Lá se vai 2014 (espero que apodreça no limbo) e parece que joguei tão pouco esse ano, mesmo sobrando um pouco mais de tempo do que tive em 2013.

Não posso reclamar, me diverti bastante e fico imensamente contente em ser convidado a participar novamente desse meme - E se você não leu o anterior basta conferir: O que joguei em 2013.

Agora que você conferiu todos os jogos awesome que joguei ano passado, se prepare para conferir a minha variada lista de 2014.

Em 1992 surgiu um programa voltado as crianças de 4 á 6 anos, intitulado de "Barney e seus amigos". O alvoroço foi enorme, sucesso absoluto, algo que se assemelha ao sucesso de Galinha Pintadinha, Peppa Pig e Xuxa para Baixinhos.

Só de lembrar sinto um friozinho subir pela espinha.


O meu grande amigo Nesbitt do canal NesbittTV e Retro News Forever me convidou a participar de um MEME do YouTube " 5 Jogos que Marcaram a Minha Infância.". Primeiramente pensei na possibilidade de participar produzindo um vídeo, mas infelizmente o tempo livre não colaborou, então trago a minha participação em texto.

E se não gostou pode voltar para o YouTube - SEU BOBO!


Depois de ter me surpreendido com a chatice que foi a Mulher de Preto, que assisti unicamente para ver o Radcliffe em algo diferente. Foi um prazer imenso assistir Horns e não lembrar de Harry Potter

O filme é baseado em um livro escrito por Joe Hill, filho do famoso mestre do horror, Stephen KING. O que já significa algo, mas não encoraja, visto que adaptações são espadas. 

Não entendeu? 

Lembre-se de Código D' Vinci, um livro bom que se tornou um filme chato, mas esqueçamos Dan Brown, focaremos em Ig Perish, protagonista do filme. 

O cara esta sendo acusado de ter matado a própria namorada. Apesar de alegar inocência, todos a sua volta acreditam que ele é o culpado. Constantemente é acusado de monstro, capiroto e maníaco do parque, o que não deve tornar a vida fácil, então como qualquer boa alma atormentada, Ig tira uma  noite pra encher a cara e blasfemar o nome de Jesus e família.

Depois de ficar extremamente bêbado, corre para floresta onde o corpo de sua amada havia sido encontrado. Lá, escondido nas sombras, assiste uma homenagem a sua falecida.

Enraivecido por todos o acusarem, ele resolve descontar a raiva destruindo alguns presentes e imagens de santos deixado no local, até urina em algumas delas. 

Um ato que fez grande parte da Noruega ovacionar. 

Depois de urinar e blasfemar, uma amiga o surpreende por trás. rola abraços, choros e na manhã seguinte, ele acorda nu pela manhã.

Em meus tempos de solteiro, isso NUNCA me aconteceu. Sempre acordei vomitado, mas mulher do lado, nem o perfume no travesseiro. 

Ficção, humph!

Bem, como pude me esquecer, agora ele tem chifres. Na boa, chifres são legais e cool - as cabeçadas alcançariam outro nível.


Ig de inicio acredita que os chifres sejam a vodca Balalaika da noite passada brincando com sua mente. Então pergunta a colega de rala e rola, se vê algo diferente nele. 

Ela diz que vê chifres e volta a atenção para uma caixa de donuts. Estranhamente ela passa a revelar as intenções maquiavélicas para com os donuts, então pede permissão para devorar as rosquinhas e parte da mobília. Ig acha estranho, mas prefere não questionar a garota, saindo do local e seguindo para a casa dos seus pais.

Parece um bom filme? Sem dúvida!

O filme é extremamente divertido, talvez um pouco lento em seu início, mas não desaponta em nenhum momento. Minha unica reclamação é o fato de que não fazem muito mistério algum para entregar quem é o assassino, pois ele praticamente é jogado na sua cara logo no início.


