26 de novembro de 2013

TRANSAR E COMPARTILHAR? PRA QUE?



Hoje em dia nossa privacidade está comprometida com a fácil conexão de celulares com a Internet, não?

Malditos seja os celulares com suporte às redes sociais!

Recentemente uma garota se suicidou após um vídeo intimo ter vazado pelo WhatsApp na velocidade do teletransporte do Goku ou seja, rápido pra carai!

Você pode ler a notícia completo clicando aqui.



A pessoa que compartilhou o vídeo no Whatsapp é um tremendo filho(a)-de-quenga! Não existe argumento algum que justifique a atitude de expor os participantes de uma suruba na qual você participou para o mundo.

Esse cabra safado merece ser violentado pelo Bozo e toda a sua gangue... Desculpa Bozo!

Casos como esses vem ocorrendo com uma frequência um tanto assustadora, o maior culpado, além do fio-de-uma-quenga que divulga, são os próprios pais. Muitos deixam para que a escola, internet e TV, façam aquilo que é de responsabilidade deles.

Atualmente poucos pais supervisionam seus filhos nos dias de hoje, e convenhamos que a desculpa do “Trabalho muito, não tenho tempo de ficar em casa o dia todo” não funciona. Faça um teste, vá agora em uma Lan House e conte quantos menores de idade você irá encontrar.

Bem, apesar de que hoje em dia os smartphones tornaram as Lan Houses obsoletas, o que nos leva a outro ponto importante!


SMARTPHONES NÃO SÃO BRINQUEDOS!!

Muitos pais acham lindo ver as fotos dos seus filhos no Instagram, Facebook, mas se esquecem que há predadores sexuais de calças arriadas nesse exato momento fuçando no álbum de suas crianças.

Em diversos comentário que encontrei pela Internet, algumas pessoas ressaltam o quanto a sociedade é machista, e que o sexo deve ser visto como algo normal, logo mulheres não devem ser oprimidas por gostar de sexo e blá-blá-blá.

CONCORDO, a sociedade é machista e as mulheres não devem ser oprimida por gostarem de sexo, elas possuem tanto direito quanto qualquer homem.

É ridículo denegrir uma mulher, simplesmente por ela expressar que gosta de sexo, tanto quanto um homem. Esse conceito imaturo de que mulheres solteiras e com vários parceiros são vadias deve ser combatido.

Porém, não acho saudável os jovens sejam incitados a iniciarem sua vida sexual tão cedo. Uma grande parcela possui o corpo desenvolvido, mas não esta mentalmente preparados para lidar com todos os obstáculos de uma vida adulta, principalmente a pressão de ter sua vida íntima exposta ao mundo.

A garota era jovem, bonita e tinha um futuro pela frente, o vídeo que ela fez NUNCA deveria ter ido a público, mas aconteceu. Nada irá mudar irá amenizar a dor da família, porém, serve de alerta a todos os pais.


Não estamos aqui para cuidar do corpo alheio, mas um pouco de cautela não mata ninguém, até porquê esse tipo de caso não é novo.  Mas em meio a tristes noticias, vem surgindo uma boa, pois Romário (Quem diria) tem feito um ótimo trabalho como deputado e criou um projeto a fim de tornar crime pornô vingança.

Espero de coração que assim que votado, esses monstros metidos a pegador paguem na cadeia por toda a agressão que vem causando as mulheres.

Encerro esse post com a frase do próprio Romário;

"Embora os casos ganhem mais repercussão com as mulheres, há homens vitimados também. Porém, nossa sociedade costuma julgar as mulheres. É como se o sexo denegrisse a honra delas. Os comentários machistas não vêm só dos homens, muitas mulheres criticam as vítimas também. Quando divulgo meu projeto na rede, recebo comentários absurdos apontando a mulher como culpada. Coisas do tipo… ‘se ela se desse o valor, não passaria por isso, que sofra as consequências’ ou ‘mulher direita não se deixa filmar’. Acho natural apresentar este projeto, sou pai de quatro filhas lindas."

25 de novembro de 2013

PODCASTS | AS VEZES PARTICIPO


Eu adoro conversar sobre os mais diversos assuntos com meus amigos, e isso acabou me levando a unir forças com alguns amigos e criarmos um podcast.

Claro, tenho planos de abordar outros temas futuramente e tenho alguns projetos para 2014, mas enquanto eles não saem do papel, resolvi fazer um catado das minhas participações.

Espero que se divirtam.

Obs: Para vocês efetuarem o download, basta clicar no banner.

Participantes:

Leonardo Soler - Game Genius

Participantes:

Leonardo Soler - Game Genius
Tchulanguero - Vão Jogar


Participantes:


Leonardo Soler - Game Genius
Tchulanguero - Vão Jogar


Participantes:

Leonardo Soler - Game Genius
Tchulanguero - Vão Jogar
Marvox - Marvox Brasil


Participantes:

Geovanne C. Sancini - JBox
Tony Horo - JBox

E por enquanto são esses, conformes surgirem novas participações, eu atualizarei esse post.

6 de novembro de 2013

CRÍTICA | SILENT HILL E SUA CONTINUAÇÃO INTRAGÁVEL 3D


Lembro que o medo havia tomado conta de todo o meu ser gorduroso ao descobrir que Silent Hill ganharia sua adaptação no cinema. Ainda tentava digerir Resident Evil – Hospede Maldito, naquele tempo, e lembrar-se de Alice, fazia com que meus intestinos tentassem saltar pra fora do meu corpo.

