29 de abril de 2014

ESPECIAL (ATRASADO) DE PÁSCOA | CHOCOLATES & MEGAMAN



Hoje em dia são poucas as crianças que realmente querer curtir essa fase. Basta dar uma olhada no facebook para topar com milhares de mini-adultos. Eu, quando jovem queria saber de me brincar com meus “hominhos" e jogar videogame.

Sofri minhas paixonites infantis como qualquer outra criança, mas não conseguia abandonar meus brinquedos e games. Confesso que em determinado momento da minha infância, pensava que aos 20 anos eu estaria em um ótimo emprego, casado e com filhos.

Não deu nada certo, puta merda!

Porém, ter ideia da responsabilidades que estavam por vir no futuro me motivou a curtir ao máximo meus "Hominhos" e brincar com meu irmão e primos. Felizmente eu consegui ser criança nos anos 90 e talvez seja por isso que amo tanto reviver esses momentos hoje em dia.

Falando em reviver, hoje quero compartilhar com todos vocês, aquele que talvez seja uma lembrança que guardo com muito carinho e que rolou em uma manhã de Páscoa.

Acordei bem cedo e enquanto meu irmão ligava o Super Nintendo, eu corria para geladeira pegar os ovos de Páscoa. Lembro que naquela pascoa ganhamos muitos ovos, então levei algum tempo para me decidir qual devorar primeiro.

Oras, não me olhe assim!

Munido de chocolate suficiente para matar um exercito de diabéticos, começamos a jogar Megaman X2, como se não houvesse um amanhã.





Enquanto jogávamos, discutíamos sobre a diferença entre o desenho exibido no SBT e o game. Achávamos estranho o Megaman nunca encontrar as capsulas com partes da armadura, então sempre assistíamos na esperança dele encontrar algumas delas. 

Acabava o episódio e gritávamos " Cadê a droga dos upgrades da armadura?" .

Recordo que foram várias as vezes que me frustrei assistindo ao desenho, mas convenhamos que a internet não era acessível naquele tempo e tampouco comprava revistas de games, então levou muito tempo até descobrir que X pertence a um universo alternativo do Megaman. Tanto que ele é chamado de X na série, enquanto o desenho era focado no enredo principal.

Ah, também tinha o Street Fighter: The Game, que achávamos horrível, mas não perdíamos um episódio.


Outra coisa bacana é que adorávamos assistir ao desenho e ir correndo jogar o game. Era como se pudesse jogar com o mesmo personagem que tínhamos conferido no desenho. Isso valia para o Megaman e o Street Fighter.

Eu sei, parece coisa de sequelado, mas eramos crianças e não esses monstros de hoje em dia.

Ah, é incrível como um momento tão simplesmente ficou cravado em minhas memória depois de tantos anos. O mais divertido de tudo é que por muito tempo pensei que apenas eu tinha sido marcado por aquela manhã, então um dia perguntei ao meu irmão e me surpreendi com a resposta.
Doguinha é o apelido de Douglas, saca?
Admito que é muito bom saber que mesmo após tanto tempo, esse dia marcou tanto ele quanto a mim. Apesar de nossos gostos serem tão diferentes, sempre teremos Megaman como algo em comum.

Bem, mas espero que tenham gostado desse pequeno fragmento da minha infância e se vocês também possuem uma lembrança especial, deixe nos comentários.



17 de abril de 2014

CRÍTICA | MAN OF STEEL - MELHOR QUE O SUPERMAN RETURNS


Eu preciso admitir que nunca fui muito chegado no personagem Superman, mesmo gostando dos filmes antigos com o saudoso Christopher Reeve. Eu sempre gostei mais do HULK interpretado pelo grande Lou Ferrigno ao lado de Bill Bixby

Um gigante verde e com um ódio monstruoso por qualquer coisa viva ou não e com um dos melhores temas de todos os tempos, que é famosa "Lonely Man". Logo fica difícil gostar de alguém que usa a cueca sobre a roupa e fica o tempo todo salvando uma repórter chata.

Calma, esse é só o meu gosto, e isso não torna o Superman  ruim, só perde quando eu comparo ele a outros super-heróis do meu gosto pessoal, hahaha!

Mas vamos ao que interessa!

Passado anos e anos, eis que surge Superman Returns, um dos piores filmes de todos os tempos. Sinceramente, eu até tentei gostar e defender aquela bagaça na época, mas fica impossível quando tudo é tão ruim.

Já não tinha esperança alguma de algo novo do personagem nos cinemas, mas eis que novamente sou surpreendido com um belo soco nos bagos.

Man of Steel é simplesmente fantásticos e vai deixar você eufórico com as cenas de ação, ao menos para mim foi impossível não lembrar de Dragon Ball Z. - Não me julgue, OK?

Os trajes Kryptonianos ficaram sensacionais.
Um ponto interessante do filme é que o diretor conseguiu nos contar o passado de Clark em poucos minutos. Algo que Smallville não conseguiu fazer em 10º temporadas, e falando em Smallville;

Foda-se Smallvile, Foda-se Lana! Agora voltemos ao filme.

Depois de conhecermos um pouco do passado, somos apresentados a um Clark adulto e com controle de quase todos os seus poderes e que precisa impedir Zod de transformar a terra em uma nova Krypton.

Zod oferece um acordo, mas vocês conhecem o Superman e seu discurso sobre humanidade blá,blá, eu nasci aqui, blá, blá, etc...

Ah, temos a Louis, que também é um fator importante para a humanidade não ser extinta, caso contrários, todos estaríamos fodidos. Ela até da uma força, mostrando que ela não tem nada a ver com as Louis do passado.