Algumas situações em que Ig se envolvem são de tirar gargalhadas, porém, o filme não perde o foco em momento nenhum, sempre centrado no sombrio e misterioso.

O final é surpreendente, reconheço que algumas lágrimas brotaram em meus olhos.

Não há mais o que dizer, convide sua garota para assistir ou se você esta solteiro compre um lanche monstro, coca-cola (não, eu não sou patrocinado) e apague as luzes, pois você vai passar bons momentos com esse filme.

Os livros são maravilhosos, possuem o poder de nos transportar para um mundo diferente, surreal, nos possibilita vivenciarmos aventuras que nunca tenhamos sonhados.  Claro, quando digo isso me refiro a bons autores, mas tem aqueles que conseguem até mesmo destruir a imagem de personagens históricos como lobisomens, vampiros e zumbis.

Cara, isso é muito triste, mas...

Seja bem-vindo a mais uma dica de livros, pois eu sou um cara que gosto muito de ler e apesar das besteiras que digo constantemente twitter. Então para provar que sou ao menos 5% culto e inteligente, ou não.


Fim de expediente, então nada de preguiça ou desculpas para dar uma volta, pegar um cineminha, exceto que talvez você esteja tão duro quanto eu...  então acho melhor escolhermos um um filme para assistir.

Provando que você não esta sozinho e que fazia um tempo que não postava uma nova dica de filme por aqui, trago a vocês A Possessão de Michael King.

O filme conta a história de Michael King, um pai de família que esta convencido a mostrar ao mundo que Deus e o Capeta são contos da carochinha.

Sua motivação está na perca de sua esposa, que recusou uma viagem em família a Europa após consultar uma cartomante. Porém,  na semana seguinte veio a ser atropelada e falecer.

Definitivamente esse é o tipo de coisa fode com a cabeça de qualquer pessoa - Não que provar a inexistência de algo seja coisa de ateu pirado, mas esses tipo de choque fode geral.

Michael começa então uma jornada rega a  praticas de magia negra e idas a igreja universal, mas como nós sabemos que lá Satanás tem hora marcada, ele então busca auxilio com um casal de demonologistas. A partir daqui ele recebe o simbolo satânico do homem-aranha peito.


O que? Olha bem para imagem, impossível não lembrar do simbolo do homem-aranha, mas desenhado por um cara cego e sem as duas mãos.

Bem, após a execução do ritual com o casal - Além do abuso enquanto ele estava amarrado - Michael volta para sua casa e tenta seguir com sua busca pela verdade.

Só que agora as coisas estão um pouco diferente.

Michael passa a sofrer com um ruído que apenas ele parece ouvir. E isso tem acabado com suas noites de sono, o que passa a debilita-lo fisicamente. De inicio ele pensa ser apenas coisas de sua cabeça, mas conforme a história progride, o personagem começa a questionar sua sanidade.


Depois de diversos estranhos acontecimentos, Michael começa a preocupar-se com a segurança de sua filha e percebe que precisara tomar uma atitude rápido, caso não queira que nada de ruim aconteça.

Que filme foda!!

Uma das coisas mais legais desse filme é que ele deixa bem claro que o personagem vai se ferrar, mas você não imagina que seja tanto.

Obviamente que eu não irei gerar spoilers ou dizer que o filme é ruim, pois nessa seção só indico filmes que eu considero BONS. Críticas existem aos montes, então se espera me ver criticando iluminação e etc... esta no lugar errado parceiro.


Quando for assistir ao filme, desligue as luzes e traga o cobertor para perto do rosto, vai precisar.


Trago a vocês a segunda parte do meu detonado, espero que gostem e se divirtam. Não estranhem a demora entre um e outro gameplay, pois jogo e faço as gravações no meu pouco tempo livre.


Na batalha contra o chefe dessa fase rola um bug que nunca havia visto em todos esses anos.


