6 de junho de 2013

FINAL FANTASY TACTICS | FINALMENTE ZEREI UM FF [PSX]


Todos conhecem Final Fantasy VII seja por causa daquele seu amigo que não deixa você esquecer o quanto é foda ou qualquer outra mídia. Eu nunca joguei mais do que 10 minutos desse game e não sinto muita vontade, talvez seja falta de coragem em me aventurar por mais de 100 horas de jogatina, coisa que passei ao jogar Dragon Quest VIII e que posso dizer com toda a propriedade do mundo – JOGAÇO

Mas voltando a Final Fantasy, eu já tinha save iniciado com pelo menos uns 3 anos e fuçando nos games, pensei “Oras, porquê não dar continuidade?”, lá se foram horas jogando, decidido que iria até o fim (Pensava que fosse curtinho). Joguei por horas e horas, dias e dias e quando me dei conta já havia criado um sulco entre meu corpo e o sofá, embalagens de Toddynho a minha volta e meu pobre peixinho Freddie falecera misteriosamente, mas o importante é que eu finalizei Final Fantasy Tactics.

Posso morrer feliz agora! 

Pra quem não sabe, nesse game controlamos Ramza, um nobre cavaleiro da família dos Beowulf, que junto do seu fiel amigo Delita (Que não é um nobre, o que provoca discriminação por parte dos demais) luta contras todos aqueles que se opõem aos interesses dos Hokuten Knights.

Delita e Ramza
Posso dizer a vocês que o ponto alto do game é seu enredo que prende a atenção todo jogador do inicio ao fim. Há um crescimento muito grande por parte dos personagens na trama, Ramza, por exemplo, ele não tenta ser herói em momento algum durante o jogo, sua motivação é proteger seus entes queridos e fazer a coisa certa, mas a guerra aos poucos vai mudando sua personalidade e muito de sua inocência se perde durante a jornada. 


A sua jogabilidade é semelhante a Tatics Ogres & Ogre Battles, algo que não surpreende já que a Square contratou toda a equipe por trás dos títulos citados. Aqui temos estratégia e job system (Algo que começou no Final Fantasy V) e que aumenta muito a diversão do jogo. Como diversão não é o bastante acrescente uma trilha sonora fenomenal que provavelmente vai tocar seu coração de pedra. 

O game é sensacional e possui um final tão surpreendente que a probabilidade de um enfarte acontecer é grande. Não acredita? Vá jogar e depois volte aqui e me diga como ficou o seu coração.

Um dos momentos emocionantes do game
Há algumas curiosidades também, como a possibilidade de usar Cloud (FFVII) e Robo (Worker 8), alias, Cloud e Robo são os personagens mais fortes do game, basta dedicar um pouco de tempo e você terá em seu time  duas verdadeiras maquinas de guerrear.

Não vou adentrar em mais detalhes, só posso dizer que Final Fantasy Tactics é um game obrigatórios para os amantes de RPG e ESTRATÉGIA. Também para aqueles que nunca jogou um Final Fantasy na vida, hahaha!

Encerro esse post com uma das minhas musicas preferidas do game.

<

3 de junho de 2013

CRÍTICA | POR QUE RESIDENT EVIL É UMA FRANQUIA DE FILMES RUINS? #1


Resident Evil foi um dos primeiros títulos do Playstation que conheci e foi o motivo do meu contato com a SONY no mundo dos games. Quando noticiada a produção de um filme sobre o game, fiquei louco e passei a acompanhar tudo o que podia saber sobre a produção até o dia do seu lançamento. 


Ele conseguiu arrecadar milhares de novos fãs pelo globo e enquanto milhares de outros fãs cortavam os pulsos e pediam o dinheiro de volta ao sair do cinema. Eu ainda sem assistir me mantive confiante, não tinha como um enredo daquele dar errado, pois tínhamos filmes de zumbis que se assemelhavam ao RE, então fazer um filme não seria difícil. 

Era o que pensava naqueles tempos... MALDITO PAUL W.S ANDERSON

Depois de assistir ao ultimo filme de Resident Alice, fiquei pensando em como a CAPCOM foi filha-da-puta ao permitir que alguém estuprasse diversos personagens e um enredo digno de fazer com que The Walking Dead pareça uma manhã de domingo alimentando patinhos. 

Só para provar que é ruim,  resolvi rever todos os filmes da franquia e compartilhar minhas impressões com todos vocês, espero que gostem!


Por mais que esse primeiro filme tenha decepcionado milhares de fãs mundo a fora, eu consegui desenvolver colhões para ter certo carinho por ele apesar de não ser maravilhoso, conseguiu me entreter e não ser uma perca total de tempo, no máximo um filme idiota.

Marilyn Manson foi o responsável pela trilha sonora do filme e acreditem, fico sensacional. Talvez seja a única coisa que realmente possa se salvar do filme, assim como o titulo. Esse foi à primeira adaptação de um game onde não existem personagens do game nele. O cara que criou o roteiro tem de ser muito animal para adaptar algo e esquecer que existe um universo e seu respectivo protagonista.