Apesar de ser um cara extremamente medroso na hora de jogar games de terror, eu pude apreciar cada pedacinho de Silent Hill em seu lançamento no Psx, pois meu pai o jogava em meu lugar, já que provavelmente eu sujaria a sala.

Bem, estou tentado dizer que não desejava ver Silent Hill sendo estuprado por algum diretor pederasta, mas graças a Odin!

Silent Hill é um dos melhores filmes baseados em games que eu já vi, então eu preciso dizer em alto e bom som;

O filme utiliza todos os elementos que o game tinha a oferecer de forma brilhante - Tornar uma mãe como protagonista principal foi uma sacada genial, pois todos sabemos que mães possuem um HULK em seu interior. No primeiro sinal de perigo, se transformam.

É o instinto materno chutando bundas até o inferno!

Os personagens do filme são bons, mas quem rouba a cena é Sharon/ Alessa (interpretada por Jodelle, uma garota mega-fofa) e os monstros, que são o charme da franquia de games. 
Chupa essa Paul !!
Pyramid Head é impressionante, acredito que milhares foram à loucura quando o viu encarnado na telona. Não podemos nos esquecer das enfermeiras sem rosto, sensacionais. Se pudesse escolher um monstro favorito, escolheria o zelador.

O filme conta a história de Rose (Radha), mãe da pequena Sharon (Jodelle), que sempre grita por Silent Hill quando em um estado de sonambulismo. A fim de acabar com esse problema antes que a menina se machuque, Rose decide levar Sharon a cidade e descobrir a fonte dos terrores noturno da menina.

Esse filme tem sangue, suspense, pessoas sendo queimadas vivas, esquartejamentos, ou seja, tem tudo o que os gamers fã da série queriam ver nos cinemas, um bom roteiro e uma adaptação que honre suas origens.

Eu estava 100% satisfeito com a adaptação e totalmente entusiasmado ao saber que seria feita uma continuação.

Um dos meus monstros favoritos
Sharon agora é uma adolescente e junto de seu pai Harry, mudam constantemente, pois ambos vêm sendo perseguidos pela Ordem de Valtiel. Um culto residente de Silent Hill que tem como objetivo, sacrificar Sharon a fim de restaurar a cidade e quebrar a maldição imposta por Alessa.

Mano, dói à cabeça só de tentar digerir esse enredo,  mas continuei assistindo, pensei “Oras, não pode ser tão ruim”, errei feio.

No primeiro titulo você descobre que Alessa era uma criança introvertida e estava sempre sofrendo todo tipo de agressão por partes dos moradores da cidade, pois muitos a consideravam uma bruxa, capiroto, filha de satanás, então resolveram queima-la, só pra acabar com o mal.



Alessa foi queimada viva, mas conseguiu ser salva no ultimo instante, porém, enquanto se recuperava, alimentava um ódio doentio por vingança até que tamanho ódio despertou o interesse de um demônio, que oferecerá um trato, assim, Alessa se dividiu em duas, surgindo Sharon, o lado bom e que poderia levar uma vida normal, longe de Silent Hill, enquanto Alessa transformou Silent Hill em seu parque de tortura.

Foi preciso Rose (A mãe adotiva) passar o diabo no primeiro filme para decifrar todo o mistério por trás de Sharon e Silent Hill, mas nesse filme, esses pontos importantes parecem nunca ter acontecido. 

Pra unir as pontas entre o primeiro filme, eles apresentam uma rápida cena em que Rose, ainda presa em outra dimensão, explica que não vai voltar, mas encontrou uma forma de tirar Sharon com o uso de SELOS.

Quanta merda!

Enfim, a Ordem de Valtiel enviam um fresco, filho de uma véia carcomida, que é vilã principal, pra fora de Silent Hill, só para capturar Sharon, mas ele se apaixona e volta contra sua mãe.

A véia carcomida é a Trinity de Matrix
Harry é capturado, Sharon volta com o fresco, filho da véia demônia carcomida (Não lembro o nome, nem me importo) a Silent Hill. Sharon a todo o momento é levado a dimensão enferrujada (É como eu chamo a outra dimensão, lide com isso!) não importa o lugar, aparentemente a maldição criou uma extensão, sabe-se lá porque, o Fresco dá uma explicação qualquer e a história segue.

Spoiler do final do filme;
Conclusão, Pyramid Head é o guardião de Alessa/Sharon, a velha carcomida é um demônio, que sem motivo aparente estava no meio dos humanos, mas o importante é que ela duela com Pyramid Head. Sharon salva Harry e tudo volta ao normal..

A batalha final tem uns 5 minutos no máximo, depois disso você descobre que pagou uma grana alta pra assistir uma grande merda nos cinemas. Ainda não acredito que Silent Hill recebeu uma continuação tão fraca, o filme só não é pior que Resident Evil, pela falta da Alice.



Bem, esse foi o meu desabafo sobre esse filme, que destruiu minha esperança pela franquia de filmes, se preparem, há grandes chances de um novo titulo, basta assistir esse filme que você descobrira.

Como podem ter percebido, essa é minha opinião a respeito do filme, caso você tenha gostado do filme, saiba que vir me ofender nos comentários não ajuda. Então, seja esperto e tente me convencer do contrário apontando pontos que talvez eu não tenha percebido do filme.