Gostou do conteúdo do blog? Então não perca nenhuma novidades me seguindo nas redes sociais abaixo;

Twitter: https://twitter.com/Cyber_Woo 
Facebook: https://www.facebook.com/ArquivosDoWoo

O homem que diz não chorar, provavelmente nunca levou um chute na pélvis ou assistiu a "Rei Leão" - Um clássico que levou crianças e adultos as lágrimas.

Obviamente que todos choramos, basta ser provido de sentimentos, porém, nosso dia-a-dia exige que sejamos duros, guerreiros, porém, temos dias em que procuramos por filmes que possam despertar o nosso lado mais sensível, apenas porquê chorar faz bem, então resolvei trazer a vocês alguns dos títulos que os levaram ao choro de soluçar.

Começaremos com uma história baseada em eventos reais;



Animais fofinhos são uma das melhores formas de atingir o coração de pedra daquele seu parceiro carrancudo e metido à cabra macho. Isso se ele realmente tiver um coração.

Sempre ao seu lado conta a história de amor e lealdade de um cão da raça Akito e um professor universitário. 

A relação tem inicio quando Parker (O professor) encontra Hachi (O cão) em uma estação de trem e com pena do cachorrinho, acaba por o levar para casa. Desde então, Hachi o acompanha todos os dias a estação de trem pela manhã e sempre está lá quando o mesmo retorna e... 

Não posso contar mais nada, pois você precisar assistir, é lindo! 

Se você ou seu namorado(a) não chorar com esse filme, espere-o adormecer e jogue óleo quente em suas partes intimas. tenho certeza de que ele é um pedaço de madeira, pois é impossível não se comover com esse filme.

Eu fico deprimido só de lembrar... Maldito suor masculino que não para.

Só a fofura do cachorro quase que me obriga a dedicar meu tempo para assisti-lo novamente, mas vamos deixar um pouco o Hachi de lado e partir para uma jornada em busca da cura para a Aids.


Eis um filme que desabei em lagrimas quando ainda criança, e até mesmo nos dias de hoje eu choro sempre que revejo.

O filme nos conta a história de Erik, um garoto solitário que se torna o melhor amigo de Dexter, um garoto de 11 anos com HIV.

Após descobrirem que um médico alega ter descoberto a cura do HIV, juntos se lançam em uma jornada a fim de curar Dexter. Enquanto tentam chegar ao estado onde o médico reside, Dexter e Erik planejam as novas aventuras que poderão realizar após a cura durante todo o caminho.

Homens se emocionaram como se estivessem assistindo ao final de um campeonato de futebol, não tenho dúvidas. Não sintam vergonha, pode empoar o nariz na camisa e mostrar a namorada, pois isso é motivo para se orgulhar, você tem sentimentos, não é um pedaço de pau.

Infelizmente o filme não parece ser tão famoso por aqui,  mas ele emocionou muita gente durante a sessão da tarde. E se você ainda não foi emoção o suficiente para o seu coração, então assista ao filme...


Uma história comovente e que provavelmente fara com que seu parceiro abrace o travesseiro fortemente contra o peito e chore baixinho por dias.

O responsável por essa película nada mais é que o grande Clint Eastwood, que apesar de ter testosterona o suficiente para repovoar o planeta terra 3 vezes, também possui uma sensibilidade e delicadeza incrível e como diretor consegue transportar isso para a tela.

O filme aborda o encontro de Butch Haynes (Kevin Costner), um fugitivo da prisão que ao invadir uma casa acaba topando com o pequeno Phillip de 7 anos e o leva como refém. Enquanto Butch tenta fugir do detetive Red, um laço de amizade entre os dois desenvolve.

Esse filme é garantia de lágrimas aos montes!

Mas se não for o suficiente para amolecer essa pedra cabeluda que você carrega no peito, se prepare.


Recém-casal compra um cachorro e a partir dai iremos acompanhar o crescimento de Marley e a forma em como ele afeta a vida do casal.

