos e games. Confesso que em determinado momento da minha infância, pensava que aos 20 anos eu estaria em um ótimo emprego, casado e com filhos.

Não deu nada certo, puta merda!


Eu preciso admitir que nunca fui muito chegado no personagem Superman, mesmo gostando dos filmes antigos com o saudoso Christopher Reeve. Eu sempre gostei mais do HULK interpretado pelo grande Lou Ferrigno ao lado de Bill Bixby

Um gigante verde e com um ódio monstruoso por qualquer coisa viva ou não e com um dos melhores temas de todos os tempos, que é famosa "Lonely Man". Logo fica difícil gostar de alguém que usa a cueca sobre a roupa e fica o tempo todo salvando uma repórter chata.

Calma, esse é só o meu gosto, e isso não torna o Superman  ruim, só perde quando eu comparo ele a outros super-heróis do meu gosto pessoal, hahaha!

Mas vamos ao que interessa!

Passado anos e anos, eis que surge Superman Returns, um dos piores filmes de todos os tempos. Sinceramente, eu até tentei gostar e defender aquela bagaça na época, mas fica impossível quando tudo é tão ruim.

Já não tinha esperança alguma de algo novo do personagem nos cinemas, mas eis que novamente sou surpreendido com um belo soco nos bagos.

Man of Steel é simplesmente fantásticos e vai deixar você eufórico com as cenas de ação, ao menos para mim foi impossível não lembrar de Dragon Ball Z. - Não me julgue, OK?

Os trajes Kryptonianos ficaram sensacionais.
Um ponto interessante do filme é que o diretor conseguiu nos contar o passado de Clark em poucos minutos. Algo que Smallville não conseguiu fazer em 10º temporadas, e falando em Smallville;

Foda-se Smallvile, Foda-se Lana! Agora voltemos ao filme.

Depois de conhecermos um pouco do passado, somos apresentados a um Clark adulto e com controle de quase todos os seus poderes e que precisa impedir Zod de transformar a terra em uma nova Krypton.

Zod oferece um acordo, mas vocês conhecem o Superman e seu discurso sobre humanidade blá,blá, eu nasci aqui, blá, blá, etc...

Ah, temos a Louis, que também é um fator importante para a humanidade não ser extinta, caso contrários, todos estaríamos fodidos. Ela até da uma força, mostrando que ela não tem nada a ver com as Louis do passado.

Obrigado Amy Adams!


Bem, mas o foco principal é Zod e sua tropa, que simplesmente rouba a cena a todo momento, mas não desmereço Henry Cavill, que faz jus ao titulo de homem de aço. O cara simplesmente esta gigante no filme.


As batalhas são animais, difícil não se empolgar com rostos sendo esmagados contra o solo e  tanques de aço sendo rasgados feito papel - Não fico empolgado assim desde Pacific Rim (Que rezo por uma continuação todos os dias).

Michael Shannon é um monstro durante todo o filme. As melhores cenas acontecem graças a ele, o que me leva a crer que Zod merece um filme só dele.


Os efeitos especiais são magníficos e a história ganhou uma reformulada que provavelmente vai encantar aqueles que desconhecem a história do Superman. Se é que existem alguém que não conheça a história dele.

O filme é divertidíssimo, mesclando humor e muita pancadaria rolando solta. Sem contar que Zod  e Superman tem uma das batalhas mais legais do cinema desde Neo x Sr.Smith e Goku x Majin Boo.

Particularmente eu não gostei do final do filme e você entenderam o porquê, mas isso não tira o mérito. Só não atitudes drásticas, limando minha alegria por alguns personagens apresentados, mas o filme é foda. 

É isso, compre a pipoca, o refri e convide a namorada para apreciarem juntos o peito saradão do azulão de capas. Soou meio estranho, mas ta valendo.



Um dos meus maiores vícios adolescentes que trago comigo até os dias de hoje é o amor pela franquia Dragon Ball. Sou tão hardcore que só conheci Dragon Ball Z através do Band Kids apresentado pela maravilhosa Kira - Uma aprendiz de heroína que fez a alegria de muitos adolescentes, se é que me entende.

Nada me deixava tão pilhado quanto um game do Dragon Ball Z, sendo o que mais joguei foi Dragon Ball Z: Legends. Diferente do ódio tomando posse do meu corpo ao jogar DBGT : Final Boot, pois  nada consegue ser tão ruim e lento quanto aquele game.