Aparentemente eu não fui o único que se fez essa pergunta, então nos extras do DVD, o diretor Paul W.S. Anderson explica o porquê da ausência de personagens do game mas não justifica a cagada que ele fez.

FILHO DA MÃE!

O filme teve uma boa produção e seu maior público consiste em pessoas que talvez nunca ouviram falar do game, mas como tudo no mundo se há criticas, com certeza existe alguém para rebate-las. Eu sou suspeito com relação a esse primeiro filme, pois eu o comprei só por causa do clipe “My Plague” do Slipknot, banda que foi muito boa no passado, recomendo.


Mata, agora é a hora, MATA ELA!
Eu devo ter assistido esse filme umas quatro ou cinco vezes desde seu lançamento, muito pouco perto de outros filmes que assisto diversas  vezes, mas eu culpo a Alice, pois é uma personagem sem carisma algum e  o enredo fica obrigando você a torcer por ela, mas sequer é uma personagem legal.

Desculpa, mas nem um homem trocando socos com um cachorro zumbi me convence, uma mulher fazendo-o faz menos sentido ainda.

Não existem muitos motivos para assistir a esse filme, exceto a curiosidade por ser o primeiro filme do Resident Evil (Vá assistir aos filmes em CG que é mil vezes melhor)




Jill Valentine foi confirmada para esse segundo filme, tem tudo para dar certo, enfim eles vão se aproximar mais do enredo original.

Só que não!

Apesar do filme não ser péssimo e conseguir ser mais divertido do que seu antecessor, ele nos apresenta uma Alice capaz de lamber o cotovelo enquanto mata 10 zumbis e um cachorro ainda no ar.

Aqui descobrimos que Alice foi modificada ao participar de um projeto semelhante ao do Nêmesis, o que não faz sentido algum, pois a Umbrella queria eliminar qualquer vestígio da equipe de resgate do primeiro filme e  a ultima coisa a ser feita é dar super poderes a alguém que você quer eliminar, certo?


Pronto, agora que tu viu a Jill, pode quebrar o DVD.
O que mais me incomodou nem foi esse detalhe, mas analisem comigo, você esta em pleno apocalipse zumbi, armado até os dentes e só por que tem poderes iguais ao do capitão America, tu resolve matar zumbis com golpes de Jiu-Jitsu ?

Você pode ser mordida sua maldita, cadê a preocupação com o sangue que vai respingar em seus olhos e boca? Não adianta me dizer que o T-Virus no corpo dela impede que seja infectada, pois ela não é mordida nem uma vez e ainda dá mal exemplo para os demais.

Como se isso não bastasse, ao ficar de frente com o Nêmesis, que tem quase 3 metros de altura e tão feio quanto Tevez, ela resolver sair na pancada com ele também.

AAAHHHHHHHH! NÃOOOO!

Não foi suficiente tornar a Alice incrivelmente forte, eles resolveram deixar a Jill e o Carlos como coadjuvantes. Ambos são mal aproveitados na trama do filme o que nos leva a perguntar, por que faz isso Paul? Por que seus roteiros são cocos?

Jill Valentine, Carlos e Nêmesis são as únicas coisas que realmente fazem valer o filme e ainda assim o filme irá te frustrar, mas não tanto quanto...



O Carlos é um dos personagens mais legais que surgiram em RE: Apocalipse, não tanto quanto a Jill que infelizmente não esta nesse filme, então resta manter o foco em Carlos, que MORRE.

Sim, eles matam Carlos na trama, acredito que o próprio ator tenha implorado para ser demitido do quadro de atores, já prevendo a merda que o esperava, mas ele deveria ter pensado um pouco nos fãs, maldito egoísta. Morre Carlos e Alice ganha mais atenção do que já tinha antes, uma tentativa de Paul W.S. Anderson continuar a receber sexo de sua esposa, pois se não agradar o bicho pega.

Bem, mas nesse filme eles nos presenteiam com Claire, que a todo o momento é jogada de lado na trama, pois o foco é Alice, sempre Alice, como se não bastasse ser quase um Kratos, agora possui poderes psíquicos...

Não sei por que insisto tanto com essa franquia depois do 1º filme, mas voltemos!

Nesse filme vergonhoso veremos os corvos que também são famosos nos games e o vilão do primeiro game, TYRANT. Só que nesse filme ele se resume a um tiozinho capenga em uma batalha que provavelmente fará os fãs mais radicais dos games a cortar seus pulsos com o disco do filme.
IHH! Nojento!
Os efeitos especiais são bacanas, mas isso não salva muita coisa quando o enredo é uma diarreia mortal que até mesmo as garotas do “2 Girls 1 Cup” rejeitariam.

Depois de sofrer com o 3º titulo, prometi a mim mesmo que não iria assistir nada que houvesse a Alice no meio,mas então eu vejo um trailer onde surge Wesker e bateu a curiosidade, então lá vou eu assistir ao 4º filme e que aparecerá por aqui em um próximo post.

Espero que tenham gostado, pois agora vem a segunda parte > AQUI<