Um filme tocante e que irá marcar a todos, particularmente eu não quis assistir ao filme na primeira vez ou ler o livro (pensei que fosse uma história bobinha), mas ao descobrir que é baseado em eventos reais, resolvi dar uma chance, então assisti e posso dizer a vocês que é uma lição de vida.

Você vai sorrir, gargalhar, ficar apreensivo mas no final vai se emocionar pra valer, caso não seja uma pedaço de pau...



Se você quer chorar logo de cara, então assista essa magnífica animação, e que conta com a memorável dublagem de Chico Anysio.

O longa nos conta a história de Carl, um idoso que vem levando uma vida amarga e solitária desde o falecimento de sua esposa, mas que decidi sair em uma aventura, só para realizar um sonho a muito atrasado, da falecida.

Você deve estar se perguntando "Cara, onde esta a tristeza?"

O inicio do filme conta a infância de Carl, desde o encontro com sua esposa até o triste adeus, então lhe alerto, que apesar de ser uma animação maravilhosa, o inicio é extremamente emocionante.



Esse é um dos filmes mais tristes que assisti até os dias de hoje, e não adianta citar nenhum romance brega, pois ele não supera essa obra prima.

O filme conta a história de Joseph Merrick, britanico que nasceu com uma doença rara e que causava deformações brutais em cerca de 90% do corpo dele. Ainda jovem fugiu de casa devido aos maus tratos da madrasta, o que o levou ao circo de aberrações, onde depois de um longo tempo, teve contato com o médico Frederick Treves, que ofereceu ajuda ao pobre rapaz.

Eu chorei durante todo o filme, mal conseguia conter as lágrimas ou dizer qualquer palavra enquanto o assistia. É um filme que fara você refletir sobre diversos pontos de sua vida e talvez mude a sua vida, pois a minha ele mudou.




Se você ainda não se recuperou do soco emocional que levou com Homem Elefante, então nem veja esse filme - Agora, se você ainda não chorou o suficiente, então se prepare para um dos mais belos e triste trabalho de Robert De Niro e Robin Williams (Que Odin o tenha!), pois esse daqui é hardcore.

O filme narra a história de Malcolm Sayer, um neurologista que conseguiu emprego em um hospital psiquiátrico. Lá ele topa com alguns pacientes que estão a anos em um estado de catatonia.Porém, desconfia que eles estão apenas adormecidos e depois de algumas pesquisas desenvolve uma droga que os traga de volta, a L-DOPA.

Sayer cria afeto por Leonard Lowe, sendo ele o primeiro paciente a passar por esse tratamento. O tratamento funciona e gradualmente Lowe começa a conhecer os pequenos prazeres da vida.

Esse filme é baseado no livro de Oliver Sacks, que seria o real Malcolm Sayer e foi escrito nos tempos em que trabalhou no hospital.

Essa foram algumas dicas de filmes para você que gosta de se sensibilizar, então espero que tenham gostado e até a próxima.
Fala galera! Hoje trago a vocês o primeiro vídeo de uma série gameplays de Shinobi. Jogarei ele até o fim, se a paciência permitir.

Sei que o blog anda meio devagar, mas calma, pois novos artigos estão em andamento, então até lá fiquem com o gameplay.



Gostou do conteúdo do blog? Então não perca nenhuma novidades

Twitter: https://twitter.com/Cyber_Woo
Facebook: https://www.facebook.com/ArquivosDoWoo


O PlayStation foi lançado no Japão em 1994, chegando a terra do tio Sam em 1995, desde então vendeu mais de 103 MILHÕES de unidades até o encerramento da produção em 2006.

103 milhões de pessoas se divertiram pra cacete com esse magnifico console, e você não pode ficar fora dessa.

Então confira alguns motivos pelo qual você pode desembolsar seu suado dinheiro, e comprar um console que irá marcar sua vida.

Me acompanhe!