Obrigado Amy Adams!


Bem, mas o foco principal é Zod e sua tropa, que simplesmente rouba a cena a todo momento, mas não desmereço Henry Cavill, que faz jus ao titulo de homem de aço. O cara simplesmente esta gigante no filme.


As batalhas são animais, difícil não se empolgar com rostos sendo esmagados contra o solo e  tanques de aço sendo rasgados feito papel - Não fico empolgado assim desde Pacific Rim (Que rezo por uma continuação todos os dias).

Michael Shannon é um monstro durante todo o filme. As melhores cenas acontecem graças a ele, o que me leva a crer que Zod merece um filme só dele.


Os efeitos especiais são magníficos e a história ganhou uma reformulada que provavelmente vai encantar aqueles que desconhecem a história do Superman. Se é que existem alguém que não conheça a história dele.

O filme é divertidíssimo, mesclando humor e muita pancadaria rolando solta. Sem contar que Zod  e Superman tem uma das batalhas mais legais do cinema desde Neo x Sr.Smith e Goku x Majin Boo.

Particularmente eu não gostei do final do filme e você entenderam o porquê, mas isso não tira o mérito. Só não atitudes drásticas, limando minha alegria por alguns personagens apresentados, mas o filme é foda. Então, compre pipoca, chame a namorada, e diga a ela que hoje você vai liberar uns peitos tão sarados que provavelmente ela irá abandonar você.

Você não vai se arrepender, mas se você for tão ansioso quanto eu, assista só a primeira parte da luta final do filme. Só a primeira parte, para não perder a graça;

4 de abril de 2014

Dragon Ball Z Budokai Tenkaichi 2



Um dos meus maiores vícios adolescentes que trago comigo até os dias de hoje é o amor pela franquia Dragon Ball. Sou tão hardcore que só conheci Dragon Ball Z através do Band Kids apresentado pela maravilhosa Kira - Uma aprendiz de heroína que fez a alegria de muitos adolescentes, se é que me entende.

Nada me deixava tão pilhado quanto um game do Dragon Ball Z, sendo o que mais joguei foi Dragon Ball Z: Legends. Diferente do ódio tomando posse do meu corpo ao jogar DBGT : Final Boot, pois  nada consegue ser tão ruim e lento quanto aquele game.


Depois de anos de sofrimento, acabei por conhecer o game Dragon Ball Z Budokai Tenkaichi 2, que tornou-se meu vicio. 

Ninguém em casa foi capaz de deter minha fúria sayajin!

O game passa por todas as sagas do anime, tendo inicio com a Saga dos Sayajins e encerrando com a saga do Syn Shenron de DBGT. Há algumas batalhas que abrem histórias alternativas, do tipo "E Se", uma coisa bem bacana de se desbloquear.

Os gráficos são ótimos e os efeitos de luzes dos especiais são de estuprar os olhos, mas começa uma batalha e você já quer enfiar um Kame-Hame-Ha na cara do adversário, só para ver os show de luzes, além do inimigo sendo espatifado feito o verme que é no solo.



A trilha sonora também é ótima, cada cenário tem a sua, e mesmo depois de umas 18 horas jogando consecutivamente, você não enjoa, mas se isso acontecer, basta desligar o console, oras.

Com relação a jogabilidade, não tenho do que reclamar, é  simplesmente maravilhosa, e você pega os comandos muito rápido. Você consegue desencadear combos incríveis e  com extrema facilidade, algo que aumenta muito o tempo de vida do game.

Um ponto que negativo que me chamou a atenção foi a câmera, que gerou muito dos comentários negativos de outros jogadores acerca do game, e que no começo realmente lhe deixa um pouco frustrado até se acostumar.


Após levar um dano muito grande seu personagem fica desorientado o que leva a ter esse problema com a câmera, mas isso não estraga a diversão. O modo multiplayer também não é de todo ruim, é possível se divertir por horas, apesar de não gostar da tela divida (tenho Horror!). Ah, os loadings também são chatos pra cacete, talvez seja um dos maiores defeitos do game, mas a jogabilidade e diversão compensa a espera.

Ah! Vale ressaltar que seu personagem aumenta de level, que apesar de levar um tempo, mas quando alcançado um level alto,  tornar o game de mais fácil - Nada que algumas horas batalhando não resolva, e com um nível maior você consegue dar uma surra merecida naquele  filho-da-mãe que limpou o chão com sua cara.

Só que para isso é necessário você equipar o seu personagens com determinado equipamentos, para que possa evoluir o atributo que bem desejar.



Resumindo tudo, esse é um dos meus games favoritos do Dragon Ball Z, então se você é fã provavelmente irá gostar muito  e ira passar horas a fio jogando. Agora se você não é gosta do anime, provavelmente você também acabara se divertindo e muito.

Há uma variedades de torneios para você participar e temos também a nossa disposição mais de 100 personagens, e 15 cenários, que por sinal é muito pouco e se torna repetitivo com o tempo.

Agora uma coisa impressionante são as fusões, que apesar de você só a adquirir no modo historia, uma vez concluído a etapa da saga, você já pode utilizar sem problemas em modo versus, contanto que esteja com o personagem compatível.


E o aumento de força do personagem é perceptível, a velocidade dobra, podemos dizer que realmente é somado o level dos personagens.  Também se pode transformar de super sayajin 1 para 2 a qualquer hora do combate, basta ter energia para tal.

DBZ Budokai Tenkaichi 2 é um excelente titulo e que vale a pena conferir! ^^