Faz muito tempo que não mexo com gameplays e os motivos pelo qual o deixei de fazê-lo são diversos, porém, eu me divertia e as pessoas mais próximas de mim, seja lá qual o motivo aparentemente gostavam de ver minhas partidas.

Bem, resolvi voltar e o game escolhido é Mortal Kombat II, um game que marcou minha infância. 


Espero que gostem.


Há muitos anos atrás, em tempos que eu pesava 68 Kg e meu objetivo era trabalhar jogando videogames, meu pai resolveu comprar o Sega Saturn da minha vó - Isso mesmo, minha vó havia comprado um Sega Saturn para a minha tia, que era mais nova do que eu e meu irmão. Lembro que o console nos rendeu finais de semanas regados a muito Daytona USA com a família e diversas idas a videolocadora aos finais de semanas.

Em uma dessas idas, eu topei com esse game que tinha uma borboleta e na contra capa algumas cabeças voadoras.  Fiquei impressionado com aqueles gráficos realistas (hahaha, bons tempos) e pedi a meu pai que levasse.

Jonny Jakobsen

No ano de 2012 um amigo resolveu dividir o aluguel comigo, e naquele tempo em meio a jogatinas de SKYRIM e episódios de South Park, ele me mostrou o AMV de uma musica chamada "Carlitos". O vídeo consistia em personagens femininos com bigodes mexicanos, dançando ao lado de cactos dançantes enquanto repetiam a exaustão o nome "Carlito, Carlito".

Fiquei dias e dias com esse refrão martelando em minha cabeça, então pensei "Oras, quem diabos criou essa musica?" e fui atrás do criador dessa dance music chiclete. Para minha surpresa, o artista é sueco e não se chama Carlito. Seu nome é Jonny Jakobsen, Carlito é apenas um de seus personagens. Mas antes de falar sobre eles, conheceremos um pouco de sua história.

Antes de Carlito ser concebido, Jonny Jakobsen se chamava Johnny Moonshine e até lançou um álbum de musica country intitulado de "Johnny Moonshine & The Moonshine Band" em 1995, mas o projeto acabou não seguindo adiante devido a complicações, então Jacobsen partiu para o euro pop que naquele momento tinha uma cenário musical forte.

Jonny Jakobsen

Então nascia Dr. Bombay, um taxista cantor da cidade de Calcutá, que aprontava altas confusões em seus videoclipes e claro, todas as letras são o dia-a-dia desse taxista desastrado e que já teve sua família raptada por um tigre.

Tigre bobo!

As musicas são extremamente pegajosas, e não é a toa que se enquadra no gênero bubblegum pop, que por sinal eu nem conhecia, mas que explica muita coisa.

Uma curiosidade bacana sobre o personagem, é que algumas de suas musicas apareceram no game Samba de Amigo do (Que Deus o tenha) Dreamcast e no dançante Beatmania IIDX do Arcade


É preciso admitir que os videoclipes dos anos 90 ainda são divertidos, uma pena que é tão difícil acha-los com uma qualidade de 480p. Talvez seja a musica falando por mim, depois de ter dominado meu cérebro... quem sabe?

Há que considere a musica de Jakobsen um tanto racista e estereotipada, mas isso não impediu de alcançar certa popularidade na Índia, onde quase levou processo nas costas, mas as autoridade acabaram deixando de lado, visto que ele era apenas chato.

E no ano de 2000 nasceu o escocês Dr. Macdoo, primo distante do indiano Dr. Bombay, ao menos essa é a origem contada por Jacobsen.

Conheçam Carlito e seu Europop chiclete Mexicano!

Dr. Macdoo não caiu muito no gosto do público, mesmo mantendo o tom satírico, as musicas não pegaram. O videoclipe gerados para o álbum "Under The Kilt" eram engraçados, mas infelizmente as composições não gerou grandes hits e acabou por não agradar os fãs antigos.

Claro, continuava sendo uma paródia étnica, mas talvez um pouco mais forçada e sofrível do que seu antecessor. 


Dr. MacDoo ele alcançou um pequeno público na Suécia, mas os fãs de Dr. Bombay não compreendiam o porque da mudança de personagem. Logo o personagem deixaria de existir para no ano de 2006 dar lugar ao seu último personagem (por enquanto) Carlitos.

Conheçam Carlito e seu Europop chiclete Mexicano!
Jakobsen não caracterizado.
Carlito é um cantor mexicano apaixonado por Carlita e como os pseudônimos anteriores suas letras são baseadas no dia-a-dia do personagem. Todas as suas músicas possuem um refrão extremamente fácil e pegajoso. Posso dizer que Jakobsen reformulou toda a ideia do som que fazia anteriormente. A adição dos vocais femininos de Carlita trouxe uma pegada dance moderna e que caiu no gosto do povo.

Eu ouvi o primeiro álbum do Carlito "Fiesta" e senti como se meus ouvidos e pensamentos tivessem sido possuídos. 

A MÚSICA NÃO QUERIA SAIR DA CABEÇA!

Lembram quando Vengaboys lançou seu hit "Boom Boom Boom Boom"? É mil vezes mais grudenta!

Há quem odeie o Carlito ou qualquer outro personagem, principalmente algumas pessoas do fórum The Bore, ao menos em 2008 eles o odiavam, haha!

Eu não considero esse tipo de musica ruim, diferente do funk carioca, esse sim é uma grande merda. O gênero bubblegum dance é dançante e extremamente alegre e as crianças provavelmente curtiram bastante.

Oras, mas você não acredita? Então assista o videoclipe abaixo e se delicie com seus pensamentos sendo tomados pelo Carlito. 

Faça o teste, mas não recomendo aos mini adultos, eles estão ocupados louvando algum satã...mini adultos me dão medo!


Mas com Carlito as coisas deram certas, então nada de abandonar o sombreiro, pois o sucesso foi tanto (principalmente no Japão) que surgiu o segundo álbum "Wild World!" em 2007.

Todas as letras são criadas a partir da perspectiva do personagem nos países que estão visitando... ou seja, tudo em primeira pessoa. Não que isso importe, mas oras, achei que seria importante... não? Ah, wherever!


A qualidade de produção continua indiscutível e dessa vez eu recomendo você deixar um martelo ao lado quando for ouvir, pois será essencial para você despregar a musica da cabeça.

Acho importante dizer que apesar de ser um gênero diferente do que gosto de ouvir, a ideia comercial por trás de tudo isso é fascinante. O personagem foi criado com o intuito de fazer piada e sucesso, e o filho da mãe conseguiu. Seu maior público esta no Japão, e apesar de restrito a alguns países, Jakobsen faz um ótimo trabalho.

Antes de encerrar, deixo com vocês o vídeo de Carlitos visitando a mãe Russia na música "Russkij Pusskij".



Atualmente Jakobsen faz alguns shows, mas não há muito informação a respeito de um novo álbum ou projeto. Espero que esse sueco doidão não abandone o sombreiro e ressurja com algo novo.

Espero que tenham gostado e até a próxima, Ai, Caramba!


Hoje em dia são poucas as crianças que realmente querer curtir essa fase. Basta dar uma olhada no facebook para topar com milhares de mini-adultos. Eu, quando jovem queria saber de me brincar com meus “hominhos" e jogar videogame.

Sofri minhas paixonites infantis como qualquer outra criança, mas não conseguia abandonar meus brinquedos e games. Confesso que em determinado momento da minha infância, pensava que aos 20 anos eu estaria em um ótimo emprego, casado e com filhos.

Não deu nada certo, puta merda!


Eu preciso admitir que nunca fui muito chegado no personagem Superman, mesmo gostando dos filmes antigos com o saudoso Christopher Reeve. Eu sempre gostei mais do HULK interpretado pelo grande Lou Ferrigno ao lado de Bill Bixby

Um gigante verde e com um ódio monstruoso por qualquer coisa viva ou não e com um dos melhores temas de todos os tempos, que é famosa "Lonely Man". Logo fica difícil gostar de alguém que usa a cueca sobre a roupa e fica o tempo todo salvando uma repórter chata.

Calma, esse é só o meu gosto, e isso não torna o Superman  ruim, só perde quando eu comparo ele a outros super-heróis do meu gosto pessoal, hahaha!

Mas vamos ao que interessa!

Passado anos e anos, eis que surge Superman Returns, um dos piores filmes de todos os tempos. Sinceramente, eu até tentei gostar e defender aquela bagaça na época, mas fica impossível quando tudo é tão ruim.

Já não tinha esperança alguma de algo novo do personagem nos cinemas, mas eis que novamente sou surpreendido com um belo soco nos bagos.

Man of Steel é simplesmente fantásticos e vai deixar você eufórico com as cenas de ação, ao menos para mim foi impossível não lembrar de Dragon Ball Z. - Não me julgue, OK?

Os trajes Kryptonianos ficaram sensacionais.
Um ponto interessante do filme é que o diretor conseguiu nos contar o passado de Clark em poucos minutos. Algo que Smallville não conseguiu fazer em 10º temporadas, e falando em Smallville;

Foda-se Smallvile, Foda-se Lana! Agora voltemos ao filme.

Depois de conhecermos um pouco do passado, somos apresentados a um Clark adulto e com controle de quase todos os seus poderes e que precisa impedir Zod de transformar a terra em uma nova Krypton.

Zod oferece um acordo, mas vocês conhecem o Superman e seu discurso sobre humanidade blá,blá, eu nasci aqui, blá, blá, etc...

Ah, temos a Louis, que também é um fator importante para a humanidade não ser extinta, caso contrários, todos estaríamos fodidos. Ela até da uma força, mostrando que ela não tem nada a ver com as Louis do passado.

Obrigado Amy Adams!


Bem, mas o foco principal é Zod e sua tropa, que simplesmente rouba a cena a todo momento, mas não desmereço Henry Cavill, que faz jus ao titulo de homem de aço. O cara simplesmente esta gigante no filme.


As batalhas são animais, difícil não se empolgar com rostos sendo esmagados contra o solo e  tanques de aço sendo rasgados feito papel - Não fico empolgado assim desde Pacific Rim (Que rezo por uma continuação todos os dias).

Michael Shannon é um monstro durante todo o filme. As melhores cenas acontecem graças a ele, o que me leva a crer que Zod merece um filme só dele.


Os efeitos especiais são magníficos e a história ganhou uma reformulada que provavelmente vai encantar aqueles que desconhecem a história do Superman. Se é que existem alguém que não conheça a história dele.

O filme é divertidíssimo, mesclando humor e muita pancadaria rolando solta. Sem contar que Zod  e Superman tem uma das batalhas mais legais do cinema desde Neo x Sr.Smith e Goku x Majin Boo.

Particularmente eu não gostei do final do filme e você entenderam o porquê, mas isso não tira o mérito. Só não atitudes drásticas, limando minha alegria por alguns personagens apresentados, mas o filme é foda. 

É isso, compre a pipoca, o refri e convide a namorada para apreciarem juntos o peito saradão do azulão de capas. Soou meio estranho, mas ta valendo.



Um dos meus maiores vícios adolescentes que trago comigo até os dias de hoje é o amor pela franquia Dragon Ball. Sou tão hardcore que só conheci Dragon Ball Z através do Band Kids apresentado pela maravilhosa Kira - Uma aprendiz de heroína que fez a alegria de muitos adolescentes, se é que me entende.

Nada me deixava tão pilhado quanto um game do Dragon Ball Z, sendo o que mais joguei foi Dragon Ball Z: Legends. Diferente do ódio tomando posse do meu corpo ao jogar DBGT : Final Boot, pois  nada consegue ser tão ruim e lento quanto aquele game.